O TURISMO DE SAÚDE E BEM-ESTAR

Susana Maria Pereira da Silva

Análise SWOT (strengths, weaknesses, opportunities and threats) do turismo de saúde e bem-estar/turismo termal na região TCP


Neste ponto realiza-se uma síntese integradora das análises efetuadas sobre a avaliação da situação de referência (Anexo I) e dos questionários, procurando identificar-se os principais fatores positivos e obstruentes suscetíveis de influenciar a revitalização e o desenvolvimento do produto de saúde e bem-estar, na vertente das estâncias termais, na região Centro.
A necessária análise mais global do produto de saúde e bem-estar é o mote para a análise realizada ao nível de cada estância, uma abordagem mais específica que permite descortinar as realidades singulares de cada unidade. O diagnóstico estratégico apresentado sob a forma de modelo SWOT (quadro 31) compreende uma matriz relacional de pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças, segundo uma vertente interna e externa, cuja leitura integrada permite evidenciar as vantagens competitivas, as potencialidades mas também as fragilidades e vulnerabilidades, constituindo-se como base da construção de um conjunto de objetivos e medidas adequados a cada realidade.
Esta matriz sugere a delineação de estratégias, de forma mais sustentada, que conduzam à maximização das oportunidades do ambiente, e construídas sobre os pontos fortes de cada unidade termal e à minimização das ameaças, bem como à redução dos efeitos dos pontos fracos das mesmas.
Não obstante um conjunto de elementos que são transversais à maioria das estâncias termais portuguesas, foram identificados um conjunto de elementos chave em cada um dos vetores da matriz SWOT que caracterizam de forma geral o produto de saúde e bem-estar na região TCP (quadro 32).
Esta região detém uma posição privilegiada no que diz respeito às propriedades medicinais das águas minerais, ricas e diversificadas, e à quantidade e dimensão das estâncias termais que aqui se localizam. O desenvolvimento do segmento de saúde e bem-estar que se tem vindo a consolidar nos últimos anos, a inserção em territórios historicamente e patrimonialmente ricos a vários níveis, assim como as ótimas acessibilidades, nomeadamente rodoviárias, constituem os principais pontos fortes.
Este conjunto constitui o ponto de partida para o aproveitamento das oportunidades que a realidade externa oferece sobretudo quando a região Centro se posiciona como prioritária para o desenvolvimento do turismo de saúde e bem-estar.
Assiste-se a uma preocupação crescente com a saúde e com o bem-estar, o que se traduz num aumento de clientes efetivos e potenciais com esta motivação. Note-se que a região Centro tem tido um crescimento médio anual de cerca de 23%, e tendo em conta que é um segmento que se encontra em fase embrionária nesta região, goza de uma margem de progressão muito grande. O facto de o Centro deter um conjunto de outros recursos e produtos que lhe conferem notoriedade turística e capacidade suficiente por si só para atrair clientes, constitui uma oportunidade para a construção de um produto completo e competitivo.
A Estratégia de Eficiência Coletiva - PROVERE, especificamente direcionada para a revitalização das estâncias do Centro constitui, neste momento, uma das principais e mais cruciais oportunidades das estâncias nomeadamente em termos de intervenções de requalificação das estruturas físicas, da organização e promoção assim como, a aposta na promoção cada vez mais eficaz por parte do TCP e o facto de se inserirem em ambiências paisagísticas naturais cuja exploração turística não está esgotada, muito pelo contrário, em alguns casos está mais do que subaproveitada, perfilam-se igualmente como grandes oportunidades do setor.
Contudo, é necessário apontar um conjunto alargado de constrangimentos internos. Pese embora as ações em curso e previstas ao nível da requalificação, alargamento e modernização dos estabelecimentos termais, subsistem exemplos de degradação e desadequação de infraestruturas e equipamentos às novas realidades e mercados podendo motivar a perda de clientes, de deficiência e até mesmo carência em termos de estruturas de apoio à atividade turística, nomeadamente do alojamento, do comércio, da restauração e animação turística, de promoção e divulgação do produto a nível nacional e internacional, de organização e integração num modelo compósito, de ser ainda incipiente a oferta do segmento de saúde e bem-estar, de predominar uma clientela doméstica, envelhecida, motivada pela cura e com fraca capacidade económica, e de haver dificuldades de captação de investimento para este segmento do produto, nomeadamente estrangeiro.
Este conjunto de fragilidades tende a agudizar e empolar os efeitos das ameaças que se verificam. A associação cada vez mais estreita do produto de saúde e bem-estar ao conceito de Spa e a urgência em dotar as estâncias termais de Spas por forma a manterem-se competitivas com outras ofertas, nomeadamente a dos hotéis, poderá motivar as estâncias termais a incorrer numa atitude de relegar progressivamente para segundo plano a vertente terapêutica, assim como a proliferação de Spas, como já foi referido, associados a outro tipo de oferta, poderá anular os argumentos das estâncias ao captar essa clientela.
A proximidade geográfica entre estâncias (pólo de Dão-Lafões) pode constituir uma ameaça à competitividade sustentável e sustentada se não houver cooperação e integração.
Em suma, são vários os pontos fortes que poderão elevar os níveis de competitividade das estâncias termais se forem aproveitadas todas as oportunidades que vêm surgindo a este setor e suprimidos os muitos constrangimentos que ainda se verificam.

 

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

17 al 31 de enero
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

15 al 28 de febrero
III Congreso Virtual Internacional sobre

Desafíos de las empresas del siglo XXI

15 al 29 de marzo
III Congreso Virtual Internacional sobre

La Educación en el siglo XXI

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga