Tesis doctorales de Economía

 

TURISMO, CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO: UMA ANÁLISE URBANO-REGIONAL BASEADA EM CLUSTER

Jorge Antonio Santos Silva

 

 

 

Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse la tesis completa en PDF comprimido ZIP (480 páginas, 2,35 Mb) pulsando aquí

 

 

 

 

INTRODUÇÃO

O turismo caracteriza-se por ser um fenômeno multisetorial e multidisciplinar. Essas condições, se por um lado são extremamente positivas, pois possibilitam contribuições teóricas e práticas de diversos matizes, que enriquecem o conhecimento do fenômeno em si, por outro lado resultam em sérias dificuldades em nível de delimitação conceitual e metodológica, quando se pretende analisar não a totalidade complexa do turismo, mas, de modo específico, a sua consideração sob um determinado enfoque ou âmbito, disciplinar, espacial e setorial.

Tal sucede quando se busca analisar o turismo como atividade econômica e a sua relação com o processo de desenvolvimento regional, incluindo aportações oriundas da economia e da geografia. Desenvolvimento econômico, geografia econômica, economia espacial, análise urbano-regional do desenvolvimento socioeconômico, constituem-se em áreas do conhecimento às quais recorreu o autor desta tese para, estabelecendo links entre elas e o turismo, alcançar o objeto ao qual se propôs.

O objeto deste trabalho consiste em analisar se o turismo, enquanto atividade econômica, apresenta condição de atuar como motor do crescimento e do desenvolvimento regional e, em caso afirmativo, sob que modelo teórico-metodológico, estrutura e configuração tal condição se concretizaria.

Nos anos 1990, difundiu-se no meio acadêmico, a partir dos estudos de Michael Porter, o conceito de cluster, vinculado à noção de competitividade das nações como derivada da competitividade das empresas instaladas no território nacional, localizadas em concentrações geográficas delimitadas, dentro desse território, e compartilhando, em grupos, as externalidades positivas decorrentes das chamadas economias de aglomeração. A este conceito, que nesta tese será mais referido como “agrupamento”, Michael Porter atrelou um aparato metodológico que ganhou o crédito de, inclusive, pretender constituir-se em um novo modelo de desenvolvimento regional.

Com estreito e indissolúvel vínculo ao objeto acima referido, se procurará analisar se o conceito de cluster, bem como o de cadeia produtiva, aplica-se-se apropriadamente à atividade do turismo, e, em caso positivo, se o “cluster de turismo”, ou seja, um agrupamento de empresas que têm como atividade nuclear o turismo, corresponderia à estruturação e configuração de um modelo de desenvolvimento regional, a partir da atividade turística.

Ainda para atender ao objeto desta tese, um outro tema nela enfatizado e de conteúdo diretamente relacionado ao conceito de cadeia produtiva refere-se à noção de “fugas” ou “vazamentos” da economia de uma determinada região, decorrente do suprimento de inputs necessários ao funcionamento da estrutura produtiva dessa economia a partir de fornecedores de bens e serviços localizados fora da região, representando a realização de importações e a conseqüente remuneração de agentes exógenos, o que atua no sentido de mitigar os resultados econômicos da atividade turística que seriam retidos localmente.

A competitividade e sustentabilidade do desenvolvimento turístico de base endógena, preconizaria, portanto, o enraizamento ou internalização da produção de tais inputs, implicando no adensamento e ampliação dos encadeamentos setorias, a montante e a jusante, que compõem a estrutura produtiva da economia dessa região.

Neste sentido, realizou-se um levantamento, em nível exploratório e preliminar, junto à hotelaria de Salvador, capital do Estado da Bahia, procurando constatar a ocorrência de vazamentos, bem como evidenciar variáveis influenciadoras e áreas por onde os recursos estariam vazando, relacionadas diretamente a problemas e dificuldades com fornecedores locais e em função do tamanho dos estabelecimentos e da propriedade do capital, se local ou de cadeias nacionais e internacioanais.

Para o alcance do objeto da tese, além do trabalho empírico realizado, se procedeu a uma extensa revisão bibliográfica em fontes primárias e secundárias.

O estudo realizado possibilitou concluir-se que para regiões deprimidas economicamente a atividade turística pode atuar como indutora de crescimento econômico, mas por si só, não reúne condições de promover o desenvolvimento econômico regional.

O modelo de cluster, na concepção porteriana “pura” marcadamente empresarial e microeconômica, caracterizado pela presença de grandes indústrias e de dimensão nacional, com elevada amplitude e alto nível de agregação, não se aplica apropriadamente ao turismo e não pode ser tomado como uma estratégia de desenvolvimento regional.

O agrupamento que tem o turismo como atividade nuclear, cujo foco é o destino turístico entendido como um microcluster, caracterizando-se pela delimitação da amplitude geográfica do seu entorno espacial, do âmbito territorial de abrangência do próprio agrupamento, do segmento turístico principal e dos sub-segmentos relacionados, bem como do próprio mercado alvo, corresponde à configuração de cluster de turismo que reúne as condições de promover e modelar estratégias de crescimento e desenvolvimento para micro-regiões ou zonas turísticas. Desta forma, se alcançará e sustentará o desenvolvimento regional, como resultado da interação entre a função de especialização – o turismo e o território – o destino turístico e seu entorno próximo.

Esta tese, além de sua introdução, estrutura-se em quatro capítulos, e mais a conclusão, referências e anexos. O primeiro capítulo aborda os aspectos conceituais do crescimento e do desenvolvimento regional, tratando dos conceitos econômicos e geográficos que referem-se à questão regional e dos modelos de crescimento e desenvolvimento regional. O segundo capítulo reporta-se à “Teoria dos Aglomerados”, caracterizando os seus antecedentes conceituais originados na economia e na geografia econômica, explicitando a abordagem de Michael Porter e o seu conceito de cluster e passando em seguida a analisar outras abordagens sobre os conceitos e práticas de cadeias e clusters. O capítulo 3 traz todo o referencial teórico trabalhado nos capítulos anteriores em sua ligação com o turismo, ou seja aborda o turismo face o desenvolvimento regional e a “Teoria dos Aglomerados”. Neste capítulo se delineia o enquadramento econômico do turismo, a aplicação do conceito do multiplicador, a dimensão territorial do desenvolvimento turístico e a localização das atividades turísticas, tratando-se na sequência da aplicação dos conceitos de cadeias e de clusters à atividade do turismo. Por fim, o capítulo 4 apresenta o trabalho empírico realizado, descrevendo-se a metodologia empregada e os resultados alcançados.

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Biblioteca Virtual
Servicios
 
Todo en eumed.net:

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet