O TURISMO DE SAÚDE E BEM-ESTAR

Susana Maria Pereira da Silva

Questionários aos gestores/administradores das estâncias termais – análise dos principais resultados


Na elaboração deste plano de ação achou-se importante saber qual a perceção dos gestores/administradores quanto à atividade termal em geral e em particular das estâncias que gerem/administram assim como as suas perspetivas face à mudança.
A prossecução deste objetivo teve como suporte um inquérito por questionário1 (Anexo III) enviado aos mesmos. Um instrumento de avaliação que pretendeu não só reconhecer o seu papel como atores centrais no processo de revitalização dos espaços termais como constituir uma via para melhor e de forma mais sustentada enquadrar esta estratégia.
Este questionário foi estruturado em duas grandes partes, sendo precedidas pela justificação e âmbito desta investigação e por uma análise inicial introdutória referente ao enquadramento da estância termal e perfil do inquirido.
Na primeira parte2 , pretendeu-se avaliar a perceção dos gestores/administradores sobre a realidade atual do termalismo e estâncias termais em Portugal, as causas do seu atual estado de funcionamento, perceber qual o caráter de urgência na reestruturação das estâncias termais e os principais motivos e ações para tal, assim como destrinçar as principais dificuldades/obstáculos e oportunidades à sua reestruturação, sendo constituída por sete questões chave:
1) Como perspetiva a realidade atual do termalismo e estâncias termais em Portugal?
2) Quais as motivações do atual estado de funcionamento das estâncias termais?
3) Se acha que a reestruturação da atividade termal tem algum caráter de urgência, quais os motivos que revelam essa urgência?
4) A reestruturação da atividade termal e dos espaços termais passaria por que ações?
4.1) Mais especificamente, que outros serviços e atividades se deveriam oferecer para uma otimização dos equipamentos, património e espaço e, dinamização das estâncias termais?
5) Quais são as principais dificuldades e obstáculos à sua reestruturação?
6) Quais são os principais pontos fortes e oportunidades à sua reestruturação?
Cada uma das questões apresenta um conjunto de possibilidades de respostas através de escolha múltipla simples, sendo que algumas apresentam a possibilidade de resposta aberta (questão 2, 4.1, 5 e 6). Os resultados apresentados, para cada questão, têm como base uma escala de respostas definida através de categorias com um intervalo de 1 a 53 em que o nível 1 corresponde a discordo totalmente, o nível 2 a discordo, o nível 3 a não concordo nem discordo, o nível 4 a concordo e o nível 5 a concordo totalmente, sujeitos a uma apreciação em termos de média (Méd.), moda (MO), nível máximo (Máx.) e mínimo (Mín.) registado para cada opção e desvio padrão (DP), sendo que são apresentadas as que apresentaram os valores mais altos de média e portanto as que mais vezes foram objeto de escolha, por parte dos inquiridos, para dar resposta às questões expostas a priori, apontando-se igualmente as opções menos pertinentes à concretização de cada questão. De referir que, em função da escala de respostas (1 a 5), e para os itens formulados na positiva, quanto mais elevada for a pontuação de cada participante em cada item (mais próxima de 5), mais favorável se considera a resposta dos inquiridos face à questão em análise, sendo que o sentido da escala de respostas é invertido quando o item é de cariz negativo.
A segunda parte pretendeu recolher opiniões mais concretas e conclusivas sobre as vertentes das estâncias e o seu papel na sua revitalização, a qualificação e especialização de mercados, os modelos de gestão, a importância do ordenamento e planeamento do território, a promoção e as relações de complementaridade como fatores intervenientes na dinamização e atratividade das estâncias, assim como os principais constrangimentos e oportunidades do setor termal e das estâncias termais que gerem culminando na opinião quanto ao futuro que perspetivam para as estâncias e a atividade termal. A maioria das questões são de seleção dicotómica entre duas afirmações – Sim/Não e de resposta aberta na sua justificação.


1

O questionário realizado foi baseado no questionário aplicado por RAMOS (op.cit.), por se achar um modelo eficaz em termos de conceção e obtenção de respostas que, para esta investigação, foi atualizado, aprofundado e alargado a outros âmbitos.

2 Nesta primeira parte, foi solicitado aos gestores/administradores que manifestassem a sua opinião em relação à realidade portuguesa e a que se ajustava à realidade que geriam/administravam. Contudo, os inquiridos apenas deram a sua opinião relativamente à primeira opção.

3 Escala de tipo Likert (RAMOS, op. cit.).

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

17 al 31 de enero
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

15 al 28 de febrero
III Congreso Virtual Internacional sobre

Desafíos de las empresas del siglo XXI

15 al 29 de marzo
III Congreso Virtual Internacional sobre

La Educación en el siglo XXI

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga