MANIFESTAÇÃO RELIGIOSA DA IGREJA CATÓLICA: A FESTA DE SÃO TIAGO NO MUNICÍPIO DE MAZAGÃO VELHO – AP

Ione Vilhena Cabral
Tatiane da Silva Cardoso
Roberto Carlos Amanajás Pena

INTRODUÇÃO

O presente trabalho intitulado – “Manifestação religiosa da igreja católica: a festa de São Tiago no município de Mazagão velho-AP” – deu-se a partir de alguns questionamentos e curiosidades a respeito desta festa. Além disso, poucos são os trabalhos voltados para essa temática, assim como a produção histórica do Amapá que também é escassa. Sendo assim, todos os anos de celebração da festa de São Tiago, os meios de comunicação falam a respeito da mesma, mas não dão ênfase para o assunto. Por outro lado, durante o decorrer do curso de Ciências Sociais muito se falou a respeito das comunidades tradicionais, como sua cultura, seus costumes, crenças, mitos, lendas, tradição, entre outros.
Como essas populações se caracterizam por preservar a sua comunidade e seu modo de viver, o mesmo observou-se na comunidade de Mazagão Velho que, durante mais de dois séculos, vem preservando e vivenciando os acontecimentos ocorridos ainda no continente africano, ou seja, a batalha entre cristãos e mouros, que se transformou numa festa para homenagear os santos Tiago e Jorge. Para os moradores desta comunidade estes teriam aparecido no continente africano somente com o objetivo de lutar ao lado dos cristãos que foram os vencedores da batalha.
Desse modo, o objetivo deste trabalho, em seu aspecto mais específico, é fazer um estudo sobre a manifestação religiosa da festa de São Tiago, ou seja, analisar as características do caráter sagrado imbricado com o caráter profano, bem como compreender qual o significado que a festa apresenta para os fiéis. Portanto, procurei entender e interpretar como esse evento cultural tradicional é capaz de ultrapassar o imaginário simbólico dos atores sociais que o presenciam, transportando os mesmos para vivenciarem uma guerra que remonta ao século XVIII.
Assim, a realização desse trabalho surgiu da necessidade de contribuir para o conhecimento dos moradores da comunidade e para futuras pesquisas, sejam antropológicas, sociológicas e especificamente no que tange os estudos religiosos. Um outro motivo que me conduziu a este estudo foi devido a algumas informações da festa e do município que recebi de uma amiga do curso de Ciências Sociais, já que esta esteve na comunidade e presenciou esta manifestação religiosa-foclórica. Então, os argumentos dela foram bastante convincentes e, além disso, a festa apresenta uma relevância importante dentro das discussões acadêmicas.
Como no Amapá as pessoas tem pouco acesso aos trabalhos sobre manifestações religiosas procurei direcionar meus estudos para essa temática, adequando-a as transformações do cotidiano. Entre os autores mais importantes para este trabalho, que permitiram uma leitura compreensiva dos aspectos abordados como: tradição, folclore, festas, crenças, entre outros, estão os trabalhos de SANTOS (1994), ORTIZ (1985), BRANDÃO (1982), VAN GENNEP (1978) e MORAIS (2003).
Diante disso, a pesquisa de campo foi realizada nos meses de julho e setembro de 2006. As informações foram obtidas junto aos moradores da comunidade (homens e mulheres) que participam direta e indiretamente da festa, com o responsável do Departamento de Cultura do município de Mazagão Velho e com o narrador da festa de São Tiago. Por outro lado, as informações colhidas na comunidade sobre a festa foram feitas com a utilização de técnicas, como as entrevistas, a observação participante, no período de realização da festa de São Tiago, utilizou-se, ainda, gravador, cadernos de anotações e câmera fotográfica.
Dessa forma, a localização da pesquisa de campo se deu no município de Mazagão Velho, distante 36km da cidade de Macapá e a 28km da sede do município de Mazagão Novo. O acesso à comunidade mazaganense faz-se, primeiramente, por transporte terrestre (carro, moto, bicicleta e ônibus), e, segundo, pelo fluvial, que se dá com a travessia das pessoas através de balsas, onde são atravessados dois rios, o rio Matapí e o rio Vila Nova, para, então, se chegar a Mazagão Novo e seguir em direção a Mazagão Velho novamente por via terrestre.
Diante disso, Mazagão Velho apresenta uma população de aproximadamente mil (1000) habitantes. O sistema educacional é composto por uma Escola Estadual de Ensino Fundamental Profª. Antônia Silva Santos, possuindo apenas três (03) salas de aula e um anexo da mesma. A comunidade dispõe, ainda, de um posto policial, um posto de saúde, uma creche denominada “Vó Olga”, um antigo museu (hoje é utilizado como ateliê de costuras das roupas “dos figuras”) 1, um centro da terceira idade Biló Nunes, onde ocorrem as reuniões da comunidade, a Igreja de Nossa Senhora da Assunção, os três barracões, entre eles está o principal que é o de São Tiago e o cemitério, onde neste ano foi construído dentro do mesmo um mausoléu que guarda os restos das ossadas encontradas pelos arqueólogos neste município. O atual prefeito do município de Mazagão é o Sr. José Carlos (conhecido como “Marmitão”) e o sub-prefeito de Mazagão Velho o Sr. Luís Fernando (conhecido por “Gavião”), ambos estão em exercício.
O primeiro contato na comunidade foi através das observações do local, tendo em vista que o município de Mazagão velho era uma experiência nova em minha vida, totalmente desconhecido. Ao chegar ao vilarejo, alguns moradores que estavam sentados na praça dirigiram seu olhar para mim pessoa e como se trata de uma comunidade pequena, logo as pessoas ficam sabendo quando tem pessoas de fora. Foi, então, que percebi o quanto eles são receptivos, pois onde passava era sempre cumprimentada, já que é costume deles dar “bom dia, boa tarde e boa noite” para as pessoas em qualquer horário. Quando iniciaram as pesquisas de fato e tive que passar de casa em casa entrevistando os moradores, imediatamente a notícia se espalhou pelo vilarejo e eles me convidavam para entrar, tomar um café e cheguei até a almoçar na casa de um deles. Mas, é importante ressaltar, ainda, que em uma ou duas casas que pedi para entrar e conversar, não queriam me ceder informações no início, mas, depois de explicar o objetivo de estar na comunidade, ficaram mais a vontade e concordara em dar a entrevista.
Na comunidade descobri que o sentimento de solidariedade e de parentesco entre os moradores é muito forte, conforme abordado por Wagley (1952), pois todos se conhecem, se visitam e constantemente trocam objetos e alimentos, existindo também um sentimento de cooperação, visto que as pessoas deste local sempre que vão até a roça, colhem a mandioca e a levam para a casa de farinha da comunidade e logo em seguida, passam avisando de casa em casa que já tem mandioca para os que já estão sem este produto, dizendo para irem até lá e fabricarem o que necessitam. Assim, os moradores produzem somente o necessário para sua sobrevivência, então, verificou-se que a economia da comunidade é pautada numa economia de subsistência.
Portanto, esse trabalho está divido em três capítulos: o primeiro, faz uma contextualização histórica sobre a origem da festa de São Tiago e do município de Mazagão Velho, abordando a persistência da festa que apesar dos avanços tecnológicos conseguiu se adaptar preservando seus elementos tradicionais. Mostra, ainda, através de uma etnografia, as encenações das batalhas entre cristãos e mouros feitas pelos próprios moradores da comunidade.
O segundo capítulo, trata do caráter sagrado e profano da festa, pois, para os devotos de São Tiago, ambos têm que coexistir para a participação dos turistas e dos moradores da comunidade nesta festa, culminando na devoção que eles têm em São Tiago pelo fato do mesmo ser muito “poderoso e milagroso”. Procuro abordar, ainda, a questão das festas profanas que ocorrem logo após o término do momento religioso e que são destinadas a animar, divertir e alegrar o público.
No terceiro e último capítulo, aborda-se o significado que a festa apresenta para os devotos de São Tiago, os benefícios que a mesma trás para a comunidade, bem como a participação masculina e feminina na festa, sendo que o envolvimento dos homens é maior que o das mulheres, tendo em vista que a festa de São Tiago narra a história de uma guerra que ocorreu entre cristãos e mouros no continente africano, na qual só os homens iam para o campo da batalha. Em função disso, as mulheres não podem participar das encenações do conflito, mas cooperam na limpeza das ruas, ornamentação da igreja e confecção das roupas dos personagens da festa, ou seja, permanecem apenas no domínio doméstico.

1 “dos figuras”, nome simbólico dado pelos moradores de Mazagão Velho as pessoas, neste caso, aos moradores da comunidade que representam São Tiago e São Jorge, assim como, os outros personagens que compõem a festa.

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados

El conjunto de métodos aplicados al conocimiento de la ciencia, derivan de la Epistemología, que es una rama de la filosofía. La Epistemología es la aplicación de los principios de la Teoría del Conocimiento, en este caso, al conocimiento de la ciencia Económica. Al dar comienzo a esta obra, postulo que la ciencia económica y, con ella, su método, es la más teñida por los intereses ideológicos.
Libro gratis
Congresos

9 al 23 de octubre
VI Congreso Virtual Internacional sobre

Arte y Sociedad: Paradigmas digitales

2 al 16 de octubre
I Congreso EUMEDNET sobre

Economía y contextos organizativos: nuevos retos

16 al 30 de octubre
II Congreso Virtual Internacional sobre

Migración y Desarrollo

1 al 15 de noviembre
II Congreso Virtual Internacional sobre

Desigualdad Social, Económica y Educativa en el Siglo XXI

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga