Tesis doctorales de Economía

 

TURISMO, CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO: UMA ANÁLISE URBANO-REGIONAL BASEADA EM CLUSTER

Jorge Antonio Santos Silva

 

 

 

Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse la tesis completa en PDF comprimido ZIP (480 páginas, 2,35 Mb) pulsando aquí

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

ABLAS, Luiz A. de Q. Efeitos do turismo no desenvolvimento regional. Turismo em Análise, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 42-52, maio 1991.

ABLAS, Luiz A. de Q.; CZAMANSKI, Stan. “Agrupamentos” e complexos industriais: uma revisão de métodos e resultados. In: COMUNE, Antonio E. et al. Economia urbana: localização e relações intersetoriais. São Paulo: IPE-USP, 1982. (Série Relatórios de Pesquisa, 9)

AGARWALA, A. N., SINGH, S. P. (Coord.). A economia do subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Forense, 1969.

AKTOUF, Omar. Governança e pensamento estratégico: uma crítica a Micahael Porter. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v.42, n. 3, p. 43-53, Jul./Set. 2002.

ALBAGLI, Sarita; MACIEL, Maria L. Capital social e desenvolvimento local. In: LASTRES, Helena M. M.; CASSIOLATO, José E.; MACIEL, Maria L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003. p. 423-440.

ALBAGLI, Sarita; BRITTO, Jorge (Org.). Glossário de arranjos produtivos locais. Projeto Políticas de Promoção de Arranjos Produtivos Locais de MPMEs. Rio de Janeiro: UFRJ/RedeSist, 2003. (www.ie.ufrj.br/redesist)

ALMEIDA, Paulo H. Pequena empresa e desenvolvimento local: os limites da abordagem competitiva. In: FISCHER, Tânia (Org.). Gestão do desenvolvimento e poderes locais: marcos teóricos e avaliação. Salvador, BA: Casa da Qualidade, 2002. p. 245-260.

ALVES, Manuel Brandão. A formação dos sistemas urbanos. COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002. p. 123-157.

AMARAL FILHO, Jair do. É negócio ser pequeno, mas em grupo. Fortaleza: [s.n.], 2002. 21 f.

. A endogeneização no desenvolvimento econômico regional e local. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília – DF, n. 23, p. 261-286, junho 2001.

AMORIM, Mônica Alves. Clusters como estratégia de desenvolvimento industrial no Ceará. Fortaleza: Banco do Nordeste, 1998.

ANDRADE, Manuel Correia de. Espaço, polarização e desenvolvimento: uma introdução à economia regional. São Paulo: Atlas, 1987.

ARMELLINI DI SANTI, M. Mauricio; ISABELLA REVETRIA, Fernando R. Turismo receptivo em Uruguay: uma evaluación del aporte al producto, el empleo y las remuneraciones. Montevideo, 2003. Mimeografado.

AZZONI, Carlos Roberto. Desenvolvimento do turismo ou desenvolvimento turístico. Reflexões com base em duas regiões atrasadas em São Paulo. Turismo em Análise, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 37-53, novembro 1993.

BAHIA (Estado). Companhia de Desenvolvimento do Recôncavo. Plano de Turismo do Recôncavo: resumo. Salvador: CONDER, 1970.

BANCO DO NORDESTE. O Setor Turismo. Fortaleza: Banco do Nordeste / ETENE, 2000. (Estudos Setoriais, 10).

BARBOSA, Maria A. C.; ZAMBONI, Roberto A. Formação de um “cluster” em torno do turismo de natureza sustentável em Bonito – MS. Brasília: IPEA, 2000. (Texto para Discussão nº 772). Mimeografado.

BARRETO, Margarita; REJOWSKI, Mirian (Org.). Turismo: interfaces, desafios e incertezas. Caxias do Sul; RS: EDUCS, 2001.

BARROS, Alexandre Rands. Raízes históricas das idéias que subsidiam as políticas de clustering. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 22, n. 1 (85), p. 131-149, janeiro-março/2002.

BENI, Mario Carlos. Globalização do turismo: megatendências do setor e a realidade brasileira. São Paulo: Aleph, 2003. – (Turismo).

. A serra gaúcha e seu potencial para conversão em cluster turístico. In: BARRETO, Margarita; REJOWSKI, Mirian (Org.). Turismo: interfaces, desafios e incertezas. Caxias do Sul; RS: EDUCS, 2001. p. 105-113.

BERG, Leo van den; BRAUN, Erik; WINDEN, Willem van. Clusters de crecimiento en las ciudades europeas: una nueva perspectiva de política pública. In: SUBIRATS, Joan (Coord.). Redes, territorios y gobierno. Nuevas respuestas locales a los retos de la globalización. Barcelona: Disputació de Barcelona / UIMP, 2002. p. 109-139.

BOULLÓN, Roberto C. Planificación del espacio turístico. México, DF: Trillas, 1997 (reimp. 2001).

BRASIL. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR. Fórum de Competitividade: Diálogo para o Desenvolvimento – Documento Básico. Brasília, 2002. 17 p.

BRITTO, Jorge. Características estruturais dos clusters industriais na economia brasileira. Rio de Janeiro: IE/UFRJ, 2000. (Nota Técnica nº 29/00 – Versão Preliminar – Projeto de Pesquisa: Arranjos e Sistemas Produtivos Locais a as Novas Políticas de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico).

CALLIZO SONEIRO, Javier. Aproximación a la geografía del turismo. Madrid: Síntesis, 1991. (Espacios y Sociedades, 21)

CARNER, Françoise. Encadenamientos generados por el sector turismo. México: CEPAL, 2001.

CARVALHO, Marly M. de; LAURINDO, Fernando J. B. Estratégias para competitividade. São Paulo: Futura, 2003.

CASSIOLATO, José E.; SZAPIRO, Marina. Uma caracterização de arranjos produtivos locais de micro e pequenas empresas. In: LASTRES, Helena M. M.; CASSIOLATO, José E.; MACIEL, Maria L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003. p. 35-50.

CASSIOLATO, José E.; LASTRES, Helena M. M. O enfoque em sistemas produtivos e inovação locais. In: FISCHER, Tânia (Org.). Gestão do desenvolvimento e poderes locais: marcos teóricos e avaliação. Salvador, BA: Casa da Qualidade, 2002. p. 61-76.

CIERVA y de HOCES, Ricardo de la. Turismo: teoria – tecnica – ambiente. Madrid: Ed. River, 1963.

CLEMENTE, Ademir; HIGACHI, Hermes Y. Economia e desenvolvimento regional. São Paulo: Atlas, 2000.

COMUNE, Antonio E. et al. Economia urbana: localização e relações intersetoriais. São Paulo: IPE-USP, 1982. (Série Relatórios de Pesquisa, 9)

CONEJOS, Jordi et al. Cambio estrategico y clusters en Cataluña. Barcelona: Gestión 2000, 1997.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DAS INDÚSTRIAS. Cadeia produtiva do turismo. Necessidades de tecnologia e de recursos humanos no horizonte 2010 – Investigação Delphi. Rio de Janeiro: CNI, 1998. Mimeografado.

COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002.

CROCIA, Nilson. Análise regional e destinações turísticas: possibilidades teóricas e situações empíricas. Turismo - Visão e Ação, Itajaí - SC, ano 4, n. 11, p. 9-32, abril-dezembro 2002.

DALL’ACQUA, Clarisse T. B. Competitividade e participação: cadeias produtivas e a definição dos espaços geoeconômico, global e local. São Paulo: Annablume, 2003.

DANTAS, Alexis; KERTSNETZKY, Jacques; PROCHNIK, Victor. Empresa, indústria e mercados. In: KUPFER, David; HASENCLEVER, Lia (Org.). Economia industrial: fundamentos teóricos e práticas no Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

DURSTON, John. Qué es el capital social comunitario? Santiago de Chile: CEPAL, 2000. (Serie Políticas Sociales, 38)

. Construyendo capital social comunitario. Revista de la CEPAL, Santiago de Chile, n. 69, p. 103-118, diciembre 1999.

ESTEVE SECALL, Rafael. Los agrupamientos (clusters) turísticos como base analítica de la competitividad de los territorios de orientación turística. Málaga: Universidad de Málaga, 2002. Mimeografado.

. Turismo, democratización o imperialismo? Málaga: Universidad de Málaga, 1983. (Coleção Meridiano, 11)

FAISSOL, Speridião (Org.). Urbanização e regionalização, relações com o desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: IBGE, 1978.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS – FIEMG. Cresce Minas: um projeto brasileiro. Belo Horizonte: FIEMG, 2000,

FERNÁNDEZ FÚSTER, Luis. Teoría y técnica del turismo. Tomo I. Madrid: Ed. Nacional, 1974.

FIGUEROLA PALOMO, Manuel. Teoría económica del turismo. Madrid: Alianza Editorial, 1985.

FISCHER, Tânia (Org.). Gestão do desenvolvimento e poderes locais: marcos teóricos e avaliação. Salvador, BA: Casa da Qualidade, 2002.

FRIEDMANN, John; WEAVER, Clyde. Territorio y función: la evolución de la planificación regional. Madrid: IEAL, 1981.

FURIÓ BLASCO, Elies. Análisis económico y turismo. El turismo como un bien Mengeriano de primer orden. Estudios y perspectivas en turismo, Buenos Aires, v. 10, n. 3 e 4, p. 229-250, 2001.

. Turismo, bienes públicos y efectos externos de mercado. Papers de Turisme, València, n. 21, p. 29-61, 1997.

. Turismo y territorio. Interrelación entre la función y el territorio a partir del enfoque de enlaces. 1994. 997 f. Tesis (Doctorado en Ciencias Económicas) – Facultat d’Economia, Universitat de València, València.

GALVÃO, Olímpio J. de A. Clusters e distritos industriais: estudos de casos em países selecionados e implicações de política. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília – DF, v. 1, n. 1, p. 3-49, Junho 1989.

GARRIDO, Inez Maria D. A. Modelos multiorganizacionais no turismo: cadeias, clusters e redes. 2001. 124 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração) – Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

GODED SALTO, Mónica. El impacto del turismo sobre el desarrollo económico: el caso de Argentina. 1998. 425 f. Tesis (Doctorado em Economía Internacional y Desarrollo) – Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales, Universidad Complutense de Madrid, Madrid.

GODINHO, Isabel Maria. Os modelos de Richardson e de Von Böventer. In: COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002. p. 201-218

GOLLUB, James; HOSIER, Amy; WOO, Grace. Using cluster-based economic strategy to minimize tourism leakages. San Francisco, California: ICF / GEDP, 2002 ou 2003.

GOUVEIA, Merícia; DUARTE, Teresinha. O cluster turismo em Portugal. Lisboa: GEPE, 2001. Mimeografado.

HADDAD, Paulo Roberto. Etapas de organização de um cluster produtivo: uma exposição diagramática. CLUSTER – Revista Brasileira de Competitividade, Belo Horizonte, v. 2, n. 4, p. 40-49, Abril/Julho 2002.

. Clusters e desenvolvimento regional no Brasil. CLUSTER – Revista Brasileira de Competitividade, Belo Horizonte, v. 1, n. 2, p. 44-54, Agosto/Novembro 2001.

HADDAD, Paulo Roberto (Org.). A competitividade do agronegócio e o desenvolvimento regional no Brasil; estudo de clusters. Brasília: CNPq / Embrapa, 1999.

HADDAD, Paulo Roberto (Ed.). Planejamento regional: métodos e aplicação ao caso brasileiro. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1972.

HAGUENAUER, Lia; PROCHNIK, Victor. Identificação de cadeias produtivas e oportunidades de investimento no Nordeste. Fortaleza: Banco do Nordeste, 2000.

HANSEN, Dean Lee. Espaço local e os novos processos de desenvolvimento econômico. In: SILVA, Nilton P. da.; HANSEN, Dean Lee (Org.). Economia regional e outros ensaios. Aracaju: Editora UFS, 2001. p. 77-100.

HANSEN, Dean Lee (Org.). Economia regional e outros ensaios. Aracaju: Editora UFS, 2001.

HANSEN, Niles M. Teoria dos pólos de desenvolvimento em um contexto regional. In: FAISSOL, Speridião (Org.). Urbanização e regionalização, relações com o desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: IBGE, 1978. p. 143-160.

HAVAS, Francisco Ignácio. Planejamento para o desenvolvimento do turismo. Rio de Janeiro: Embratur, 1981. Mimeografado.

HIGGINS, Benjamin. Desarrollo econômico: princípios, problemas, políticas. Madrid: Gredos, 1970.

HIRSCHMAN, Albert O. Estratégia do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

ICF CONSULTING et al. A Iniciativa pelo Nordeste. Relatório Final. Recife: Datamétrica, 2000. Mimeografado.

IGLIORI, Danilo Camargo. Economia dos clusters industriais e desenvolvimento. 2000. 155 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Instituto de Pesquisas Econômicas da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

IVARS, Josep A. Planificación turística de los espacios regionales em España. Madrid: Síntesis, 2003.

KEYNES, John M. A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. 2 ed., São Paulo: Nova Cultural, 1985. (Col. Os Economistas)

KLIKSBERG, Bernardo. Capital social y cultura, claves esenciales del desarrollo. Revista de la CEPAL, Santiago de Chile, n. 69, p. 85-102, diciembre 1999.

KOTLER, P.; JATUSRIPITAK, S; MAESINCEE, S. O marketing das nações. São Paulo: Futura, 1997.

KRIPPENDORF, Jost. Sociologia do turismo: para uma nova compreensão do lazer e das viagens. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

KRUGMAN, Paul. Geografia y comercio. Barcelona: Antonio Bosch, 1992.

KUPFER, David; HASENCLEVER, Lia (Org.). Economia industrial: fundamentos teóricos e práticas no Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

LANE, Theodore. O multiplicador da base urbana: avaliação de sua situação atual. In: SCHWARTZMAN, Jacques (Org.). Economia regional: textos escolhidos. Belo Horizonte: CEDEPLAR / CETREDE – MINTER, 1977.

LASTRES, Helena M. M.; CASSIOLATO, José E.; MACIEL, Maria L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

LIRA, Iván Silva. Disparidades, competitividad territorial y desarrollo local y regional en América Latina. Santiago de Chile: ILPES, 2003. (Série Gestión Pública, 33)

LOBO, Angela; MELO, Margarida. O automóvel. Um cluster (globalmente) inovador. Lisboa: GEPE / Ministério da Economia, 2002. (DT 43)

LOPES, Antonio Simões. O espaço econômico. In: COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002. p. 35-59.

. Desenvolvimento regional. 4. ed., Lisboa: Gulbenkian, 1995.

MARSHALL, Alfred. Princípios de economia: tratado introdutório. Vol.. I. 2ª ed., São Paulo: Nova Cultural, 1985. (Col. Os Economistas)

MELO, Ricardo L. de. Economias de escala, externalidades e desenvolvimento regional. In: SILVA, Nilton P. da.; HANSEN, Dean L. (Org.). Economia regional e outros ensaios. Aracaju: Editora UFS, 2001. p. 45-75.

MÉXICO (País) (2002a). Secretaria de Turismo. Integración de agrupamientos turísticos competitivos: “clusters turísticos”. México, DF: SECTUR, 2002. (Fascículo de Competitividad y Desarrollo de Productos Turísticos, 5)

MÉXICO (País) (2002b). Secretaria de Turismo. Competitividad y desarrollo de productos turísticos. México, DF: SECTUR, 2002. (Fascículo de Competitividad y Desarrollo de Productos Turísticos, 1)

MEYER-STAMER, Jörg. Estratégias de desenvolvimento local e regional: clusters, política de localização e competitividade sistêmica. São Paulo: ILDES / FES, 2001. (Policy Paper nº 28).

MEYER-STAMER, Jörg; MAGGI, Claudio; SEIBEL, Silene. Cadeia de valor global do setor cerâmico: um estudo comparativo dos clusters de Sassuolo, Castellón e Criciúma. Florianópolis: [s.n.], 2001.

MONCAYO JIMÉNEZ, Edgard. Evolución de los paradigmas y modelos interpretativos del desarrollo territorial. Santiago de Chile: ILPES, 2001. (Série Gestión Pública, 13)

MONFORT MIR, Vicente M. Competitividad y factores críticos de éxito en la “hotelería de litoral”: experiencia de los destinos turísticos Benidorm y Peñíscola. Madrid, FITUR / IFEMA, 2000.

MONITOR GROUP. Criando o Cluster de Entretenimento do Estado da Bahia. Sumário Executivo. São Paulo, Salvador: Monitor Group, 2001. Mimeografado.

MUÑOZ DE ESCALONA, Francisco. Es diferente el turismo? Madrid, 2002. 33p. Mimeografado.

. Turismo rural integrado: una fórmula innovadora basada en un desarrollo científico. Estudios Turísticos, Madrid, n. 121, p. 5-25, 1994.

. Turismo y desarrollo. Estudios Turísticos, Madrid, n. 115, p. 23-44, 1992.

. Crítica de la economia turística: enfoque de oferta versus enfoque de demanda. 1991. 485 f. Tesis (Doctorado en Ciencias Económicas) – Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales, Universidad Complutense de Madrid, Madrid.

. Un sector productivo: el sector turístico. Papers de Turisme, València, n. 3, p. 5-17, 1990.

MUSA, Edson; SOUZA, César. Desenvolvimento de clusters turísticos como fonte de competitividade. São Paulo: Monitor Group, 2002. Mimeografado.

MUSA, Fernando. Uma visão de conjunto. CLUSTER – Revista Brasileira de Competitividade, Belo Horizonte, Edição Especial, p. 194-207, Novembro 2001.

MYRDAL, Gunnar. Teoria econômica e regiões subdesenvolvidas. 3. ed., Rio de Janeiro: Saga, 1972.

NETO, João Amato. Redes de cooperação produtiva e clusters regionais: oportunidades para as pequenas e médias empresas. São Paulo: Atlas, 2000.

NURKSE, Ragnar. Problemas de formação de capital em países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1957.

OMT. Cooperación entre los sectores público y privado. Por una mayor competitividad del turismo. Madrid: OMT, 2000.

ONU et al. Cuenta satélite de turismo: recomendaciones sobre el marco conceptual. Nueva York: ONU, 2001.

PAZ, Raul José. O turismo na economia da Região Metropolitana de Salvador. Salvador: CENPES, 1986. Mimeografado.

PERROUX, François. O conceito de pólo de crescimento. In: FAISSOL, Speridião (Org.). Urbanização e regionalização, relações com o desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: IBGE, 1978. p. 97-110.

PIRES, Márcio de S. Construção do modelo endógeno, sistêmico e distintivo de desenvolvimento regional e a sua validação através da elaboração e da aplicação de uma metodologia ao caso do Mercoeste. 2001. 210 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

POLÈSE, Mario. Economia urbana e regional: lógica espacial das transformações económicas. Coimbra: APDR, 1998.

PORTER, Michael. Competição: estratégias competitivas essenciais. 4. ed., Rio de Janeiro: Campus, 1999.

. A vantagem competitiva das nações. Rio de Janeiro: Campus, 1993.

PROCHNIK, Victor. Cadeias produtivas na política de ciência, tecnologia e inovação. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001.

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO NO NORDESTE DO BRASIL – PRODETUR-NE II. Ajuda memória: Missão de Identificação do Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID. [S.I.: s.n.], [2001?]. Mimeografado.

PROVINCIALI, Vera L. N. Cadeia produtiva do turismo: concepção. Aracaju, SE: 2002. Mimeografado.

PUTNAM, Robert D. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. 3. ed., Rio de Janeiro: FGV, 2002.

RABAHY, Wilson Abrahão. Planejamento do turismo: estudos econômicos e fundamentos econométricos. São Paulo: Loyola, 1990.

RIBEIRO, José Manuel Félix. Clusters e políticas de inovação – conceitos e relevância para Portugal. Economia & Prospectiva, Lisboa, n. 17, p. 109-129, Julho/Setembro 2001.

RODRIGUES, Ana Isabel. A engenharia turística como factor de desenvolvimento regional: alguns conceitos e aplicações. Beja, PT: ESTIG / Instituto Politécnico de Beja, 2002. Mimeografado.

RODRIGUES, Adyr A. B. (Org.). Turismo e geografia: reflexões teóricas e enfoques regionais. 3.ed. São Paulo: Hucitec, 2001.

RODRÍGUEZ DOMÍNGUEZ, Maria del Mar. Competitividade e análise estratéxica do sector turístico: unha primeira aproximación á potencial creación dun cluster institucional para a mellora competitiva da zona Rías Baixas. Santiago de Compostela: Xunta de Galicia, 2001.

ROMÃO, Maurício Costa. Desenvolvimento no limiar do terceiro milênio: duas propostas complementares para a formulação de uma nova política regional (versão preliminar para discussão). Recife, 1998. Mimeografado.

ROSTOW, W. W. Etapas do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Zahar, 1961.

SANTOS, Domingos (2002a). O modelo de causalidade circular e cumulativa e o modelo centro-periferia. In: COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002. p. 189-200.

SANTOS, Domingos (2002b). A perspectiva territorialista. In: COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002. p. 218-228.

SANTOS, Domingos (2002c). Teorias de inovação de base territorial. In: COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002. 285-313.

SCHUMPETER, Joseph A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. 2. ed., São Paulo: Nova Cultural, 1985. (Col. Os Economistas)

. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

SCITOVSKY, Tibor. Dois conceitos de economias externas. In; AGARWALA, A. N., SINGH, S. P. (Coord.). A economia do subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Forense, 1969. p. 301-313.

SESSA, Alberto. Turismo e política de desenvolvimento. Tradução Lourdes Fellini Sartor. Porto Alegre: Uniontur, 1983. 167 p. Tradução de: Turismo e Politica di Sviluppo.

SILVA, João Albino; PERNA, Fernando. Turismo e desenvolvimento auto-sustentado. In: COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002.

SILVA, João Albino. Turismo como atividade econômica sustentada. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE TURISMO E DESENVOLVIMENTO, 1995, Canela, RS. Mimeografado.

SILVA, Jorge A. S. Nova dinâmica espacial da cultura e do turismo na Bahia – base para o planejamento do desenvolvimento turístico fundamentado nos conceitos e práticas de cluster econômico. Turismo - Visão e Ação, Itajaí – SC, ano 4, n. 10, p. 43-61, outubro 2001-março 2002.

SILVA, Mário Rui; SILVA, Sandra. Crescimento endógeno. In: COSTA, José Silva (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR, 2002. 174-189.

SILVA, Nilton P. da.; HANSEN, Dean L. (Org.). Economia regional e outros ensaios. Aracaju: Editora UFS, 2001.

SILVA, Sylvio B. de M. e; SILVA, Barbara-Christine N. Estudos sobre globalização, território e Bahia. Salvador: UFBA, 2003.

SILVA, Sylvio B. de M. e. Geografia, turismo e crescimento: o exemplo do Estado da Bahia. In: RODRIGUES, Adyr A. B. (Org.). Turismo e geografia: reflexões teóricas e enfoques regionais. 3.ed. São Paulo: Hucitec, 2001. p. 122-143.

SOUZA, Myrtis Arrais. A cadeia turística. Fortaleza: Banco do Nordeste, ETENE, 1998. Mimeografado.

SOUZA, Nali de J. de. Desenvolvimento econômico. 4ª ed., São Paulo: Atlas, 1999.

SPINOLA, Noelio D. Política de localização industrial e desenvolvimento regional: a experiência da Bahia. Salvador: UNIFACS, 2003.

SUBIRATS, Joan (Coord.). Redes, territorios y gobierno. Nuevas respuestas locales a los retos de la globalización. Barcelona: Disputació de Barcelona / UIMP, 2002.

TENANI, Paulo. A chave de todas as portas. Valor Econômico, São Paulo, 3, 4 e 5 out. 2003. Caderno EU, p. 12-13.

TINARD, Yves. Turismo: economía y gestión. Barcelona: Bosch, 1996.

TOLEDO, Geraldo L.; ÁLVAREZ VALDÉS, Jesús; CASTROMAN POLLERO, Álvaro. Estrategias competitivas en América Latina. Estudio de caso: Costa Rica, México e Brasil. Revista Econômica do Nordeste – REN, Fortaleza, v. 33, n. 4, p. 817- 830, outubro-dezembro 2002.

TOLOSA, Hamilton C. Pólos de crescimento: teoria e política econômica. In: HADDAD, Paulo Roberto (Ed.). Planejamento regional: métodos e aplicação ao caso brasileiro. Rio de Janeiro, 1972. p. 189-243.

VALLS, Josep-Francesc. Las claves del mercado turístico: cómo competir en el nuevo entorno. Bilbao: Deusto, 1996.

VEIGA, José Eli da. A face territorial do desenvolvimento. In: Encontro Nacional de Economia, XXVII, 1999, Belém, PA. Anais... Belém, PA: ANPEC, 1999. p. 1301-1318.

VEJA: revista semanal. São Paulo: Ed. Abril, n. 47, 26 nov. 2003, 182 p.

VERA REBOLLO, J. Fernando (Coord.). Análisis territorial del turismo. Barcelona: Ariel, 1997.

VERA REBOLLO, J. Fernando e MARCHENA GÓMEZ, Manuel. Turismo y desarrollo: un planteamiento actual. Papers de Turisme, 3, p. 59-84, 1990.

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Biblioteca Virtual
Servicios
 
Todo en eumed.net:

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet