O TURISMO DE SAÚDE E BEM-ESTAR

Susana Maria Pereira da Silva

Os Programas Territoriais de Desenvolvimento


Nos vários planos e programas de desenvolvimento territorial das sub-regiões do Centro é evidente a importância do produto saúde e bem-estar e da sua revitalização enquanto fator de atratividade turística e desenvolvimento territorial1.

O turismo ocupa posição de destaque na estratégia de desenvolvimento desta região sobretudo no que diz respeito ao turismo de saúde e bem-estar através do recurso “estância termal”, ao reconhecer a riqueza da região em termos de recursos hidrominerais bem como a existência de estruturas de apoio à sua utilização que configuram um posicionamento privilegiado deste subsetor turístico no contexto nacional e ibérico.
Do programa destaca-se a Linha Estratégica 4 – Valorização de Recursos Territoriais Específicos,cuja ação incidena valorização dos recursos endógenos privilegiando territórios de baixa densidade associados a espaços específicos, tais como aldeias, áreas de serra, linhas de água, estâncias termais, entre outros.
Esta região possui um elevado número de complexos termais associados a propriedades terapêuticas diversas embora, muitos destes se encontrem abandonados, com unidades hoteleiras degradadas e insuficientes e alguns integrados em aglomerados urbanos degradados, contribuindo para a desvalorização do recurso, no contexto local e regional. Apesar de a maioria ter diversificado a sua oferta combinando várias possibilidades de fruição, alargando o período de funcionamento, coexistindo as valências saúde e lazer/bem-estar, a promoção dos serviços revela-se insuficiente.
Tendo em conta as potencialidades proporcionadas pelos recursos termais, as estâncias termais são enquadradas no Projeto Estruturante (PE) – Criação, reabilitação e requalificação de complexos termais,onde a reabilitação e requalificação daqueles complexos e dos aglomerados onde se inserem, bem como a divulgação e promoção integrada, são tomados como fatores impulsionadores do seu desenvolvimento e adequada valorização e promoção numa lógica regional.
As principais ações gerais definidas no âmbito deste projeto são:

Como intervenções complementares definiram-se a:

A concretização destas ações tem como margem temporal 2008-2012 e estima-se um investimento de 31.301.600 €.

O Baixo Mondego tem uma atividade turística bastante consolidada, contudo, reconhece-se um cenário de relativa dispersão e desconexão da oferta e da ausência de um fator de atratividade que por si só justifique um aumento exponencial de turistas. Neste sentido, segundo as orientações deste programa, o almejado desenvolvimento do setor terá que passar pela exploração da tendência de crescimento de novas procuras e públicos onde se insere o turismo de saúde e bem-estar, numa linha de valorização competitiva dos recursos endógenos.
A estratégia está materializada em 5 eixos estratégicos dos quais se destaca o Eixo III - Transformar o Baixo Mondego numa jazida sustentável de emprego e crescimento, assumindo o rio como mais uma forma de ligação entre os diferentes territórios, cuja ação é sustentada pelo património natural, histórico e cultural expresso na paisagem, nos produtos regionais e nas tradições, recursos encarados como potenciadores de novas formas de turismo.
Os recursos termais são enquadrados particularmente no objetivo específico 6, “Promover a integração do turismo e do lazer na valorização territorial - cultura, património e mundo rural” e por duas ações integradas.
Merece destaque a “Ação Integrada de Base Territorial Luso/Buçaco” que pretende o desenvolvimento de um destino complexo, um pólo de atividades ligadas ao turismo, saúde, beleza e bem-estar, aproveitando a marca Luso, a paisagem local (mata e palácio do Buçaco), as competências da Universidade, Hospitais e unidades de investigação de Coimbra, da hotelaria, comércio, equipamentos desportivos, I&D entre outros, e promovendo a cooperação com as outras unidades termais da região.
A AIBT Luso/Buçaco materializa-se em três eixos que contemplam essencialmente a componente da investigação e desenvolvimento associadas à beleza, a longevidade e vida saudável (destino inovador), a atração de empresas, indústrias e técnicos especializados da cosmética e dos produtos de beleza, e a oferta hoteleira na valorização de estadias de diferentes períodos com base nos produtos e serviços de bem-estar inerentes. É concretizada através de um conjunto de intervenções:

Esta ação, para o horizonte temporal 2008-2010, dispõe de um elevado investimento, 150.000.000 € dos quais 75.000.000 € provêm da iniciativa privada.

A Beira Interior Sul assume ser incipiente a atividade turística na região assente numa carência de recursos capazes de atrair um turismo de massas, pelo que, tem apostado na valorização dos recursos existentes e no desenvolvimento de alguns nichos de mercado criando alternativas económicas principalmente nas áreas rurais.
Neste contexto, enquadra os recursos termais no eixo “Consolidação e qualificação dos espaços sub-regionais” e encara-os, principalmente as termas de Monfortinho, como uma das “forças” do território enaltecendo a sua forte atratividade turística e reforçando-o como um destino de saúde e bem-estar. O investimento na reabilitação das termas, com um orçamento de dois milhões de euros, é tido como uma das grandes “oportunidades”, contudo, as ações delineadas no âmbito da requalificação urbana, estão classificadas, neste plano, como “intenções”.


1

De referir que o Programa Territorial de Desenvolvimento para a Sub-Região do Baixo Vouga e Programa Territorial de Desenvolvimento do Médio Tejo e Pinhal Interior Sul não fazem qualquer alusão aos recursos termais presentes nestes territórios e a quaisquer ações no sentido da sua revitalização e valorização.

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

17 al 31 de enero
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

15 al 28 de febrero
III Congreso Virtual Internacional sobre

Desafíos de las empresas del siglo XXI

15 al 29 de marzo
III Congreso Virtual Internacional sobre

La Educación en el siglo XXI

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga