USO EFICIENTE DA ÁGUA: ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

USO EFICIENTE DA ÁGUA: ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

Organizador: José Dantas Neto

Volver al índice

 

 

2.4 MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA EM EDIFÍCIOS

Em edifícios residenciais com medição coletiva de água o consumo médio mensal para um apartamento pode ser até 40% superior do que em uma residência térrea. Pois o sistema de medição e pagamento pelo consumo da água não incentiva o seu uso racional e, em alguns casos, provoca desavenças entre os condôminos.

A medição individualizada tem como principal objetivo induzir o usuário a uma postura de uso racional de água, e combater o desperdício de água nos condomínios residenciais de forma justa e satisfatória a todos os condôminos. Consiste na instalação de um ou mais medidores em cada unidade condominial, de modo a obter o consumo individual e emitir as contas correspondentes (diretamente pela concessionária ou pelo condomínio do edifício (Figura 7). O PNCDA, através de Documento Técnico “Tecnologias Poupadoras de Água nos Sistemas Prediais” afirma que as medições individuais em condomínios podem também contribuir como medição de controle do desperdício, pois a responsabilidade sobre o consumo com influência direta na conta de água tem impacto na redução do volume de água consumido.

A Alemanha foi um dos países pioneiros a utilizar esse sistema. A Norma Alemã DIN 1988 – Parte II fala em seu Item 9.3: “Em edificações com mais de uma família (prédios de apartamentos) deve-se prever a instalação de hidrômetro em cada unidade habitacional.” No Brasil muitas cidades e municípios já têm regulamentado a exigência de instalação de hidrômetros em apartamentos, como é o caso da cidade de Recife, Campinas e o Distrito Federal, sendo essa regulamentação mais incentivada por solicitação dos moradores e redução do índice de inadimplência do que pelo incentivo à racionalização da água propriamente dito.

Dentre as principais vantagens da adoção desse sistema citadas por Coelho (2002) podemos destacar:

• Redução do pagamento pelo consumo da água em até 50% para as unidades residenciais e de até 30% para o edifício como um todo;

• Maior satisfação do usuário, pois passa a pagar a conta de água proporcional ao seu próprio consumo, deixando de pagar pelo desperdício dos outros;

• Maior facilidade de detecção de vazamentos internos nos apartamentos.