USO EFICIENTE DA ÁGUA: ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

USO EFICIENTE DA ÁGUA: ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

Organizador: José Dantas Neto

Volver al índice

 

 

3 O USO EFICIENTE DA ÁGUA: DISCUTINDO ALGUNS PRINCÍPIOS

Segue considerações sobre alguns princípios do uso eficiente da água tomando como referência Tate (1991) in Versalo (1991). Falar de princípios do uso eficiente da água implica discutir algumas dimensões que necessitam serem levadas em consideração quando realmente se quer alcançar a eficiência no uso desse bem tão precioso para a humanidade. As dimensões envolvidas no sentido de se alcançar a esperada eficiência seriam: as dimensões físicas; as dimensões econômicas; as dimensões sociais; as dimensões tecnológicas; as dimensões do meio ambiente; as dimensões valorativas. Segue considerações sobre cada uma dessas dimensões de acordo com o autor supracitado.

As dimensões físicas da água fala sobre os parâmetros que estão inseridos no ciclo do uso da água em toda atividade, quais sejam: o uso bruto da água, que seria a quantidade total de água utilizada para concluir uma determinada atividade, por sua vez, é composto por dois parâmetros, o influxo e a recirculação, sendo o primeiro formado pela quantidade de água nova usada para a operação e a recirculação significa a quantidade de água utilizada anteriormente na atividade; a descarga, seria a quantidade de água que é possível sair da atividade ou processo e por fim o consumo, sendo representado pela quantidade de água consumida durante o processo.

As dimensões econômicas conforme Tate (1991) representam fatores de fundamental importância no que se refere ao uso da água, bem como de sua eficiência. Esse autor faz referência aos economistas no sentido de aclarar que os fatores de produção: terra, trabalho e capital encontram-se inseridos em todas as atividades de produção, sendo dessa forma apropriados em discussões que falam da eficiência do uso da água, uma vez que os mesmos se combinam para a produção de produtos de consumo, sendo que esse arranjo vai depender de seu preço relativo, sendo que esse preço vai depender da eficiência presente no modo como esses fatores foram combinados. Dessa forma, a busca por um preço acessível implica por incentivar ao uso eficiente dos recursos naturais que encontram-se inseridos no fator terra, em especial a água como elemento fundamental na produção dos bens.

As dimensões sociais encontram-se representadas pelos efeitos dos gostos e das preferências sociais; dos efeitos da educação pública; alguns dos efeitos dos arranjos legais; os efeitos dos direitos de propriedade; os efeitos das políticas de governo. Segue considerações sobre cada uma dessas dimensões.

Os gostos e as preferências sociais estão ligados à cultura de uma região no sentido de se utilizar a água de forma abundante. Por exemplo, algumas regiões desenvolvidas do planeta para garantir uma jardinagem sempre verde, esbanjam água, mesmo apresentando escassez desse recurso. Entretanto, em regiões mais áridas, essa forma tradicional da prevalência da grama verde nos jardins tem sido substituída pela jardinagem ornamental e xerófitica, essa mudança de atitude implica em economia no uso da água.

A educação pública é de extrema importância no sentido de fazer com que se aceite a eficiência no uso da água sem resistências. Faz-se necessário que o conteúdo relativo aos recursos hidráulicos já esteja inserido no ensino formal, dessa forma é natural a incorporação pelos alunos. Nesse caso o autor também faz referência aos benefícios econômicos que podem ser alcançados quando se tem por objetivo o uso eficiente da água, uma vez que essa atitude pode se refletir em tarifas menores, por exemplo.

Os sistemas legais também representam uma forma de se alcançar uma eficiência no uso dos recursos hídricos. Segundo o autor grande parte dos países se utilizam de sistemas de códigos de construção, onde fixam normas mínimas que devem ser observadas em construções novas ou de renovação. É importante frisar que estas normas, quando necessário, devem ser modificadas no sentido de se promover o uso eficiente da água.

Quanto aos direitos de propriedade o autor sinaliza no sentido de evidenciar que a propriedade privada em relação aos recursos hídricos se sobrepõe como forma de permitir a utilização racional do uso da água.

As dimensões tecnológicas representam um aspecto fundamental a ser levado em consideração quando do uso eficiente da água. O avanço da tecnologia tem propiciado a expansão dos recursos disponíveis, a exemplo do incremento da produção de alimentos em espaços restritos. O autor através de uma análise da demanda e da oferta em relação a utilização dos recursos, conclui que a demanda tem se reprimido devido ao desenvolvimento tecnológico, diminuindo assim nossa dependência em relação a utilização de recursos específicos para objetivos específicos como a utilização da madeira para construir edifícios e barcos, uma vez que existe uma abundância de materiais para serem utilizados para um mesmo fim. Essa variedade de materiais contribui para práticas de preços menores, que por sua vez devem estar atreladas a minimização de custos, que por sua vez gera eficiência no processo produtivo, que acabarão por se traduzir um uso eficiente na utilização dos recursos hídricos.

As discussões em relação às dimensões do meio ambiente chama a atenção para o fato de que a quantidade e a qualidade da água devem estar intimamente relacionadas, uma vez que qualquer decisão tomada para a obtenção de eficiência no uso da água pode trazer implicações sobre a qualidade da água e vice-versa. Assim, os critérios para se alcançar uma eficiência no uso da água devem estar diretamente relacionados com a sua respectiva qualidade, isso pode levar a uma sustentabilidade desse recurso no longo prazo. [Grifos nossos].

Em relação às dimensões avaliativas da eficiência no uso da água estas devem pautar-se por critérios de avaliação técnica; avaliação econômica; avaliação financeira e avaliação social-política-institucional. Dessa forma, tem-se uma visão ampliada do uso eficiente da água sob diversos aspectos, o que poderá contribuir para se atingir o princípio da equidade nos espaços geográficos onde se busca a eficiência para os recursos hídricos.