BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales

OLHARES SOBRE O ESTADO DO TOCANTINS: ECONOMIA, SOCIEDADE E MEIO AMBIENTE

Yolanda Vieira De Abreu (editora)


 


Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (171 páginas, 3.06 Mb) pulsando aquí




4 - Resultados da pesquisa realizada com os funcionários do SINE/Palmas

4.1. Analise dos resultados das perguntas dos questionários destinados aos funcionários

O questionário proposto aos funcionários do SINE/PALMAS, objetiva conhecer a organização, seu funcionamento, procedimentos, preparação do corpo funcional e a eficácia da organização em relação ao apoio ao trabalhador em sua colocação e recolocação no mercado de trabalho e cada tabela deste subitem corresponde a uma pergunta do questionário Tabela 4.2: Sexo SexoQuantidade%Masculino0525Feminino1575Total 20100Fonte: Pesquisa de campo, 2008.

Pode-se constatar na tabela 4.2 que na unidade do SINE/Palmas, 75% dos funcionários entrevistados são do sexo feminino e 25 % do sexo masculino. A Tabela 4.3, mostra que 55% dos entrevistados, tem idade acima de 36 anos, 25 % entre 30 e 35 anos e 20% da faixa etária entre 18 e 29 anos. Infere-se que a maioria são os que estão a mais tempo no órgão, possuem mais experiência e um maior conhecimento do papel e função do SINE No entanto, a grande maioria dos funcionários não esteja conseguindo acompanhar o processo evolutivo do mercado de trabalho e suas inovações e tendências tecnológicas, chegando a ficar estagnados em seus postos de trabalho.

Quanto ao fator escolaridade pode-se notar o desejo destes em obter um diploma universitário. Porém, ainda muito há que se investir pelo próprio profissional, pois buscar sempre educação continuada, novas habilidades e conhecimentos e melhor formação humana, contribui para o bom desempenho de suas funções e conseqüentemente, para o SINE alcançar suas proposições. A Tabela 4.5 mostra que 95 % dos funcionários acreditam está ajudando na questão da inserção e reinserção de trabalhadores no mercado de trabalho. Apenas 5% dizem não acreditar em sua função de intermediação de emprego. Isto talvez se deva ao fato de desconhecimento às funções que lhe foram atribuídas.

Com relação aos resultados a pergunta da Tabela 4.8 é unânime a afirmação de que o treinamento proporcionou-lhe condições de definir o perfil do profissional. Infere-se que ter esta habilidade é fundamental para melhor atender o trabalhador na sua colocação/recolocação no mercado de trabalho, pois o SIGAE - que é o sistema utilizado para dar um suporte técnico, ou seja, fazer o cruzamento de dados - ajuda o funcionário fazer uma análise do perfil do candidato para avaliar se é adequado com a vaga a ser preenchida e sua utilização requer conhecimento e preparação contínua. Pode-se observar que na Tabela 4.10, a maioria dos entrevistados (85%) afirmam que o tempo é suficiente par identificar o profissional adequado e 15 % não concordam. Infere-se que o atendimento per capita é de 6 usuários por atendente, ou seja, são 23 funcionários que trabalham seis horas corridas e atendem em média 150 pessoas por dia como apto a atender o perfil desejado para a vaga.

5 Resultados da pesquisa realizada com o trabalhadores desempregados e com em empregadores do SINE/Palmas

5.1. Analise dos resultados das perguntas do questionário destinados aos trabalhadores desempregados que se candidataram a uma vaga no SINE/PALMAS.

O questionário que foi feito para ser respondido por trabalhadores que procuram os serviços do SINE/PALMAS para sua inserção/reinserção no mercado teve como objetivo conhecer suas expectativas em relação ao mercado de trabalho, identificar a qualificação e características do candidato e conhecer sua impressão/visão sobre a atuação da Instituição em estudo e cada tabela deste subitem corresponde a uma pergunta do questionário. Tabela 5.1: Sexo SexoQuantidade%Masculino3161Feminino2039Total51100Fonte: Pesquisa de campo, 2008. Observa-se na Tabela 5.1 que do total dos entrevistados 61% são do sexo masculino e 39% do sexo feminino. Infere-se que os homens são maioria na procura de colocação/recolocação no mercado de trabalho, em virtude da oferta de trabalho ser direcionada em maior parcela aos homens face às características das ofertas de vagas. Na Tabela 5.2, observa-se a faixa etária dos clientes do SINE/Palmas que do total de entrevistados 72% são da faixa etária entre 18 e 29 anos, 16% entre 30 e 35 anos, 2% entre 36 e 41 anos e 10% entre 42 e 47anos.

Observa-se que a maioria são jovens que estão a procura da primeira oportunidade de trabalho ou para se recolocarem, o que se enquadra no perfil atual do mercado de trabalho no Brasil. Porém, em Palmas por ser uma cidade nova, a maioria de sua população é composta de jovem, mulheres e homens adultos entre 18 e 41 anos. Quase não se tem idoso e adolescente ainda são poucos comparados com a maior parte da população. A Tabela 5.3 mostra que 50% dos trabalhadores entrevistados possuem o ensino médio completo e 22% o nível fundamental completo ou incompleto e somente 6% possui o nível superior completo. Portanto, o trabalhador que procura o SINE tem baixo nível de escolaridade. A pouca procura pelo SINE por universitários ou profissionais com qualificação de nível superior é em parte pela concepção difundida pela sociedade de que o SINE é um intermediador de mão-de-obra para profissionais com baixa escolaridade e pouca qualificação profissional (encanador, pedreiro, serviços gerais, etc), o que faz com que universitários e profissionais com nível superior procurem outros meios de encaminhamento ao mercado de trabalho.

O SINE, além do seu papel institucional, visando aumentar a sua gama de serviço, oferece cursos de captação profissional, voltados a atender jovem a procura do primeiro emprego, desempregados, trabalhadores sobre risco de desemprego e outros públicos prioritários (quilombolas, indígenas, assentados, trabalhadores rurais e etc.). Essas qualificações acontecem através do Plano Territorial de Qualificação - PLANTEQ, que disponibiliza recursos financeiros oriundos do Fundo de Amparo ao Trabalhador para os governos estaduais, que executam o plano de qualificação nos Estados e suas regiões.

A análise da Tabela 5.5 mostra que 84% dos entrevistados acreditam no SINE/Palmas e 14% não o vêem com credibilidade. Infere-se que o trabalhador quando procura esse órgão está bastante angustiado e depositam ali todas as suas esperanças, entendendo que o SINE é a sua única alternativa para resolver seu problema do desemprego. Conforme a Tabela 5.6, observa-se que a maioria dos entrevistados que procuram o SINE, ou seja, 67% estão satisfeitos com o atendimento e 29 % se mostraram insatisfeitos. Entende-se que o órgão apesar das relevantes mudanças no quesito atendimento, ainda precisa melhorar, pois o índice de insatisfação é bastante expressivo. A Tabela 5.7 mostra que 37 % afirmam que o SINE os auxiliou no cadastro de reserva, 27% diz que arruma um emprego, 18% que são orientados na colocação ao mercado de trabalho, 12% faz apenas o atendimento sem retorno algum e para apenas 2% oferece cursos e treinamentos

Infere-se que a missão principal do SINE é inserir e reinserir o trabalhador no mercado de trabalho criando oportunidade de desenvolver suas habilidades, adquirir conhecimentos profissionais e assim garantir sua posição no mercado de trabalho e o sustento de sua família. Porém, se manifesta aqui em apenas 27% dos desempregados tiveram sua situação resolvida com acesso ao trabalho e renda e 73% em uma situação de instabilidade e expectativa uma possível colocação.

Na Tabela 5.8, observa-se que da maioria dos trabalhadores entrevistados 33% afirmam que o SINE deve se aprimorar mais em buscar capacitação para o trabalhador, 31% deve indicá-lo para uma vaga de trabalho e 24% que se deve ter um acompanhamento ao trabalhador Está caracterizado que 57% precisam não só de emprego, mas também de capacitação e apoio para a manutenção ou para conquista do mesmo, aspectos estes, entre outros, que os entrevistados desejam que o SINE seja melhor.

Da Tabela 5.9, pode-se observar que do ponto de vista do trabalhador, 39% acham mais importante no SINE a colocação/recolocação no mercado de trabalho, 37% captar vagas nas empresas e 16% a orientação em relação ao mercado de trabalho.

Na Tabela 5.10, observa-se que dos entrevistados 50% pensam que para criar condições de empregar as pessoas o SINE deve visitar as empresas continuamente para captar vagas e oferecer emprego, 20% dar orientação coletiva, 18% conhecer a realidade pessoal e profissional dos trabalhadores e 12% criar novos escritórios de atendimento nos bairros. Está caracterizado que apesar das responsabilidades e o esforço do SINE é necessário uma atuação mais eficaz no que se refere ao trabalho de contato externo junto ao empresariado, mostrando-lhes tudo que o órgão tem a oferecer e estabelecendo parcerias. Segundo a Tabela 5.11, observa-se que 80% dos entrevistados não foram colocados ou recolocados pelo SINE e 20 % já se inseriram no mercado. Pode-se entender que os 80% que aguardam, não caracteriza falha do SINE e sim que alguns adentraram agora no órgão, outros não possuem perfil, ou melhor, qualificação para as vagas existentes no momento, outros ainda estão aguardando ser encaminhado a uma vaga. No entanto, seria um risco dizer que poucos se inserem no mercado, seria necessária uma análise de multifatores

Conforme dados da tabela 5.12 os entrevistados que já foram colocados no mercado, 60% permaneceu de 1 a 6 meses na empresa e 40% de 6 meses em diante

Nesta análise prevalece uma baixa permanência do empregado na empresa, ficando aqui caracterizado que a empresa não tem um bom sistema de seleção ou é muito vulnerável ao movimento do mercado externo, demitindo em períodos de curto tempo. Sendo neste fator o SINE pouco ou nada pode influenciar a não ser iniciar um processo de convencimento e visitas a empresas mais estáveis. Outro fator, é que grande parte dos trabalhadores desempregados que buscam o SINE/Palmas são demandantes de empregos sazonais como pedreiros, carpinteiros e outros.


Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Biblioteca Virtual
Servicios
 
Todo en eumed.net:

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet