REESTRUTURAÇÃO E PRIVATIZAÇÃO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO (1999)

REESTRUTURAÇÃO E PRIVATIZAÇÃO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO (1999)

Yolanda Vieira de Abreu

Volver al índice

 

 

6. Referências Bibliográficas

ANEEL: ABDO, J.M. A ANEEL e as perspectivas para o setor elétrico, Araraquara, Out. 98, Slides

BAJAY, S. V.; BEZERRA DE CARVALHO, E. Economia da energia. Curso CENÁRIOS, 1998.

______ Avaliação do desempenho do setor elétrico brasileiro no período 1981/92. apud Anais do II Congresso Brasileiro de Planejamento Energético –UNICAMP, dezembro de 1994.

BANCO MUNDIAL. La función del Banco Mundial en el sector de la eletricidad: políticas para efectuar una reforma institucional, regulatoria y financiera eficaz. Washington: Banco Mundial, 1993.

______ Relatório sobre o desenvolvimento mundial – 1994 – O Estado. Rio Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1994.

______ Relatório sobre o desenvolvimento mundial 1997 – O Estado. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1997.

BATISTA, P. N. O consenso de Washington. Caderno Dívida Externa. N. 6, São Paulo, 1994.

BATISTA JR., P.N. Mitos da globalização. São Paulo, IEA/USP, setembro 1997.

BAUMOL, J. W. Contestable markets: na uprising in the theory of industry structure.The American Review, n. 1., 1-15, march, 1982.

BELUZZO, L.G.M. Dinheiro e as transfigurações da riqueza. In: Poder e dinheiro: uma economia política da globalização, TAVARES M.C. e FIORI.J.L. (org), 2º ed., Petrópolis: Vozes, 1997.

BELUZZO, L. G. M., COUTINHO, L. G.; Política econômica, inflações e crise. In: BELUZZO, L.G.M.(org.). Desenvolvimento capitalista do Brasil, 3.ed. São Paulo, Brasiliense, 1983

BITU, R.; BORN, P. Tarifas de energia elétrica, Ed. MM, 1993.

BJORK, G. C. A empresa privada e o interesse público. Rio de Janeiro: Azhar, 1971.

BNDES., Cadernos de Infra-Estrutura: Setor de Energia Elétrica. Rio de Janeiro,1997 ______. Resultados do Programa de Privatizações In:www.bndes.gov.br , 22/04/98

______. Cadernos de Infra-Estrutura: Setor de Energia Elétrica. Rio de Janeiro, 1998.

BUKHARIN, N. L. A economia mundial e o imperialismo. São Paulo: Nova Cultura, 1986.

BRESSER PEREIRA, L. C. Estratégia e estrutura para um novo estado. Revista Economia Política, v.7, n. 3(67), p. 27, jul-set. 1997.

BEZERRA CARVALHO, E., Defesa da Concorrência no Setor Elétrico, Paper – In: apostila do Curso Cenários, 1998 ./USP/UNICAMP/EFEI .

CAMARGO NETO, F.P. As múltiplas facetas da concorrência. Jornal dos Economistas, março 1998.

CARVALHO, J. F. Desmembramento e privatização do sistema elétrico. Resumo de Exposição ao Conselho Diretor do Clube de Engenharia. Reunião Ordinária de 14 setembro. 1998.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo, Xamã, 1996.

CHOSSUDOVSKY, M. A globalização da pobreza. São Paulo: Moderna, 1999.

COOPERS & LYBRAND et alli (1997), Projeto de reestruturação do setor elétrico brasileiro: Relatório Consolidado Etapa IV-1 –Junho 1997¬MME/SEM/ELETROBRÁS

CORREIA, J.S.S. Diretrizes para regulação técnica da distribuição de energia elétrica no Brasil. (Tese de Doutorado), EPUSP, São Paulo, 1998.

DIAS, D.S; RODRIGUES, A P. A tarifação da energia elétrica em ambiente econômico desregulado e competitivo: alguns princípios e reflexões. Rio de Janeiro, Revista Pesquisa e Planejamento Econômico, v.26, nº1, abril 1996. ______. Regulação das indústrias de rede: o caso dos setores da infra-estrutura energética, São Paulo, Revista de Economia Política, vol. 7, nº 3 (67), ed.34, julho-setembro,1997.

DINHEIRO VIVO, Mudanças do Setor Elétrico Brasileiro, Notícias, 30/04/98, www.uol.com.br/advivo/energia..

DRAIBE, S. M. As políticas sociais e o neoliberalismo. Revista USP, São Paulo, CCS/USP, n. 17, p. 93, 1993.

DRUMMOND, C. Fora de medida. Revista Carta Capital. N 75, v. 3, 10 jun. 1998.

EIA/USA. www.eia.doc.gov/emeu/pgem/chap5.html. Privatization and the genesis of the multinational power company. 4 jan. 1996.

ELETROBRAS/MME/DNAEE. Novas tarifas de energia elétrica, 1985.

______ Histórico, www.eletrobrás.gov.br

FUNDAP. Fundação do Desenvolvimento Administrativo. Projeto PNUD/IPEA/ FUNDAP, n. 800-1040. Perspectivas da reestruturação financeira e institucional do Setor Elétrico brasileiro. Relatório Final. São Paulo, maio, 1997.

FIORI, J. L. Os moedeiros falsos. Petrópolis: Vozes, 1997.

______. Globalização, hegemonia e império. In: Poder e dinheiro: uma economia política da globalização, TAVARES M.C. e FIORI.J.L. (org), 2º ed., Petrópolis: Vozes, 1997.

FORBES, L.F. Mercados futuros: uma introdução, São Paulo: Bolsa de Mercadorias & Futuros, 1994

FFRENCH-DAVIS, R. ; GRIFFITH-JONES, S. Os fluxos financeiros na América Latina: um desafio ao progresso. São Paulo, Moderna: 1999.

GOLDEMBERG, J. et al. Energia para o desenvolvimento. São Paulo, T.A Queiroz,1998.

GOMES, R. O papel do ONS no novo modelo setorial, Curso CENARIO’s, aula do dia 22.04.99, Slides, IEE/USP, UNICAMP,EFEI.

GORESTIN,B.G. Interação entre a geração distribuída e o sistema interligado. São Paulo, maio 1998. Palestra proferida no Seminário sobre Co-Geração e Geração Distribuída. Maio, 1998.

HILFERDING, R. O capital financeiro.São Paulo, Abril S.A. Cultural,1985.

HIRSCHMAN, A. Saída, voz e lealdade. São Paulo, Perspectiva, 1973.

HOBSON, J.A. A evolução do capitalismo moderno. São Paulo, Nova Cultura, 1985.

HUNT, S.; SCHUTTLEWORTH, G. Competition and choice in electricity. John Wiley & Sons, 1996.

ILUMINA, Economia, www.ilumina.org.br, várias datas.

INEE. Instituto Nacional de Eficiência Energética. Fórum de Co-Geração. Seminário Co-Geração & Geração Distribuída, 14-16 de maio de 1998.

INFORM ANDES, março/abril/1999, n.º 90, Seminários antecedem plenárias do Congresso. A globalização, o neoliberalismo, o desemprego e a crise fiscal. UnB-DF, 1999,p.5

KOTLER, P. et al. O marketing das nações. Ed. Futura, 1997.

LABINI, P.S. Oligopólio e progresso técnico. São Paulo, Abril Cultural, 1984.

LEMOS, A.J., SCHIMURA L.G., Associação entre empresas e a legislação antitruste: o caso brasileiro. São Paulo. Revista Brasileira de Economia, v.52,fev./98, F.G.V. , 1998

LILIENTHAL, D. TVA: a democracia em marcha. 2. Ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1972.

MARAGON LIMA, J.W. Serviços ancilares: desafios para a operação em ambientes competitivos. In: Apêndice B, Módulo 7, Transporte e entrega de energia elétrica. Cursos Cenários 98, São Paulo, IEE/USP, UNICAMP,EFEI, v.2, jan. 1998.

MEDEIROS, A. R., O Capital Privado na Reestruturação do Setor Elétrico Brasileiro, RJ –1993, In: História & Energia, ano 1996, Departamento de Patrimônio Histórico da Eletropaulo.

MESQUITA, A. Estados e Descentralização da ANEEL, out. 1998, Brasilia-DF.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, CADE, www.mj.gov.br/sde

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA, Projeto RE-SEB- II Workshop – O novo modelo do setor elétrico brasileiro, slides -www.mme.gov.br/Sen

MUNHOZ, D. G. Os déficits e o reordenamento das finanças públicas. In: LOZARDO, E. (org.). Déficit Público: políticas econômicas e ajustes estruturais. São Paulo, Paz e Terra, 1987.

NAPOLEONI, C. O pensamento econômico do século XX. São Paulo, Círculo do Livro, 1963.

OLIVEIRA, A. Co-Geração & Geração Distribuída. Palestra proferida no Seminário Co-Geração & Geração Distribuída, São Paulo, INEE, 14 de maio,1998.

O novo processo de formação e regulamentação de preços do setor elétrico. Eletricidade Moderna, v. 26, n.289, p. 80-95, abr. 1998. / Transcrição e edição de palestra e debate apresentados no Congresso Enershow 97, São Paulo 1998.

PORTER, M. E. Estratégia competitiva. 14.ed. Cidade: Camus, 1986.

PROJETO PNUD/IPEA/FUNDAP N.º 800-1040. Perspectiva da reestruturação financeira e Institucional do setor elétrico brasileiro. Relatório final, São Paulo, 1997.

PUTTINI, H. Fiscalização do setor de transporte de energia elétrica, In: Curso CENÁRIO’s, Módulo Transporte de Energia Elétrica, aula do dia 23/04/99.

RAMOS, D.S. Comercialização de energia elétrica. Palestra: Curso Cenários,

São Paulo: IEE/USP, 25 nov. 1998.

______. Caracterização do novo ambiente do setor elétrico. Paper, 1998.

______ Planejamento e operação de transmissão e o novo modelo para o setor elétrico.In: Curso CENÁRIO’s, Módulo Transporte de Entrega de nergia Elétrica, Janeiro, 1998.

RAMOS , F. O comercializador e a venda de excedente de eletricidade. Seminário Co-Geração & Geração Distribuída, INEE, 15 maio de 1998.

REALI, M. Fórum Roberto Simonsen. São Paulo, 1997. História & energia. Departamento de Patrimônio Histórico da Eletropaulo, 1997.

ROSA, L.P., TOLMASQUIM, M.T., PIRES, J.C.L. A reforma do setor elétrico no Brasil e no mundo: uma visão crítica. Relume Dumará, 1998.

ROSS, S.; WESTERFIELD, R.W.; JAFFE, J.F. Administração Financeira Corporate Finance. São Paulo, Atlas, 1995.

SAFATLE, A. Mercados de ações: penhoradas e lascadas. Revista Carta Capital, n.1 v. 4 fev. 1999.

SANTOS, A.H.M. A geração descentralizada no Brasil, Perspectivas. Seminário Co-Geração & Geração Distribuída, INEE, 15 maio de 1998.

SHEPHERD, W. G. Contestability vs. competition. American Economic Review, n. 7, Sept. P. 572-587, 1984

SCHREIBER, G.P., Usinas Hidrelétricas, São Paulo, Edgard blucher Ltda; Rio de Janeiro, Engevix S.A, 1977 .

STEINDL, J. Maturidade e estagnação no capitalismo americano. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

TAUTZ, C. A lei das águas e o setor elétrico. Revista Brasil Energia, n. 206,

dez. 97/jan. 98.

______. Tá caro! Revista Brasil Energia, n.213, ago./98.

TAVARES DE ARAÚJO JR., J. Contestabilidade e integração econômica no

Hemisfério Ocidental. Revista de Economia Política, v. 16, n.4(64), out.-dez

1996.

TOLMASQUIM, M. ; PIRES, J.C.L, Tarifas no Brasil e no Mundo, Revista Brasil Energia, n.213,ago.1998.