BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales


NOVAS TRAJETÓRIAS ENERGÉTICAS

Sinclair Mallet Guy Guerra y Mariana Pedrosa Gonzalez



Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (194 páginas, 2.56 Mb) pulsando aquí

 

 

BIOMASSA: TEMPOS E CONTRATEMPOS

Márcio Luiz Perin
Gilberto Martins
Sinclair Mallet Guy Guerra

RESUMO

O Relatório “Iluminando o Caminho: rumo a um futuro energético sustentável” expõe um cenário político e cientifico para garantir a sustentabilidade energética do planeta. A bioenergia é considerada um dos recursos energéticos de maior potencial para atingir essas metas. Este trabalho tem por objetivo discutir os riscos e as perspectivas da expansão da produção de bioenergia no Brasil. Tal produção é uma das estratégias do governo brasileiro para promover o desenvolvimento agrícola no país. No entanto, a expansão da produção de biocombustíveis pode agravar os problemas enfrentados pelo setor. O modelo de produção agrícola é insustentável, podendo comprometer os benefícios sociais, econômicos e ambientais da bioenergia.

Palavras-Chave: Energia, Biocombustiveis, Desenvolvimento Agrário, Sustentabilidade.

ABSTRACT

The report "Lighting the Way: Toward a sustainable energy future" show a scientific and political prospect with ways to get sustainable energy of the planet. The bioenergy is considered an energy resource with the greatest potential to achieve these goals. This work aims to discuss the risks and prospects to increase the production of bioenergy in Brazil. This production is one of the strategies of the Brazilian government to promote the agricultural development in the country. However, the expansion of biofuel production may complicate problems faced by the sector. The countryside style is unsustainable and can damage the social benefits, economic and environmental of bioenergy.

Keywords: Energy, Biofuels, Agricultural Development, Sustainability.

INTRODUÇÃO

O homem moderno vem, cada vez mais, adquirindo a consciência de sua responsabilidade sobre seus atos, pelo cuidado e manutenção do seu habitat. Debates envolvendo as conseqüências das atividades humanas sobre a natureza vêm ganhando respaldo tanto na comunidade científica, como na sociedade, tendo grande difusão através dos meios de comunicação. A questão energética tem promovido extensos debates na comunidade acadêmica. As flutuações no preço do petróleo e o acirramento dos debates sobre o aquecimento global têm levado a uma busca por novas formas de energia.

A geração e uso de energia está intrinsecamente ligada à questão ambiental. O processo de conversão, transporte e utilização da energia envolve externalidades. Emissões gasosas de poluentes, aquecimento global, desmatamento, esgotamento de recursos naturais são exemplos de impactos causados pelo setor energético. A relação entre aquecimento global e produção de energia, bem como, a magnitude de sua influência sobre as atividades humanas no planeta, gera controvérsias, sendo alvo de intensa discussão. No entanto, é senso comum entre a comunidade científica que as emissões de gases de efeito estufa são nocivas ao meio ambiente (DINCER E ROSEN, 2007).

A intensificação dos debates envolvendo questões energéticas e ambientais, relacionadas com o aquecimento global, levou os líderes mundiais a assinarem um acordo com a finalidade de reduzir a emissão de gases de efeito estufa. O protocolo de Kyoto, assinado em 1992 no Japão, foi considerado um novo marco para o setor energético. As fontes de energia tidas como renováveis ganharam maior destaque nos programas de prospecção energética dos países. As Nações Unidas indicam que o setor energético necessita promover mudanças em quatro áreas estratégicas: fontes de energia menos intensivas em carbono; aumento da eficiência energética; fontes renováveis; sistemas de transporte sustentável (DINCER E ROSEN, 2007).

O Relatório “Iluminando o Caminho: rumo a um futuro energético sustentável”, publicado pelo InterAcademy Council, expõe um plano científico, tecnológico para o desenvolvimento dos recursos energéticos, a fim de garantir um crescimento econômico sustentável das economias nos países industrializados e em desenvolvimento. O estudo foi elaborado por um painel de estudos composto por 15 especialistas em energia de diversos países, com a co-presidência de Chu e Goldemberg e comissionado pelos governos do Brasil e da China (CHU E GOLDEMBERG, 2007).

Chu e Goldemberg, 2007, apresentam quatro ênfases que devem ser abordados pelas nações mundiais em suas políticas energéticas: i) aumento na eficiência energética e redução da intensidade de carbono das economias mundiais; ii) desenvolvimento de tecnologias para a captura e seqüestro do carbono emitido por fontes fósseis; iii) a utilização de fontes energéticas renováveis ou de baixa emissão de carbono e iv) democratização no acesso a energia.

O presente trabalho tem por objetivo avaliar os benefícios e os riscos que a adoção da “Recomendação 7: Difusão no uso dos biocombustíveis” representa para economia global, em especial para a sociedade brasileira. Com esse intuito, este trabalho irá analisar algumas perspectivas para a produção sustentável dos biocombustíveis no Brasil.


Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Biblioteca Virtual
Servicios
 
Todo en eumed.net:

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet