BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales

ENERGIA SOCIEDADE E MEIO AMBIENTE

Yolanda Vieira de Abreu y otros




Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (175 páginas, 1.74 Mb) pulsando aquí

 


3.6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A primeira e grande conclusão a que se chega, no presente trabalho, é a de que é possível estabelecer críticas ao modelo adotado para a expansão do sistema nacional de distribuição de gás natural, usando as tradicionais ferramentas conceituais da microeconomia clássica — com sua roupagem moderna — para satisfazer aos seus apologistas.

Nessa linha, para que a indústria do gás torne-se viável, o primeiro passo é praticar um preço acessível à população e ao mesmo tempo em que realize um processo de esclarecimentos dos benefícios e da qualidade do gás natural quando comparados a outros energéticos.

Para que a indústria utilize o gás, é necessário que o preço praticado seja competitivo, comparado com os dos energéticos concorrentes, garantir o fornecimento da quantidade contratada e também viabilizar a venda de energia elétrica, que venha a ser produzida pelo sistema de cogeração. É muito importante que a indústria que tenha excedente de eletricidade possa colocá-la no mercado e obter um preço compatível com seus custos. Assim, o industrial terá incentivos para usar o GN.

Quanto as termelétricas, a maioria delas somente será viabilizada quando o governo através da “mão visível” dos agentes financeiros prover o financiamento para construção das mesmas.

As teorias tanto liberais como neoliberais, nesse tipo de indústria somente são utilizadas para que as empresas estatais possam ser privatizadas. No entanto, utilizando-se dos seus próprios conceitos pode-se provar que o capital privado, sem a ajuda do Estado, dificilmente se manterá nesse tipo de negócio. No entanto, tendo o Estado e os organismos internacionais como parceiros, eles podem se apossar de toda a infra-estrutura de um país, sem correr nenhum tipo de risco.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

ANP: Agência Nacional do Petróleo. Anuário Estatístico. www.anp.gov.br/anuario_est.

ABEGÁS: A desregulamentação do Mercado de combustíveis e o seu impacto no gás natural. Seminário Técnico Instituto de Engenharia. Kohlmann, R. (org.). SP, julho/99.

ARAÚJO Jr., J. T. Contestabilidade e integração econômica no Hemisfério Ocidental., SP: Revista de Economia Política, v. 16, n. 4(64), out.-dez 1996

BAUMOL, J. W. Contestable markets: an uprising in the theory of industry structure. The American Review, n. 1., 1-15, march, 1982.

BNDES, Cadernos d e Infra-Estrutura n° 4 : Setor de GN - reservas, produção e consumo. Rio de Janeiro, 1997

BRESSER PEREIRA, L. C. Estratégia e estrutura para um novo estado, SP: Revista Economia Política, v. 7, n. 3(67), p. 27, jul-set. 1997.

CHANDLER, A. (1977). The Visible Hand: the managerial revolucion in American Business. Cambridge, Mass.: Harvard University Press. Introduction.

CNI: Confederação Nacional da Indústria. Conselho para Assuntos de Energia. O gás natural e a indústria. Rio de Janeiro. CNI/COASE, janeiro. 1989.

INEE (1998) Instituto Nacional de Eficiência Energética. Fórum de Co-Geração. Seminário cogeração & Geração Distribuída, 14-16 de maio de 1998.

KRAUSE, G.G. et al, Nota Técnica n°3: Estrutura e regulamentação do mercado de gás natural, experiência internacional. São Paulo, setembro, 1998.

MME: Ministério de Minas e Energia. Balanço Energético Nacional - Consolidado www.mme.gov.br/ben/consolidados/

PINDYCK. R. S. et al, Microeconomia, São Paulo: Mackon Books, 1994.

REVISTA BRASIL ENERGIA (1999). Apenas 105 MW fechados para usar gás boliviano, v. 218, jan/fev., 99.

REVISTA CARTA CAPITAL (1999). Combustão plena. Ano IV, n° 100, SP, junho/99.

SANTOS, E. M. et alii, Gás natural Estratégias para uma energia nova no Brasil, ed. Annablume, SP, 2002

SOUZA DIAS,D. et al, Regulação das indústrias de rede: o caso dos setores da infra-estrutura energética, SP: Revista de Economia Política, vol. 7, n.º 3 (67), ed. 34, julho-setembro,1997.

VARIAN, H.R. Microeconomia. 2°ed. RJ:Campus,1993


Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
 
Todo en eumed.net:

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet