BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales


FUNDAMENTOS DA MATEMÁTICA

Christian Q. Pinedo



Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (264 páginas, 1.49 Mb) pulsando aquí

 

 

4.3 TIPOS DE RELAÇÕES

4.3.1 Relação binária.

Definição 4.8 Relação binária.

Seja A=B dizemos relação binária, a toda relação entre elementos de A.

Segundo nossa definição R é uma relação binária sobre A, se R  A  A .

4.3.2 Relação reflexiva.

Definição 4.9 Relação reflexiva.

Seja R uma relação binária definida do conjunto A ; dizemos que R é reflexiva se, qualquer que seja o elemento x  A , o par (x, y) verifica a relação x = y .

Isto é, R é reflexiva se, e somente se,  x  A, (x, x)  R

Exemplo 4.15

Seja A = N e R a relação “. . . tem como quadrado a . . . “.

Esta relação não é reflexiva, observe que os únicos pares ordenados que satisfazem a relação são (0, 0) e (1, 1)

Exemplo 4.16

Seja A = N e R a relação x = y, x, y  N.

Os pares ordenados (0, 0), (1, 1) e (2, 2) , pertencem ao gráfico da relação R , então para todo x  N, (x, y)  R ; isto é R é reflexiva.

O gráfico de R contém os pares (x, x) , que é a diagonal do conjunto A2 .

Então R é reflexiva se, e somente se,  A2  G_ R .

Exemplo 4.17

Seja A um conjunto, consideramos o conjunto de partes P(A) , então a inclusão e a igualdade em P(A) são reflexivas.

Exemplo 4.18

1. Suponha o conjunto B = { x /. x é uma reta do plano } e a relação definida por:

R1 = { (x, y)  B  B /. x é paralela a y }

ela é reflexiva em B , pois toda reta é paralela consigo mesma; cumpre que (x, x)  R1  x  B .

2. Suponha o conjunto B = { x /. x é uma reta do plano } e a relação definida por:

R2 = { (x, y) B  B /. x é perpendicular a y }

ela não é reflexiva em B , pois toda reta não é perpendicular consigo mesma; não cumpre que (x, x)  R2  x  B .

4.3.3 Relação simétrica.

Definição 4.10 Relação simétrica.

Uma relação binária R , definida de um conjunto A , é simétrica se qualquer que seja o par (x, y)  R que verifica a relação, então o par (y, x) também verifica a relação.

De outro modo; uma relação R  A  A é simétrica se, e somente se, (x, y)  R  (y, x)  R,  (x, y)  R .

Exemplo 4.19

Sejam A = { x /. x é uma reta do plano } e a relação R = { (x, y)  A2 /. x é perpendicular a y } é simétrica em A , pois toda reta x que seja perpendicular a y , cumpre que y é perpendicular a x ; isto é, cumpre que (y, x)  R  (x, y)  R .

Exemplo 4.20

Em N a relação x = y é simétrica; isto do fato y = x .

Exemplo 4.21

Em N a relação “ . . . têm por quadrado a . . . “ não é simétrica, é suficiente observar que o par (3, 9) verifica, porém o par (9, 3) não satisfaz a relação.

4.3.4 Relação anti-simétrica.

Definição 4.11 Relação anti-simétrica.

Dizemos que uma relação binária R sobre A é anti-simétrica, se para todo (x, y)  R e (y, x)  R ; verifica a relação x = y

Isto é, R  A  A é anti-simétrica se, e somente se, [(x, y)  R  (y, x)  R ]  x = y

Exemplo 4.22

Seja P(A) o conjunto potência de A , a relação R = { (A, B)  P(A)2 /. A  B } é anti-simétrica.

Com efeito:

1. A  B e B  A  A = B . . . def. de 

2. Logo, (A, B)  R  (B, A)  R  A = B . . ( 1 ), def. de =

Portanto de ( 2 ), R é anti-simétrica.

Exemplo 4.23

A relação R = { (a, b)  R2 /. a  b } é anti-simétrica. Com efeito:

1. a  b e b  a  a = b . . . def. de 

2. Logo, (a, b)  R  (b, a)  R  a = b . . ( 1 ), def. de =

Portanto de ( 2 ), R é anti-simétrica.

Exemplo 4.24

Seja A = N e R a relação “. . . divide a . . . “.

Esta relação é anti-simétrica, observe que se x divide y e y divide x então, x = y .

4.3.5 Relação transitiva.

Definição 4.12 Relação transitiva.

Dizemos que uma relação binária R sobre A é transitiva, se para todo (x, y)  R e (y, z)  R verifica-se que (x, z)  R .

Isto é, R  A  A é transitiva se, e somente se, [(x, y)  R  (y, z)  R ]  (x, z)  R .

Exemplo 4.25

A relação R = { (a, b)  R2 /. a < b } é transitiva.

Com efeito:

1. a < b e b < c  a < c . . . def. de <

2. Logo, (a, b)  R  (b, c)  R  (a, c)  R . . . ( 1 ), def. de R

Portanto de ( 2 ), R é transitiva.

Exemplo 4.26

1. A relação de inclusão  é transitiva; isto do fato que se A  B  B  C  A  C

2. A relação de igualdade = em P(A) é transitiva.

3. Se R = { (2, 1), (1, 2), (1, 1), (1, 3), (4, 4) } , então R não é transitiva. Isto pelo fato (2, 1 )  R  (1, 3)  R , não implica que (2, 3)  R

4.3.6 Relação de equivalência.

Definição 4.13 Relação de equivalência.

Uma relação binária, definida em um conjunto A  , é relação de equivalência se, e somente se, ela é reflexiva, simétrica e transitiva.

Isto é; diz-se que um subconjunto R de A  A define uma relação de equivalência sobre A , se satisfaz as seguintes condições:

1. (a, a)  R para todo a  A .

2. (a, b)  R implica que, (b, a)  R .

3. (a, b)  R e (b, c)  R então (a, c)  R

Ao invés de falar de subconjuntos de A  A podemos falar de uma relação binária  (relação entre dois elementos de A ) sobre o próprio A , definindo que b esta relacionado com a se (a, b)  R .

Exemplo 4.27

Seja Z o conjunto de números inteiros. Dados a, b  A definamos ab se a-b for um número inteiro par. Verifiquemos que  define uma relação de equivalência em Z  Z.

Solução.

1. Do fato 0 = a - a é par, segue que a  a .

2. Para a  b tem-se que a - b é par, do fato b-a = -(a-b) tem-se que a - b também é par, portanto cumpre que b r a (é bem definido).

3. Se a  b e b  c , então tanto a - b e b-c são pares, logo a - c = (a - b) + (b - c) é par, assim a  c é bem definido.

Portanto,  define uma relação de equivalência em Z  Z .

Nossa definição de relação de equivalência podemos escrever na forma: 

Definição 4.14

A relação binária,  sobre A é dita uma relação de equivalência sobre A , se para qualquer elemento a, b, c  A tem-se que:

1. a  a .

2. a  b implica que, b  a .

3. a  b e b  c implica a  c .

A primeira destas relações é a reflexibilidade, a segunda simetria e a terceira transitividade.

O conceito de relação de equivalência é bastante importante e desempenha um papel central em toda a matemática.

Exemplo 4.28

A semelhança de triângulos é um exemplo de relação de equivalência

Isto significa que, se a, b e c são três triângulos semelhantes quaisquer, então verificam as três seguintes condições:

1. a é semelhante com a .

2. Se a é semelhante com b , então b é semelhante com a .

3. Se a é semelhante com b e, se b é semelhante com c , então a é semelhante com c .

Exemplo 4.29

Outro exemplo de relação de equivalência é a congruência de triângulos, as condições do (1), (2) e (3) do Exemplo (4.28) também verificam-se se substituímos a palavra “semelhante” por `”congruente”.

Observação 4.4

Se R é uma relação de equivalência, para traduzir que o par (a, b) verifica a relação R , podemos substituir a notação (a, b)  R por a  b mod R , e se lê `` a é equivalente a b módulo R ''

Logo, se a, b, c são elementos quaisquer de um conjunto A , e se R é relação de equivalência em A , tem-se:

•  a  A, a  a mod R

• a  b mod R  b  a mod R

• a  b mod R  b  c mod R a  c mod R

Exemplo 4.29

Seja A = Z . Considere em A = Z a relação binária R ``. . . a diferença de dois inteiros, é um múltiplo de 3”.

Esta relação é de equivalência pelo seguinte:

•  a A, a  a mod 3 , isto é a - a = 0 = 3k para algum k  N, logo é múltiplo de 3 . . . reflexiva

• a  b mod 3 , isto é a-b = 3r o que podemos escrever b - a = 3(-r) para algum r  N logo, b-a é múltiplo de 3 , assim b  a mod 3 . . . simétrica

• a  b mod 3 , isto é a-b = 3t para algum t  N e de b  c mod 3 , segue que b - c = 3s para algum s  N, logo a - c = (a - b)+ (b - c) = 3(t+s)  a - c = 3(t+s) para algum t+s  N, logo a-c é múltiplo de 3 e, a  c mod 3 . . . transitiva

Exemplo 4.30

Seja P o conjunto de proposições. A relação R = { (p, q)  P  P /. p  q } não é de equivalência.

Com efeito.

A relação é reflexiva; temos que p  p é verdadeira (tautologia)  p  P .

A relação é transitiva; lembre que ( p  q  q  r )  (p  r) é verdadeira (tautologia).

A relação R não é simétrica (p  q)  (q  p) não é tautologia.

Portanto, R não é de equivalência.

Exemplo 4.31

Se A = {, ,  } .

a. Defina em A , uma relação que seja simétrica e não reflexiva.

b. Defina em A , uma relação que seja transitiva e não simétrica.

c. Defina em A , uma relação que seja reflexiva e não seja simétrica nem transitiva.

Solução (a)

R1= { (,), (,), (,), (, ) , (, ), (,) }

Solução (b)

R2= { (i, ), (,), (, ) }

Solução (c)

R3= { (,), (,), (, ), (, ), (,) }

4.3.7 Relação inversa.

Definição 4.15

Seja R  A  B , a relação inversa de R denotada por R* é definida por: R* = { (b, a)  B  A /. (a, b)  A  B }

Exemplo 4.33

Sejam A = { 1, 2, 3 } e B = { a, b } e consideremos a relação R = { (1, a), (1, b), (3, a) } de A em B , logo a relação inversa de R é o conjunto R* ={ (a, 3), (b, 1), (a, 1) }

Exemplo 4.34

Se uma relação R é transitiva, então sua relação inversa R* também é transitiva?

Solução.

Sejam (a, b) e (b, c) elementos de R* , então (b, a)  R e (c, b)  R , como R é transitiva então (c, a)  R ; logo (a, c)  R* .

Portanto mostramos que se, (a, b)  R* e (b, c)  R* então (a, c)  R* ; a relação R* é transitiva.

Exemplo 4.35

Figura 4.5:

Que relação existe entre o domínio e imagem de uma relação R , e o domínio e imagem de sua relação inversa R* ?

Solução.

Como R* tem os mesmos pares que R na ordem inversa (de escrita), cada primeiro elemento de um par em R é o segundo elemento de um par em R* , e cada segundo elemento em R é o primeiro elemento em R* . Conseqüentemente, o domínio de R é a imagem de R* , e a imagem de R é o domínio de R* .

Exemplo 4.36

Seja a relação:

R = { (x, y)  R2 /. 4x2+9y2= 36 } .

Determine: a) O domínio de definição de R ; b) a imagem de definição de R ; c) a relação R*

Solução (a)

O domínio de definição de R é o intervalo [-3, 3] , uma vertical por cada um destes números contém ao menos um ponto de R.

Solução (b)

A imagem é o conjunto [2, 2] , uma horizontal por cada um destes elementos contém ao menos um ponto de R.

Solução (c)

A relação R* encontra-se se intercambiamos x e y no enunciado formal que define R , logo R* = { (x, y) / x  R, y  R, 9x2 + 4y2= 36 }

Exemplo 4.37

Seja R a relação nos números naturais N definida pelo enunciado formal 2x+y = 10 . Determine: a) O domínio e imagem de R. b) A relação R* .

Solução (a)

O domínio D( R) = { 0, 1, 2, 3, 4 } e a imagem Im( R) = { 0, 8, 6, 4, 2 }

Solução (b)

R*= { (x, y) /. x  N, y  N, x + 2y = 10 } ; isto é R* = { (8, 1), (6, 2), (4, 3), (2, 4) }

Exercícios 4-1

1. Determine os valores de x, y, z da seguinte igualdade entre os pares ordenados:

1. (x+1, 2)= (3, y+3) 2.(2x+3y, x-2y)= (1, 2)

3. (x+y, 3)=(5, y-x) 4. (2x+2y+3z, x+y+z ,x-y+z ) =(14, 5, 9)

5.(x+5, 3-y) =(7, 2) 6. ( , , ) = (1, 2, 3)

2. Suponhamos os conjuntos A = {1, 2, 3} e B = { 1, 5 } . Verifique as seguintes proposições:

1. A  B  B  A 2. (A  B)  B  A  (B  A) .

3 A  B = { (1, 1), (1, 5), (2, 1), (2, 5), (3, 1), (3, 5) } .

4. B  A = { (1, 1), (5, 1), (1, 2), (5, 2), (1, 3), (5, 3) } .

5. A^2  B^2 (A^2 = A  A e B^2 = B  B ).

3. Sejam A, B , C e D conjuntos quaisquer. Demonstrar:

1. (A  B)  C = (A  C)  (B  C) 3. (A - B)  C = (A  C) -(B  C)

2. (A  B)  (C  D) = (A  C) (B  D)

4. Mostre que: A  X e B  Y , se, e somente se A  B  X  Y , desde que A  B  .

5. Sejam A, B e C três conjuntos quaisquer. Demonstrar as seguintes proposições:

1. A  B = B  A se, e somente se, A = B ou ao menos um deles é o conjunto vazio.

2. Se (x, y)  A2 , então (y, x)  A2 .

3. A  B = A  C se, e somente se, B = C ou A =  .

4. (A  B)  C = A  (B  C) se, e somente se, ao menos um dos conjuntos A, B ou C é vazio.

6. Sejam os conjuntos A = { 1, 2, 3 } e B = { 2, 4, 5 } , analisar quais dos conjuntos Ri são relações de A em B .

1. R1 = { (1, 4), (1, 5) } 2. R2 = { (1, 4), (1, 7) }

3. R3 = { (1, 4), (1, 5), (3, 5) } 4. R4 = { } = 

5. R5 = { (1, 1), (2, 2), (2, 4) } 6. R6 = A  B

7. Sejam os conjuntos A = { 2, 3, 5 } e B = { 3, 6, 7, 10 } , analisar quais dos conjuntos Ri são relações de A em B .

1. R1 = { (x, y)  A  B /. x = y }

2. R2 = { (x, y)   N /. x = 2y }

3. R3 = { (x, y)  A  B /. x > 5 }

8. Sejam os conjuntos A = {0, 1, 2 } e B = {3, 2, 1 } , escrever em forma de conjuntos a relação de A em B definida por x = y ; para x  A e y  B .

9. Suponha os conjuntos A = { 3, 5, 8, 9 } e B = { 1, 3, 5, 7 } , escrever em forma de conjuntos a relação de A em B definida por:

1. x < y; x A e y  B 2. x  y; x  A e y  B

3. x = y; x  A e y  B 4. y + x = 4; x  A e y  B .

5. x é divisível por y; x  A e y  B .

10. Seja A = N , e a relação a = b , cujo gráfico é G_{A  A} = { (a, b)  N  N /. a = b } , construir uma relação binária definida sobre N .

11. Seja A = { 1, 2, 3 } . O os conjuntos A = { (1, 1), (2, 2), (3, 3) } e K = { (1, 2), (2, 3) } constituem gráficos de relações binárias sobre A , em tanto que o conjunto L = { (1, 5), (2, 3) } não. Por quê?

12. Dados os conjuntos A = { a, b, c } e B = { a, b, d } . Quais dos seguintes conjuntos são gráficos de relação entre elementos x  A e y  B ? Em cada caso dar o domínio e imagem.

1. R1 = { (a, a), (b, b), (c, c) }

2. R2 = { (b, c) }

3. R3 = { (a, d), (b, d), (d, a) }

4. R4 = { (b, a), (a, b), (c, c) }

5. R5 = { (d, a), (d, d), (b, d) }

13. Quais dos conjuntos do exercício anterior são gráficos de relação entre elementos x  B e y  A ?

14. Se A = { (3a+1) /. (a  N  a  3)  (a  Z  0  a <5 } . Calcule a diagonal de A  A . Construir o gráfico.

15. Se A = { x  R /. 2 < x < 5 } e B = { x  R /. 1 < x < 4 } . Construir o gráfico A  B ; logo B  A .

16. Se M = { x  R /. 2  x  5 } e N = { x  R /. 1  x < 4 } . Construir o gráfico de M  N ; logo N  M .

17. Seja R uma relação em A = { 2, 3, 4, 5 } definida pelo enunciado formal “x e y são primos relativos”.

1. Escrever R como conjunto de pares ordenados.

2. Representar R num diagrama de coordenadas A  A .

18. Seja A um conjunto qualquer e seja  A a diagonal de A  A . Que relação existe entre todas as relações reflexivas de A  A e A ?

19. Os enunciados formais que seguem, definem relações no conjunto R. Representar cada relação em um diagrama de coordenadas de R  R .

1. y < x2-4x+2 2. x < y2 3. y  +2 4. x  sen x

20. Seja A = { 1, 2, 3, 4 } e a relação Ri sobre A, para i = 1, 2, 3, 4 . Determine se a relação:

1. R = { (1, 1), (1, 3), (2, 2) , (3, 1), (4, 4) } é reflexiva.

2. R = { (1, 2), (3, 4), (2, 1) , (3, 3) } é simétrica.

3. R = { (1, 2), (3, 4), (2, 2), (3, 3), (2, 1) } é anti-simétrica.

4. R = { (1, 2), (4, 3), (2, 2), (2, 1) , (3, 3) } é transitiva.

21. Dado A = { 1, , 2, 3, 4, 5 } considere as seguintes relações em A :

1. R1 = { (1, 1), (1, 2) } 2. R2 = { (1, 1), (2, 2), (3, 3) }

3. R3 = { (1, 1), (2, 3), (4, 1) } 4. R4 = { (1, 3), (2, 4) }

Determine, quais dessas relações é: Reflexiva, simétrica, anti-simétrica ou transitiva.

22. Existe algum conjunto A no qual toda relação seja simétrica?

23. Mostre que se R e S são relações simétricas em um conjunto A , então R  S é uma relação simétrica em A .

24. Pode uma relação em um conjunto A ser simétrica e anti-simétrica?

25. Seja A = { 1, 2, 3 } . Determine se cada uma das seguintes relações em A é anti-simétrica.

1. R _1 = { (1, 1) } 2. R_2 = { (1, 2) } 3. R _3=A  A

4. R4 = { (1, 2), (2, 1), (2, 2), (3, 2), (2, 3) } 5. R5 = { (1, 1), (2, 3), (3, 2) }

26. Os seguintes enunciados formais definem cada um uma relação R no conjunto de números naturais N . Determine para cada caso se a relação é: a) Reflexiva. b) Simétrica. c) Transitiva. d) Anti-simétrica.

1. x é menor que y 2. x+y = 12 3. x e y são primos relativos.

4. x divide y 5. x + 4y = 12 6. x é menor ou igual que y

7. x é múltiplo de y 8. x vezes y é o quadrado de um número

27. Para cada umas das relações R do exercício anterior, determine um enunciado formal que defina a relação R*

28. Seja R = { (a, b)  R2 /. b  a } mostre que R é anti-simétrica.

29. Prove que em N a relação “x divide a y” é uma relação anti-simétrica.

30. Seja A = { 1, 2, 3 } . Dar um exemplo de uma relação em A que não seja simétrica nem anti-simétrica.

31. Quando uma relação R sobre um conjunto A é:

1. Não reflexiva? 2. Não simétrica?

3. Não anti-simétrica? 4. Não transitiva?

32. Estabelecer a verdade ou falsidade das seguintes proposições, supondo R e R* relações em um mesmo conjunto A .

1. Se R é simétrica, então, R * é simétrica.

2. Se R é anti-simétrica, então, R* é anti-simétrica.

3. Se R é reflexiva, então R  R*  .

4. Se R é simétrica, então R  R*  .

5. Se R é transitiva e R* é transitiva então R  R* é reflexiva.

6. Se R é transitiva e R* é transitiva então R  R* é reflexiva.

7. Se R é reflexiva e R* é reflexiva então R  R* é reflexiva.

8. Se R é anti-simétrica e R ^* é anti-simétrica então R  R ^* é anti-simétrica.

9. Se R é reflexiva e R* é reflexiva então R  R * é reflexiva.

10. Se R é anti-simétrica e R* é anti-simétrica então R  R* é anti-simétrica.


 

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Biblioteca Virtual
Servicios
 
Todo en eumed.net:

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet