A CRISE MUNDIAL E OS IMPACTOS NA ECONOMIA FLORESTAL DO ESTADO DO PARÁ-AMAZONIA-BRASIL.

Regio Pantoja Da Silva
Heriberto Wagner Amanjás Pena

1.5.  A Crise do setor madeireiro e suas consequências nos Estados Unidos, União Européia e China.

A crise do setor madeireiro iniciou-se em 2004 a partir da desvalorização do dólar, frente ao Real, acompanhado pela queda nas exportações, tornando o exportador menos competitivo.
A crise do setor florestal gerou se acentuou em função de alguns fatores, conforme abaixo (OLIVEIRA JUNIOR, 2009):

Para reunir, organizar e trabalhar os dados foram selecionados alguns países que possui participação constante na corrente de comércio com o Brasil, se configurando como parceiro comercial em muitos produtos. Os países analisados para este trabalho foram EUA, China, Alemanha, França e Bélgica, além da União Européia a partir de 2004.
  Os Estados Unidos são uma das principais economias do mundo, com PIB em 2004 de US$14.658 Bilhões, demonstrando recuperação dos resultados negativos de 2009, onde registrou US$14.369 Bilhões, e ainda são o maior mercado consumidor do mundo, com um PIB per capita de US$47.284 em 2010, e sua produção de bens, embora seja a maior do mundo precisa ser abastecida para atender seu gigante mercado interno.
  Atualmente os EUA ocupam a 2ª posição no ranking dos países exportadores em 2010. Seus principais parceiros comerciais são: Canadá, China e México. O Brasil ocupa a 8ª posição de destino de suas exportações, e o 18º de suas importações gerando uma corrente de comércio de US$60.326 milhões (Fonte-MDIC).
Em se tratando de comércio bilateral, os EUA são o nosso segundo destino de nossas exportações, e até o ano de 2008, período pré-crise nossas exportações vinham obtendo resultados expressivos, até que veio a crise e nosso volume de faturamento reduziu drasticamente. Mesmo assim atualmente os EUA se configuram como nosso segundo parceiro comercial.

Tratando especificamente do produto a ser estudado nossas exportações para os EUA, nota-se um declínio na comparação entre 2008 e 2010:
Tabela 06 - Comércio EUA – Brasil / 2008 a 2010


 

 

Relatório de Produtos

 

 

Parâmetros Gerais

 

Triênio:

2008 -2010

 

Código SH6: 440929 - Outras madeiras perfiladas de não coníferas

 

País

Dinamismo

PIE (1)
US$ 1000 FOB

Perc do Mercado Import.

Performance

Representatividade

Prioridade

DEB (2)
US$ 1000
FOB

2008

2009

2010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estados Unidos

Em declínio

159.945

51,16%

Crescente

43,529%

43,208%

42,137%

-

355.171

 

 

(1) Potencial Importador a Ser Explorado

(2) Desempenho Exportador Brasileiro

Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC / Sistema Radar Comercial

 

 

Devido a ligeira queda, que vem diminuindo sua representatividade de 43,53% em 2008, para 42,14% em 2010, conforme gráfico abaixo:
A República Popular da China é o gigante Asiático que possui o país mais populoso do mundo inteiro. Sua economia é a 3ª do mundo, com um PIB a preços correntes de US$4,98 trilhões. Apesar da queda em 2009 em suas transações de comércio exterior, a China registrou superávit em sua Balança comercial:
Seus principais parceiros comerciais em 2009 foram respectivamente: EUA, Japão, Hong Kong, Coréia do Sul e Alemanha, que juntas representaram quase a metade (43,72%) da corrente de comércio. O Brasil ocupa a 10º posição neste ranking, com uma corrente de comércio de US$42.400 milhões, sendo o 19º país que mais exporta e o 7º país que mais importa daquele país.
Nos últimos dez anos, o comércio bilateral entre Brasil e China cresceu de US$ 1,08 Bilhões para US$ 20,19Bilhões, e entre 2003 e 2008 foram registrados déficit na balança comercial brasileira no comércio entre estes dois países. Porém no ano seguinte, registrou-se saldo positivo de US$ 4,28 bilhões, conforme mostra o gráfico abaixo:
A China ficou em primeiro lugar na corrente de comercio com o Brasil e os outros países em 2009, com 12,86% de participação. Nota-se, portanto, que foi um dos países que mais importaram do Brasil, US$21.191Milhões, e foi o segundo que mais exportou US$15.911Milhões.
Outro país importante para o comércio mundial e para o Brasil é a França. Mesmo com sua população de aproximadamente 63 milhões de pessoas, a França é uma dos principais importadores e exportadores do mundo, ocupando a 5ª posição no ranking. Conta a seu favor uma excelente infra-estrutura logística e portuária, além de sua localização privilegiada, entre o mares mediterrâneo e oceano atlântico, a França é uma das portas de entrada de mercadorias na Europa. Atrás apenas da Alemanha, a França atualmente é a 2ª economia da União Européia, com PIB de US$ 2.583 Bilhões em 2010. Além da excelente infra-estrutura, é o País que mais recebeu turistas estrangeiros interessados em conhecer sua cultura e peculiaridades, além de se destacar na produção industrial de produtos com alto valor agregado e tecnologia avançada.
Representando 32% de sua corrente de comércio em 2010, Alemanha, Itália e Bélgica se configuraram como os principais parceiros comerciais da França neste período. Quando tratamos o comércio bilateral entre Brasil e França, a corrente de comércio ficou em US$9.616 Milhões, ficando o Brasil em 21º país de destino de suas exportações e 23º país de origem de suas importações.

Tratando especificamente do produto estudado, por meio do capítulo 4409, “4409 – Madeira perfilada ao longo de uma ou mais bordas, faces ou extremidades, mesmo aplainada, polida ou unida pelas extremidades”, ou deck, piso e flooring do Sistema Harmonizado – SH, o produto apresentou um declínio no período crise mundial, em 2008 e 2010, onde o mercado de pisos e decks de madeira decresceu de 17,856% em 2008 para 16,066% em 2010.
Tabela 09 – Comércio Bilateral, Brasil e França – 2008 a 2010 – NCM 440929

Relatório de Produtos

 

 

Parâmetros Gerais

  

                                                              Triênio:

  2008-2010

 

Código SH6: 440929 - Outras madeiras perfiladas de não coníferas

 

País

Dinamismo

PIE (1)
US$ 1000 FOB

Perc do Mercado Import.

Performance

Representatividade

Prioridade

DEB (2)
US$ 1000
FOB

2008

2009

2010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

França

Em declínio

141.053

70,28%

Decrescente

17,856%

16,092%

16,066%

-

355.171

 

 

(1) Potencial Importador a Ser Explorado

(2) Desempenho Exportador Brasileiro

Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC / Sistema Radar Comercial

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De acordo com o quadro abaixo as França foi o destino de aproximadamente 17,8% em 2008, e em 2010 caindo para 16% na participação das exportações do Brasil, totalizando US$350.132 Milhões:

 

Tabela 10 – Comércio Brasil – França, produto NCM 440929

 

Relatório de Produtos

 

 

Comércio (US$ 1000 - FOB)

Triênio:

2008-2010

 

Produto: 440929 - Outras madeiras perfiladas de não coníferas

 

País

Importações Totais
do País Selec.

Exportações do Brasil
 para o País Selec.

2008

2009

2010

2008

2009

2010

 

 

 

 

 

França

248.000

160.388

193.752

77.068

45.662

56.251

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC/Sistema Radar Comercial

Outro País que precisa ser mencionado são os Países Baixos. A Holanda, como também é conhecida, foi a 19ª economia no ranking mundial com um PIB de US$795,65 milhões, e uma das maiores renda per capita do mundo, com US$48.208 mil, ocupando o sétimo lugar. Tratando do comércio exterior, notou-se uma queda de 22% entre 2009 e 2008 na balança comercial da Holanda, mesmo assim houve um superávit na balança comercial holandesa na ordem de US$50 Bilhões.
A Alemanha é o principal parceiro comercial da Holanda, com aproximadamente um quinto da corrente total de comercio deste país, com US$178.203 Milhões. Seus outros principais parceiros são Bélgica, Reino Unido, França, Estados Unidos, e China. Juntos totalizam quase 58%.
O Brasil ocupa a 20ª posição na lista de principais parceiros comerciais da Holanda, com 0,86% de participação. Em se tratando do comércio bilateral Brasil-Holanda, acompanhando o período de 2000 a 2009, houve um saldo positivo de 7,17Bilhões, mesmo com uma queda de aproximadamente 02 Bilhões em 2008, seguindo a tendência da maioria dos países do mundo, devido a crise mundial.
Em 2009, quatro setores se destacaram como potencial Importador a Ser Explorado (PIE), de acordo com o RADAR, são eles: Petróleo e derivados, Máquinas e motores, Produtos químicos, Instrumentos de precisão, Materiais eletro-eletrônicos produtos farmacêuticos, somando juntos 38,58%.
Abaixo o gráfico mostra a evolução do PIB dos países estudados a partir da década de 1960 até 2009. Destaca-se a queda nestes países, exceto da China, que manteve seu crescimento, e da Bélgica, que se manteve estável, e do Brasil que registrou uma leve queda do Brasil neste mesmo período.

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

17 al 31 de enero
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

15 al 28 de febrero
III Congreso Virtual Internacional sobre

Desafíos de las empresas del siglo XXI

15 al 29 de marzo
III Congreso Virtual Internacional sobre

La Educación en el siglo XXI

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga