BIODIESEL NO BRASIL EM TRÊS HIATOS: SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL, EMPRESAS E LEILÕES. 2005 A 2012.

Hugo Rivas de Oliveira
José Eustáquio Canguçu Leal
Yolanda Vieira de Abreu

4.2 Análises dos diferenciais de competividade entre as dez maiores empresas de 2010 segundo ANP (2010).

Diante dos dados levantados e da identificação das variáveis estratégicas competitivas de cada uma das dez maiores empresas de 2010, dentro das três estratégias genéricas de Porter (1986), que são: Diferenciação, Liderança em custo e Enfoque.

4.2.1 Destaque em diferenciação

As empresas Granol, ADM, Petrobrás, Caramuru, Oleoplan, Bsbios, Brasilecodiesel, JBS, Biocapital, Fiagril foram comparadas entre si, segundo o item diferenciação, o resultado pode-se verificar na Tabela 4.2.

Tabela 4.2 Resumo da pontuação sobre o item diferenciação.


EMPRESA

DIFERENCIAÇÃO

Petrobrás

95

Brasilecodiesel

90

Caramuru

85

Granol

75

Oleoplan

75

Bsbios

75

JBS

70

ADM

65

Biocapital

60

Fiagril

60

Fonte: Elaboração Própria.

Neste quesito a Petrobrás se sobressaiu aparecendo em primeiro lugar obtendo 95 pontos dos 100 possíveis. A empresa buscou a diversificação no uso de matérias-primas na produção de biodiesel e o fortalecimento da cadeia produtiva o que elevou suas vantagens estratégicas diante da concorrência.

A obtenção do SCS para todas as unidades da empresa, aliado ao posicionamento privilegiado no ranking da ANP (2010) contribuíram de forma decisiva para a Petrobrás tornar-se líder na estratégia de diferenciação. A lógica da estratégica da diferenciação para Porter (1989) é que a empresa deve ser única em algo que seja diferente dos seus rivais, a vantagem competitiva de diferenciação tem origem na estrutura industrial, é o resultado da maneira de como uma empresa lida com as cinco forças que moldam a estratégia e competição melhor que a concorrência, investindo em novas plantas industriais e em fusões por exemplo.

Chesnais (1996), explica que as empresas conquistam consideráveis fatias de mercado objetivadas pelas aquisições ou fusões como a ocorrida em parceria com a BSbios.  De acordo com Fusco (2002), os usos de alianças estratégicas competitivas estão relacionados à atividade conjunta, em nível de interação organizacional. Porém, neste resultado o que chama a atenção é a empresa Brasilecodiesel em segundo lugar, uma vez que esta empresa já apresentava problemas em relação à manutenção do selo combustíveis e outros relacionados à sua gestão. Neste caso os quesitos analisados utilizaram-se dos dados a disposição até dezembro de 2010, nesta época o MDA ainda esta analisando o comportamento das empresas no decorrer de 2010, para saber qual iria ou não continuar com a vantagem do SCS, por isso os dados disponíveis ainda demonstravam positivo, mesmo quando seus comportamentos no mercado e com os pequenos produtores já apresentavam problemas.

As outras empresas todas obtém mais de 60 pontos neste quesito que representa que estavam com no mínimo 60% positivo no que tange aos quesitos de diferenciação no mercado e isso demonstra o “porquê” elas estão entre os destaques desta indústria.

4.2.2 Destaque em liderança em custo

As empresas Granol, ADM, Petrobrás, Caramuru, Oleoplan, Bsbios, Brasilecodiesel, JBS, Biocapital, Fiagril foram comparadas no quesito liderança de custo e o resultado por ordem decrescente pode se verificar na Tabela 4.3.
A empresa BSbios  se destacou em primeiro lugar neste quesito com 90 pontos.  A vantagem genérica competitiva de liderança em custo é composta das variáveis: formação acionária cruzada (obteve 25 pontos); real utilização percentual da capacidade Instalada (obteve 15 pontos); selo combustível (obteve 25 pontos), e laboratórios P&D (25 pontos).

Tabela 4.3 Resumo da pontuação sobre o item liderança em custo


EMPRESA

 

LIDERANÇA EM CUSTO

Bsbios

 

90

Petrobrás

 

85

Brasilecodiesel

 

85

JBS

 

80

Granol

 

75

Caramuru

 

75

Oleoplan

 

75

Fiagril

 

75

Biocapital

 

70

ADM

 

60

Fonte: Elaboração Própria.

Em geral, a empresa que faz a opção de desenvolver uma estratégia de baixo custo produz um produto estandardizado, focando-se no essencial do produto e colocando a ênfase na obtenção de vantagens de custo absoluto e de escala. Este tipo de estratégia no mercado de biodiesel, normalmente é desenvolvido com a finalidade de se mostrar competitivo nos leilões de biodiesel ou de obter maiores lucros por meio das vantagens de custo absoluto ou de escala. Porém, a aplicação somente desta estratégia sem observar e se esforçar para sobressair nos demais quesitos, pode-se se alcançar um espaço limitado e dado que um mercado regulado pode, com o tempo, estagnar em um patamar a margem de lucro, passando ser somente uma estratégia de não perder posição no mercado. A aplicação em P&D e em infraestrutura de laboratórios pode dar uma vantagem de custo porque se pode acessar a capacidade de novos materiais ou processos vantajosos antes dos outros, neste período obterem lucros extraordinários.

Segundo Porter (1989) a posição de baixo custo protege a empresa de seus concorrentes, pois com custos mais baixos do que a concorrência, as empresas com custos mais altos sofrerão primeiro as pressões competitivas.  Para este, somente pode existir um líder em custo numa Indústria, portanto, a luta por parcela de mercado entre várias empresas que objetivam a liderança em custo levaria a uma guerra de preços que seria desastrosa para a estrutura de longo prazo da indústria. No caso do biodiesel, como o mercado é regulado e a guerra de preço fica limitada ou inexistente uma vez que o leilão já diz mostrando às demais concorrentes o preço de mercado viável.

As outras empresas ficaram com pontuação entre 85 e 60, sendo que 7 empresas de posicionou entre 85 e 75, diferença muito próxima uma da outra e somente 2 obtiveram pontuação de 70 (Biocapital) e 60 (ADM).

4.2.3 Destaque em enfoque

As empresas Granol, ADM, Petrobrás, Caramuru, Oleoplan, Bsbios, Brasilecodiesel, JBS, Biocapital, Fiagril puderam ser comparadas e como resultado tem-se que segundo o item enfoque, o resultado por ordem decrescente na Tabela 4.4.. De acordo com essa  tabela  a Petrobrás, BSbios e ADM obtiveram conclusões  significativas para a vantagem genérica competitiva de enfoque com 90 pontos em 100 possíveis. A vantagem genérica competitiva de liderança em custo é composta das variáveis: patente, laboratórios P&D, mercado e produção. As empresas Petrobrás e BSbios, além de firmarem parceria estratégica para produção de biodiesel conjuntamente, obtiveram significativos índices nas variáveis analisadas pela estratégia de enfoque, para Petrobrás é estratégico estabelecer-se no mercado da Região Sul, onde não tinha unidade produtora, por outro lado, para a BSbios a parceria oferece vantagens substanciais como por exemplo acesso as tecnologias de produção e investimentos disponíveis da Petrobrás.

Tabela 4.4 Resumo da pontuação sobre o item enfoque


EMPRESA

            ENFOQUE

Petrobrás

90

Bsbios

90

ADM

90

Granol

75

Caramuru

65

Oleoplan

65

Brasilecodiesel

65

JBS

65

Biocapital

60

Fiagril

60

Fonte: Elaboração Própria.

De acordo com Porter (1991), estratégia competitiva é a busca de uma posição favorável em uma indústria, onde ocorre à concorrência, visa estabelecer uma posição sustentável contra as forças que orientam a concorrência da indústria.  A empresa multinacional ADM, segunda colocada no ranking da ANP, e sexta no ranking geral das empresas em competitividade, divide com Petrobrás e  BSbios o índice de 90 pontos na vantagem genérica competitiva de enfoque, nessa estratégia são avaliadas as variáveis de Patente e Laboratórios P&D, os parâmetros da empresa são significativos para a busca de uma posição de liderança em longo prazo em uma indústria.

A tabela 4.5 apresenta um resumo das melhores pontuações, segundo critérios desenvolvidos neste estudo e também mostra a posição das empresas destaques, no ranking da ANP (2010).  De acordo a  essa tabela a Petrobrás, terceira colocada no ranking da Agência Nacional de Petróleo e que aparece como primeiro lugar em pontuação total, pelos critérios deste estudo, atua em duas regiões do país: no Nordeste, no estado da Bahia e no Ceará; e no Sudeste, no estado de Minas Gerais. A empresa detém cerca de 8% do mercado nacional de biodiesel com uma produção de 214.322m³. Além de suas empresas participa como acionária em outras do ramo, como na BSbios.
Tabela 4.5 Melhores empresas pontuadas pelos critérios do presente estudo e sua posição no ranking da ANP (2010), com exceção da empresa Granol.


Empresa

Diferenciação

Liderança em Custo

Enfoque

Total
Pontuado

Escalonamento
Pela Pontuação

Ranking
ANP (2010)

Petrobrás

95

-

90

270

1º lugar

3º lugar

BSbios

-

90

90

255

2º lugar

6º lugar

ADM

-

-

90

215

6º lugar

2º lugar

Granol

75

75

75

225

4º lugar

1º lugar

Fonte: Elaboração Própria

Segundo Chesnais, 1996, a compra de ações ou participações em empresas concorrentes corresponde a dois pressupostos: os de concorrência por diferenciação de produto e o de rivalidade entre as empresas e a Petrobrás realizam esses investimentos em outras empresas objetivando a liderança em produção efetiva no mercado de biodiesel.

Segundo a tabela 4.5 a ADM, segunda colocada no ranking da Agência Nacional de Petróleo e sexta no total de pontos de estratégia, atua em duas regiões: na Região Centro-Oeste, no estado de Goiás; e na Região Sul, no estado do Rio Grande do Sul. A empresa detém cerca de 9,91% do mercado nacional de biodiesel com uma produção de 237.535m³.   Esta se destacou como uma das melhores no quesito enfoque Junto com a Petrobrás e a BSbios.

Para Chesnais (1996), as empresas procuram regiões onde é possível obter mão-de-obra qualificada, tecnologia, insumos, financiamentos e instituições fortes para organizar o mercado, situações que são passíveis de encontrar no Centro-Oeste. Esse pode ser o caso da ADM que é uma multinacional em busca de aumentar seu espaço na produção de biodiesel nacional.

A Granol é a exceção incluída na tabela 4.5, este fato ocorreu porque esta empresa figura como a primeira colocada no ranking da Agência Nacional de Petróleo, porém em quarto lugar referente a pontuação de estratégia, não se destacou em primeiro lugar em pontuação em nenhum dos quesitos de estratégias.  Ela atua em duas regiões: na Região Centro-Oeste, no estado de Goiás; e na Região Sul, no estado do Rio Grande do Sul. A empresa detém cerca de 13,99% do mercado nacional de biodiesel com uma produção de 335.342m³.  Tal empresa obteve índices de competitividade equilibrados para as três estratégias genéricas competitivas, isto é, total de pontos 75. Por constar em primeiro lugar no ranking da ANP (2010) pode-se concluir que este equilíbrio foi a que levou a estar no primeiro lugar, o fato do mercado de biodiesel ser regulado e a venda por leilões, isso é, preço médio do mercado, esse equilíbrio pode ter beneficiado a mesma.

O crescimento da produção de biodiesel foi significativo a partir de 2008 com as três empresas liderando o mercado. A média de crescimento da Granol entre os anos 2008 / 2010 foi de 24,73%, a empresa ADM teve um crescimento médio de 19,90% para o mesmo período, enquanto que a Petrobrás cresceu no último ano entre 2009 / 2010, a marca 77,46%. No gráfico 4.1 se observa a evolução da produção de biodiesel das três maiores empresas produtoras de biodiesel em 2010, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP, 2011).
De acordo com o gráfico 4.1 pode-se verificar que a Granol mantém a liderança na produção de biodiesel ao longo dos anos, porém a ADM e Petrobrás exibem dados de competitividade maiores que a própria Granol.
Das empresas que figuram na tabela 4.5, a Petrobras é que predomina, uma vez que detém 50% de cada usina da empresa BSbios. Portanto, pode-se concluir que as três melhores empresas em estratégias dentro do mercado de biodiesel são: Petrobrás, ADM e Granol. Estes resultados coincidem com a listagem das três maiores listadas pela ANP (2010). As empresas que investiram mais em P&D, diversificação de matéria-prima, investimentos cruzados, liderança de custo e outros, não obtiveram o primeiro lugar no ranking da ANP (2010), mas em longo prazo esse investimentos podem refletir numa mudança de posição no ranking a favor das empresas Petrobrás, ADM e BSbios.

Portanto, a análise das estratégias das dez maiores empresas do mercado ANP (2010), segundo as estratégias desenvolvidas por Porter (1986) e adaptado ao mercado de biodiesel, por este estudo, se mostrou compatível e viável. As estratégias e os critérios aqui desenvolvidos para aplicação de avaliação das estratégias das empresas de biodiesel se mostraram coerente com a realidade e com a estrutura do setor de biodiesel.

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

17 al 31 de enero
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

15 al 28 de febrero
III Congreso Virtual Internacional sobre

Desafíos de las empresas del siglo XXI

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga