POTENCIALIDADES LOCAIS, TURISMO E DESENVOLVIMENTO LOCAL CARIRI PARAIBANO

Luiz Gonzaga De Sousa

3.0.2 Estudo de caso

         Por trabalhar uma microrregião, no caso o Cariri Paraibano, executar-se-á um estudo de caso, por se investigar um caso específico, com particularidades que não são e nem podem ser generalizadas pela ciência tradicional, mas estudo de uma realidade, como vista in loco, tal como existe em seu status quo, assim não se perde a qualidade das informações locais.
            Para entender melhor tal fato, em Dantas (2003), ao trabalhar Yin (1989), tem-se que, um estudo de caso é uma inquirição que investiga um fenômeno contemporâneo dentro de um contexto da vida real; em que os comportamentos principais não podem ser manipulados ao bel prazer de lideranças, mas organizados com observações diretas e entrevistas sistemáticas, em virtude do respeito às pretensões da população.
            Ainda em Dantas (2003) numa citação a Lazzarini (1997), comenta-se que esse método se ocupa muito mais com a compreensão dos fatos, que é uma informação direta, do que propriamente a sua mensuração, com dados de terceiros. O essencial em um estudo de caso, é que se segue um caminho de aprofundamento do fenômeno através do uso de várias fontes de evidência, como: entrevistas, arquivos, documentos, observação e outras informações que forem necessárias.
            Em Brewer e Hunter (1989) explicam que as categorias de casos são em número de seis a serem investigadas em Ciências Sociais e Humanas, tais como: indivíduos, atributos dos indivíduos, ações e interações, atos de comportamento, ambientes, incidentes e acontecimentos, e, coletividades, pois são elementos fundamentais para qualificar um processo de desenvolvimento local.
            As cinco características importantes, que devem ser observadas, são: sistema limitado e possui fronteiras, em termos de tempo, eventos ou processos e que sempre são claras e precisas; trabalha sobre algo que precisa ser identificado para conferir foco e direção; necessita-se preservar o caráter único, específico, diferente e complexo; decorre-se em um ambiente natural; e, recorre-se a fontes múltiplas de informações e coleta diversificada.
            O uso do estudo de caso é tido como um tipo de análise qualitativa, ao mesmo tempo é considerado o irmão mais fraco dos métodos das Ciências Sociais, como explica Yin (1989), cujas investigações que utilizam este método são consideradas fora de suas funções, talvez devido às pesquisas em termos de precisão, objetividade e rigor não serem suficientes.
Para melhor entender um estudo de caso, em Ana Maria Roux, explica-se que,
O Método do Estudo de Caso enquadra-se como uma abordagem qualitativa e é freqüentemente utilizado para coleta de dados na área de estudos organizacionais, apesar das críticas que ao mesmo tempo se faz, considerando-se que não tenha objetividade e rigor suficientes para se configurar enquanto um método de investigação científica. Os preconceitos existentes em relação ao Método do Estudo de Caso são externalizados em afirmativas como: os dados podem ser facilmente distorcidos ao bel prazer do pesquisador, para ilustrar questões de maneira mais efetiva; os estudos de caso não fornecem base para generalizações científicas; a afirmação de que estudos de caso demoram muito e acabam gerando inclusão de documentos e relatórios que não permitem objetividade para análise dos dados (COELHO CESAR, 2007, p. 03)1.
Essas posições e críticas são pertinentes, mas podem ser dirimidas pela seriedade de quem está investigando, quando se trata de trabalho que deve ter observações diretas, mas reflitam o retrato da população.
Um levantamento histórico é para entender a idéia de evolução de determinados valores e tradições, sobretudo, da formação da produção local até a atualidade. Esses aspectos são relevantes no que dizem respeito à consideração dos produtos de um local, como legítimo. Tal análise é também relevante na apresentação de um território e de seus produtos como verdadeiros símbolos do ambiente em investigação.
            Um estudo de caso, trás em sua entranha a concepção de empowerment, de Daniel Beker et al (2005), quando explicam que,
O Empowerment pode ser definido como um meio pelo qual as pessoas adquirem maior controle sobre as decisões que afetam suas vidas; ou como mudanças em direção a uma maior igualdade nas relações sociais de poder (por exemplo, nas relações com quem detém recursos, legitimidade, autoridade e/ou influência) (LAVERECK e LABONTE, 2000 apud BEKER et al, 2005; pp. 03-04)2.
Assim, o empowerment está no estudo de caso, como fundamental nos tempos modernos pela complexidade existente, tanto na alocação dos recursos econômicos, como nos ambientais e até mesmo nos sociais.
Em uma localidade também aparece o spillover advindo do “efeito demonstração” pela inovação, pela imitação a tudo que acontece em outros ambientes, como explicam Liu & Sun,
argumenta-se que os consumidores de países pobres imitam os de países ricos em seu comportamento de consumo por causa da demonstração internacional. Tal imitação eleva a propensão a consumir em países pobres, dessa forma tornando mais difíceis os ganhos de acumulação e a formação de capital interna (LIU & SUN, 2005, pg. 01).3
O spillover é apenas um primeiro esforço para promoção ao desenvolvimento local, por programas que deram certo em outros lugares, cuja resposta faz gerar emprego e renda para o entorno.
            A geração de um desenvolvimento local pelas vias do turismo se dá objetivamente pela inclusão social, de micros e pequenos agricultores, assim como os do setor de transformação, que têm pouco acesso a um mercado competitivo, por conta da forte concorrência de produtos externos no local, que os expõe a preços bem abaixo dos internos (dumping); todavia, uma re-organização da economia local pode modificar esse status quo.
As entrevistas realizadas por esta técnica são todas de caráter livre. Também foram aplicados questionários para detectar alguns detalhes importantes. Para tal tarefa, preparou-se um roteiro prévio de questões que, no decorrer da conversa, foram surgindo outras. A intenção foi de compreender a situação da economia e sociedade do local a partir deles próprios, bem como suas satisfações e insatisfações, suas queixas, seus problemas, suas sugestões.
O objetivo fundamental das entrevistas é provocar o surgimento de um processo de construção de estratégias para valorização dos produtos frente ao desenvolvimento local pelo turismo, envolvendo a todos neste contexto. Propõe-se que essa valorização se fizesse principalmente nos produtos artesanais e/ou oriundos do local marcado por uma tradição de mais de quatro séculos no trato com a história do local.
Na primeira fase da coleta de dados buscou-se realizar um levantamento histórico acerca da formação da localidade. Para tal, consultaram-se bibliotecas de universidades, autores locais, já que é uma localidade marcada pela existência de reconhecidos escritores na literatura regional. Além disso, entrevistaram-se pessoas do lugar, conhecedoras da história do município com o objetivo de melhorar o estudo acerca dos hábitos e costumes do local e suas particularidades.
Nessa etapa de levantamento, iniciaram-se as entrevistas com comerciantes contatados no local, no intuito de perceber sua postura diante das estratégias dos programas para desenvolvimento local e suas expectativas com relação às perspectivas futuras para os municípios. Os agentes econômicos locais também foram indagados a respeito de possíveis estratégias de valorização dos produtos locais para geração de desenvolvimento local.
Além das entrevistas feitas, em um segundo momento da coleta das informações, procederam-se, também, os levantamentos históricos acerca dos assentamentos, ou formação do território, não só em forma de entrevistas, assim como em bases documentais dos próprios municípios envolvidos em tal tarefa.


1 COELHO CESAR, Ana Maria Roux Valentini. Método de Estudo de Caso(Case Studies) ou Método do Caso (Teaching Case)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração. Internet. 2007.

2 BECKER, Daniel; EDMANDO, Kátia; NUNES, Nilza Rogéria; BONATTO, Daniella e SOUZA, Rosane de. Empowerment e avaliação participativa em um programa de desenvolvimento local e promoção da saúde. Internet. 2007.

3 Arguing that consumers in poor countries imitate those in rich countries in their consumption behaviour because of international demonstration. Such imitation pushes up the propensity to consume in poor countries, thereby making more difficult saving accumulation and hence capital formation there in.

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

4 al 15 de diciembre
V Congreso Virtual Internacional sobre

Transformación e innovación en las organizaciones

11 al 22 de diciembre
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga