A CRISE MUNDIAL E OS IMPACTOS NA ECONOMIA FLORESTAL DO ESTADO DO PARÁ-AMAZONIA-BRASIL.

Regio Pantoja Da Silva
Heriberto Wagner Amanjás Pena

1.5.  A Crise do setor madeireiro e suas consequências nos Estados Unidos, União Européia e China.

A crise do setor madeireiro iniciou-se em 2004 a partir da desvalorização do dólar, frente ao Real, acompanhado pela queda nas exportações, tornando o exportador menos competitivo.
A crise do setor florestal gerou se acentuou em função de alguns fatores, conforme abaixo (OLIVEIRA JUNIOR, 2009):

Para reunir, organizar e trabalhar os dados foram selecionados alguns países que possui participação constante na corrente de comércio com o Brasil, se configurando como parceiro comercial em muitos produtos. Os países analisados para este trabalho foram EUA, China, Alemanha, França e Bélgica, além da União Européia a partir de 2004.
  Os Estados Unidos são uma das principais economias do mundo, com PIB em 2004 de US$14.658 Bilhões, demonstrando recuperação dos resultados negativos de 2009, onde registrou US$14.369 Bilhões, e ainda são o maior mercado consumidor do mundo, com um PIB per capita de US$47.284 em 2010, e sua produção de bens, embora seja a maior do mundo precisa ser abastecida para atender seu gigante mercado interno.
  Atualmente os EUA ocupam a 2ª posição no ranking dos países exportadores em 2010. Seus principais parceiros comerciais são: Canadá, China e México. O Brasil ocupa a 8ª posição de destino de suas exportações, e o 18º de suas importações gerando uma corrente de comércio de US$60.326 milhões (Fonte-MDIC).
Em se tratando de comércio bilateral, os EUA são o nosso segundo destino de nossas exportações, e até o ano de 2008, período pré-crise nossas exportações vinham obtendo resultados expressivos, até que veio a crise e nosso volume de faturamento reduziu drasticamente. Mesmo assim atualmente os EUA se configuram como nosso segundo parceiro comercial.

Tratando especificamente do produto a ser estudado nossas exportações para os EUA, nota-se um declínio na comparação entre 2008 e 2010:
Tabela 06 - Comércio EUA – Brasil / 2008 a 2010


 

 

Relatório de Produtos

 

 

Parâmetros Gerais

 

Triênio:

2008 -2010

 

Código SH6: 440929 - Outras madeiras perfiladas de não coníferas

 

País

Dinamismo

PIE (1)
US$ 1000 FOB

Perc do Mercado Import.

Performance

Representatividade

Prioridade

DEB (2)
US$ 1000
FOB

2008

2009

2010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estados Unidos

Em declínio

159.945

51,16%

Crescente

43,529%

43,208%

42,137%

-

355.171

 

 

(1) Potencial Importador a Ser Explorado

(2) Desempenho Exportador Brasileiro

Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC / Sistema Radar Comercial

 

 

Devido a ligeira queda, que vem diminuindo sua representatividade de 43,53% em 2008, para 42,14% em 2010, conforme gráfico abaixo:
A República Popular da China é o gigante Asiático que possui o país mais populoso do mundo inteiro. Sua economia é a 3ª do mundo, com um PIB a preços correntes de US$4,98 trilhões. Apesar da queda em 2009 em suas transações de comércio exterior, a China registrou superávit em sua Balança comercial:
Seus principais parceiros comerciais em 2009 foram respectivamente: EUA, Japão, Hong Kong, Coréia do Sul e Alemanha, que juntas representaram quase a metade (43,72%) da corrente de comércio. O Brasil ocupa a 10º posição neste ranking, com uma corrente de comércio de US$42.400 milhões, sendo o 19º país que mais exporta e o 7º país que mais importa daquele país.
Nos últimos dez anos, o comércio bilateral entre Brasil e China cresceu de US$ 1,08 Bilhões para US$ 20,19Bilhões, e entre 2003 e 2008 foram registrados déficit na balança comercial brasileira no comércio entre estes dois países. Porém no ano seguinte, registrou-se saldo positivo de US$ 4,28 bilhões, conforme mostra o gráfico abaixo:
A China ficou em primeiro lugar na corrente de comercio com o Brasil e os outros países em 2009, com 12,86% de participação. Nota-se, portanto, que foi um dos países que mais importaram do Brasil, US$21.191Milhões, e foi o segundo que mais exportou US$15.911Milhões.
Outro país importante para o comércio mundial e para o Brasil é a França. Mesmo com sua população de aproximadamente 63 milhões de pessoas, a França é uma dos principais importadores e exportadores do mundo, ocupando a 5ª posição no ranking. Conta a seu favor uma excelente infra-estrutura logística e portuária, além de sua localização privilegiada, entre o mares mediterrâneo e oceano atlântico, a França é uma das portas de entrada de mercadorias na Europa. Atrás apenas da Alemanha, a França atualmente é a 2ª economia da União Européia, com PIB de US$ 2.583 Bilhões em 2010. Além da excelente infra-estrutura, é o País que mais recebeu turistas estrangeiros interessados em conhecer sua cultura e peculiaridades, além de se destacar na produção industrial de produtos com alto valor agregado e tecnologia avançada.
Representando 32% de sua corrente de comércio em 2010, Alemanha, Itália e Bélgica se configuraram como os principais parceiros comerciais da França neste período. Quando tratamos o comércio bilateral entre Brasil e França, a corrente de comércio ficou em US$9.616 Milhões, ficando o Brasil em 21º país de destino de suas exportações e 23º país de origem de suas importações.

Tratando especificamente do produto estudado, por meio do capítulo 4409, “4409 – Madeira perfilada ao longo de uma ou mais bordas, faces ou extremidades, mesmo aplainada, polida ou unida pelas extremidades”, ou deck, piso e flooring do Sistema Harmonizado – SH, o produto apresentou um declínio no período crise mundial, em 2008 e 2010, onde o mercado de pisos e decks de madeira decresceu de 17,856% em 2008 para 16,066% em 2010.
Tabela 09 – Comércio Bilateral, Brasil e França – 2008 a 2010 – NCM 440929

Relatório de Produtos

 

 

Parâmetros Gerais

  

                                                              Triênio:

  2008-2010

 

Código SH6: 440929 - Outras madeiras perfiladas de não coníferas

 

País

Dinamismo

PIE (1)
US$ 1000 FOB

Perc do Mercado Import.

Performance

Representatividade

Prioridade

DEB (2)
US$ 1000
FOB

2008

2009

2010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

França

Em declínio

141.053

70,28%

Decrescente

17,856%

16,092%

16,066%

-

355.171

 

 

(1) Potencial Importador a Ser Explorado

(2) Desempenho Exportador Brasileiro

Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC / Sistema Radar Comercial

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De acordo com o quadro abaixo as França foi o destino de aproximadamente 17,8% em 2008, e em 2010 caindo para 16% na participação das exportações do Brasil, totalizando US$350.132 Milhões:

 

Tabela 10 – Comércio Brasil – França, produto NCM 440929

 

Relatório de Produtos

 

 

Comércio (US$ 1000 - FOB)

Triênio:

2008-2010

 

Produto: 440929 - Outras madeiras perfiladas de não coníferas

 

País

Importações Totais
do País Selec.

Exportações do Brasil
 para o País Selec.

2008

2009

2010

2008

2009

2010

 

 

 

 

 

França

248.000

160.388

193.752

77.068

45.662

56.251

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC/Sistema Radar Comercial

Outro País que precisa ser mencionado são os Países Baixos. A Holanda, como também é conhecida, foi a 19ª economia no ranking mundial com um PIB de US$795,65 milhões, e uma das maiores renda per capita do mundo, com US$48.208 mil, ocupando o sétimo lugar. Tratando do comércio exterior, notou-se uma queda de 22% entre 2009 e 2008 na balança comercial da Holanda, mesmo assim houve um superávit na balança comercial holandesa na ordem de US$50 Bilhões.
A Alemanha é o principal parceiro comercial da Holanda, com aproximadamente um quinto da corrente total de comercio deste país, com US$178.203 Milhões. Seus outros principais parceiros são Bélgica, Reino Unido, França, Estados Unidos, e China. Juntos totalizam quase 58%.
O Brasil ocupa a 20ª posição na lista de principais parceiros comerciais da Holanda, com 0,86% de participação. Em se tratando do comércio bilateral Brasil-Holanda, acompanhando o período de 2000 a 2009, houve um saldo positivo de 7,17Bilhões, mesmo com uma queda de aproximadamente 02 Bilhões em 2008, seguindo a tendência da maioria dos países do mundo, devido a crise mundial.
Em 2009, quatro setores se destacaram como potencial Importador a Ser Explorado (PIE), de acordo com o RADAR, são eles: Petróleo e derivados, Máquinas e motores, Produtos químicos, Instrumentos de precisão, Materiais eletro-eletrônicos produtos farmacêuticos, somando juntos 38,58%.
Abaixo o gráfico mostra a evolução do PIB dos países estudados a partir da década de 1960 até 2009. Destaca-se a queda nestes países, exceto da China, que manteve seu crescimento, e da Bélgica, que se manteve estável, e do Brasil que registrou uma leve queda do Brasil neste mesmo período.

Volver al índice

Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

4 al 15 de diciembre
V Congreso Virtual Internacional sobre

Transformación e innovación en las organizaciones

11 al 22 de diciembre
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

Enlaces Rápidos

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga