INTRODUO A EPISTEMOLOGIA DA CIENCIA

INTRODUO A EPISTEMOLOGIA DA CIENCIA

Christian Jos Quintana Pinedo(CV)
Karyn Siebert Pinedo (CV)

Volver al ndice

2.4.4.1 Descartes: Regras para a direo do esprito.

Para atingir tal objetivo seria necessrio satisfazer trs condies: dar a todas as cincias o mesmo mtodo; partir do mesmo princpio; assentar no mesmo fundamento. S assim se poderiam unificar as cincias.

Quanto ao mtodo, Descartes achava tambm que s o rigor matemtico poderia fazer as cincias dar frutos. Da que tivesse dado o nome de mathesis universalis ao seu projeto de unificao das cincias. A matemtica deveria, portanto, servir todas as cincias:

Deve haver uma cincia geral que explica tudo o que se pode investigar respeitante ordem e medida, sem as aplicar a uma matria designa-se (...) pelo vocbulo j antigo e aceite pelo uso de mathesis universalis, porque encerra tudo o que fez dar a outras cincias a denominao de partes das matemticas.

Relativamente segunda condio, o princpio de que todo o conhecimento deveria partir, s poderia ser o pensamento ou razo. Descartes queria tomar como princpio do conhecimento alguma verdade que fosse de tal forma segura, que dela no pudssemos sequer duvidar. E a nica certeza inabalvel que, segundo ele, resistia a qualquer dvida s podia ser a evidncia do prprio ato de pensar.

Finalmente, em relao ao fundamento do conhecimento, este deveria ser encontrado, segundo Descartes, em Deus. Deus era a nica garantia da veracidade dos dados? Racionais e no sensveis e, conseqentemente, da verdade do conhecimento. Sem Deus no poderamos ter a certeza de nada. Ele foi o responsvel pelas idias inatas que h em ns, tornando-se por isso o fundamento metafsico do conhecimento.

Temos, assim, as diversas cincias da poca concebidas como os diferentes ramos de uma mesma rvore, ligados a um tronco comum e alimentados pelas mesmas razes. As razes de que se alimenta a cincia so, como vimos, as idias inatas colocadas em ns por Deus. Estamos, neste caso, no domnio da metafsica:

Assim toda a filosofia como uma rvore, cujas razes so a metafsica, o tronco a fsica, e os ramos que saem deste tronco so todas as outras cincias, que se reduzem as trs principais, a saber: a medicina, a mecnica e a moral.