GEOTECNOLOGIAS E O PLANEJAMENTO DA AGRICULTURA DE ENERGIA

Heloísa Rodrigues Nascimento
Yolanda Vieira de Abreu

3.2 ECONOMIA DE PEDRO AFONSO

O município de Pedro Afonso tem a sua população estimada em 2010 de 11.542 habitantes, sendo 5.966 do sexo masculino e 5.576 do sexo feminino, sua densidade populacional é de 5,74 hab/Km² (IBGE, 2010).  O seu IDH é de 0,738, o PIB R$ 194.892,525, e o PIB per capita 18.377,42 (IBGE, 2008). Possui faculdade, escolas, hospital, clínicas de saúde, delegacia, batalhões militares, galeria, restaurantes, hotéis e praças para lazer da comunidade.

A economia do município está baseada nas atividades do setor primário, isto é, a agricultura e pecuária. O fato que impulsionou a economia municipal na segunda metade da década de 1990, foi a implantação da terceira fase do Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento do Cerrado - PRODECER III1 . Este programa foi financiado por recursos dos governos brasileiro e japonês, os recursos japoneses vieram de fontes institucionais do governo e dos bancos privados, que foram co-financiadores. O projeto piloto foi financiado pela Japan International Cooperation Agency – JICA, e o projeto de expansão pelo Overseas Economic Cooperation Fund – OECF (SEBRAE, 2006; RODRIGUES et al., 2009). Até o ano de 1996, o município apresentava uma produção de soja incipiente. A partir desse período, foi implantada no município a terceira etapa do PRODECER III. O PRODECER III ocupou uma área de 40.000 ha, onde foram assentadas 40 (quarenta) famílias de colonos de vários estados brasileiros, onde foram estabelecidas glebas individuais de 980 (novecentos e oitenta) hectares (RODRIGUES et al., 2009).

Para a região e o Estado do Tocantins é significativo o crescimento da cultura da soja em Pedro Afonso que assumiu, na safra de 1998, a posição de maior produtor tocantinense. No ano de 2007, foram plantados 35.000 hectares, com uma produção de 73.500 toneladas, tornando-se o segundo município com maior produção no Tocantins, representando atualmente 10% da produção total do Estado (IBGE, 2008).

Diante da necessidade de organização e desenvolvimento dos produtores integrantes do PRODECER III, foi fundada em 27/06/1998 a COAPA – Cooperativa Agroindustrial do Tocantins - Pedro Afonso, composta por 28 membros, logo se tornou a cooperativa de todos os produtores desta região. Dentre suas funções pode-se citar: fomento à pesquisa, comercialização de defensivos e insumos agrícolas, assistência técnica e prestação de serviços nas áreas de recebimento, beneficiamento e armazenamento de grãos tais como soja, milho, sorgo, milheto e feijão, o armazém da COAPA tem capacidade para armazenar 60.000 toneladas ou 1.000.000 de sacos de soja (COAPA, 2010).

A COAPA atua nos seguintes municípios da região: Pedro Afonso, Tupirama, Bom Jesus do Tocantins, Santa Maria do Tocantins, Centenário, Itacajá e Goiatins, Recursolândia, Porto Real, Rio Sono, Guaraí, Fortaleza do Tabocão, Miracema, Tocantínia e Campos Lindos (COAPA, 2010).

A tabela 3.1 apresenta os dados da produção média de sacos por hectare na safra de 2004/05 até a estimativa da safra de 2009/10. Sendo importante salientar que o início da produção de soja no município de Pedro Afonso iniciou com produtividade média de 12 sacos por hectare.

     Tabela 3.1 - Produção média de soja no município de Pedro Afonso-TO


SAFRA

PRODUÇÃO MÉDIA
SACOS¹ POR HECTARE

2004/2005

41

2005/2006

38

2006/2007

39

2007/2008

46

2008/2009

45

2009/2010

47

    ¹ A unidade 1 saco equivale a 60 Kg    
     Fonte: COAPA (2010)
 Observando a tabela 3.1 percebe-se que na safra 2004/05 a produtividade média chegou a 41 sacos/ha, e na safra de 2009/10 a produtividade chegou a 47 sacos por hectare, apresentando o melhor desempenho de produção dentro do período apresentado na tabela. Ressalta-se que as áreas de cultivo da soja no município oscilam entre 150 a 2.000 hectares, sendo que os produtores utilizam um nível de tecnologia de média a alta. Os principais compradores da soja, a qual é vendida in natura, na região são as empresas Bunge e Cargill.

O início do plantio no município ocorre entre os meses de outubro e dezembro, sendo a primeira safra colhida em fevereiro, pois as cultivares de soja utilizadas possuem ciclo de produção variando de 90 a 125 dias. As cultivares de soja plantadas no município estão listadas na tabela 3.2 a seguir.

 Tabela 3.2 - Cultivares de soja plantada no município de Pedro Afonso – TO


Pionner

Nidera

Monsanto

P98Y70

A-7002

M 8866

P98Y51

NA8015

M 9056

P99R03

 

M 9144

P99R01

 

M 8766

  Fonte: COAPA (2010)

A Bunge em parceria com a empresa japonesa Itochu iniciaram as atividades de sua empresa sucroalcooleira no município de Pedro Afonso. Inclusive, recentemente, a multinacional firmou contrato com a Companhia Vale do Rio Doce para transportar etanol pela Ferrovia Norte-Sul até o Porto de Itaqui, localizado no Estado do Maranhão. A construção da usina vai possibilitar a produção de açúcar, etanol e energia renovável. A iniciativa prevê o plantio de 10 mil hectares e a produção de 1,4 milhões de toneladas por ano. A expectativa é que sejam gerados 1.400 empregos diretos e 7.000 indiretos. Em 2012, o processamento de cana deve aumentar para 4,4 milhões de toneladas. As especulações locais são de que a produção da cana-de-açúcar desloque a soja, que hoje ocupa a região de Pedro Afonso, para outras áreas no Tocantins (AGROMUNDO, 2010).
Após a instalação da Bunge, no setor sucroalcooleiro, as terras da região serão disputadas entre a plantação de grãos, como a soja, e a expansão da ocupação do cultivo da cana-de-açúcar, ainda incipiente, mas com potencial para crescer, uma vez que é uma empresa multinacional que está implantando e financiando o empreendimento. Na safra 2009/10, algumas áreas que anteriormente eram utilizadas para o cultivo da soja, foram utilizadas para o cultivo da cana-de-açúcar. Segundo dados locais, o percentual de ocupação da cana-de-açúcar já chega a 40% e a soja 60%. A área plantada de cana-de-açúcar nesta época foi aproximadamente 26.000 hectares, sendo que a maior parte das áreas cultivadas são da própria Bunge, mas alguns proprietários já estão arrendando suas terras para a usina em questão. De acordo com dados da COAPA aproximadamente 13 lotes do programa PRODECER III estão sendo arrendados e ocupados pela plantação da cana-de-açúcar (ROCHER, 2010; COAPA, 2010).


1 O PRODECER foi um marco da cooperação internacional entre Brasil e Japão, para a ocupação dos Cerrados, visando à produção de commodities, com alta demanda internacional. Foi idealizado em 1974, negociado entre o governo dos dois países durante cinco anos e implementado a partir do ano de 1978. O principal instrumento do programa é o crédito supervisionado, com linhas de financiamento abrangentes, e foram previstos empréstimos fundiários para investimentos, despesas operacionais e assistência ao colono (RODRIGUES et al., 2009).

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados

El conjunto de métodos aplicados al conocimiento de la ciencia, derivan de la Epistemología, que es una rama de la filosofía. La Epistemología es la aplicación de los principios de la Teoría del Conocimiento, en este caso, al conocimiento de la ciencia Económica. Al dar comienzo a esta obra, postulo que la ciencia económica y, con ella, su método, es la más teñida por los intereses ideológicos.
Libro gratis
Congresos

9 al 23 de octubre
VI Congreso Virtual Internacional sobre

Arte y Sociedad: Paradigmas digitales

2 al 16 de octubre
I Congreso EUMEDNET sobre

Economía y contextos organizativos: nuevos retos

16 al 30 de octubre
II Congreso Virtual Internacional sobre

Migración y Desarrollo

1 al 15 de noviembre
II Congreso Virtual Internacional sobre

Desigualdad Social, Económica y Educativa en el Siglo XXI

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga