EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA MOEDA


Yolanda Vieira de Abreu
Sanay Bertelle Coelho

Volver al index

 

 

1 INTRODUÇÃO

Não obstante a sua importância política, social e econômica, a moeda parece ser pouco compreendida na sociedade. Sua descoberta representou um notável avanço na história da humanidade. A moeda proporcionou ao indivíduo generalizar seu poder de compra e obter da sociedade aquilo que sua moeda lhe dá direito, sob a forma que melhor lhe convém. Sob este ponto de vista, alguns autores destacam que a moeda aparece como criadora da propriedade individual, característica que a acompanha desde o princípio. A magnitude e a importância da moeda exigem um estudo detalhado e objetivo para que se possa compreender o seu papel na economia. Através da divisão do trabalho e do desenvolvimento das economias, a moeda passou a incorporar novas funções, tornando-se sinônimo de riqueza e de poder coletivo e pessoal. Não é por outra razão que alguns autores clássicos como Marx, Weber e Simmel, davam grande destaque ao papel do dinheiro, ao analisarem o funcionamento dos sistemas econômicos. Marx discutiu os conceitos de valor de uso e valor de troca das mercadorias no capitalismo. Weber estudou o papel do dinheiro nas sociedades ocidentais modernas, a sua importância para racionalização da vida social e a definição dos preços dos bens e serviços. Simmel referenciou o dinheiro como sendo uma instituição fundamental no desenvolvimento das relações econômicas. Enfim, o uso do dinheiro, desde os primórdios das civilizações até os nossos dias, trouxe diversas consequências econômicas e sócio-culturais.

No Brasil, vários foram os fatos que impactaram a história da moeda. Em cada um desses momentos históricos o suprimento, a aceitação e até as próprias funções da moeda foram fortemente modificados.

A moeda está estreitamente relacionada com a história e o estágio de evolução da humanidade. Hoje, o uso da moeda na economia é tão generalizado que se torna difícil imaginar o funcionamento do sistema econômico sem a mesma.

Na realidade, existiram grupos humanos primitivos que não utilizavam quaisquer formas de moeda. Esses grupos humanos, em geral nômades, sobreviveram sob padrões simples de atividade econômica, onde não conheceram a moeda e realizavam trocas diretas em espécies, denominadas escambo.

Essas formas de relacionamento econômico, com o passar do tempo, foram sendo modificadas pelo processo de especialização e divisão social do trabalho, ainda que em estágio primitivo. A vida social tornou-se mais complexa, a produção diversificou-se com a criação de instrumentos de trabalho exigidos pelas novas formas de produção e pelos novos padrões de vida. Dessa forma, o escambo foi gradativamente dando lugar a processos indiretos de pagamentos. A aceitação generalizada de determinados produtos recebidos em pagamento das transações econômicas, configura a origem da moeda.

Entre os instrumentos criados e continuamente melhorados pelo homem, a moeda aparece como um dos mais preciosos para atuar sobre a atividade econômica. Sem ela, nenhum progresso material e humano teria sido ou seria possível. Ela é hoje parte integrante da sociedade, por isso, o estudo dos problemas suscitados pela moeda é considerado bastante delicado, pois grande parte do seu valor provém do julgamento e do comportamento daqueles que a utilizam: os indivíduos, os grupos e as nações.

Assim, é necessário um estudo progressivo e relacionado às grandes evoluções que permitiram a nossa moeda ser o que é hoje. O conhecimento do tempo histórico em que as mudanças de moeda e de suas características físicas e nominais são indispensáveis, é o meio de se entender as longas e incessantes readaptações. Assim, a moeda acompanha a evolução do seu tempo para se adaptar à sua representação de valores das mercadorias e dos costumes em relação às suas trocas. Enfim, o estudo histórico dos costumes, da cultura e das políticas econômicas é crucial para determinar a criação de uma dada moeda ou tipos de moeda em dada época.

Este trabalho tem como meta estudar e responder a seguinte pergunta:: Quais foram os fatos históricos que levaram às mudanças das características e dos tipos de moedas entre 1889 a 1989 no Brasil?

Pretende-se responder esta pergunta estudando a evolução da moeda brasileira, os fatos históricos que estão relacionados com os principais eventos que levaram às mudanças do tipo e das características da mesma, tais como: a introdução da moeda no Brasil e sua influência no comércio da época; a criação de novas moedas brasileiras e as políticas econômicas que influenciaram para tal acontecimento. Serão também notificados os instrumentos monetários que podem mudar o valor da moeda no tempo e no espaço.

O objetivo geral deste estudo é analisar historicamente a evolução da moeda no Brasil entre 1889 a 1989. Os objetivos específicos são:

• Descrever a evolução histórica da moeda e sua importância como intermediária nas trocas de mercadorias;

• Apresentar os fatos e a necessidade que levou o uso da moeda e mostrar historicamente sua influência no comércio da colônia brasileira;

• Relacionar a criação de novas moedas no Brasil e o fato histórico que a determinou;

• Demonstrar os instrumentos monetários e históricos que determinaram as mudanças do valor da moeda ou a criação de uma nova moeda.


Enciclopedia Virtual
Tienda
Libros Recomendados


1647 - Investigaciones socioambientales, educativas y humanísticas para el medio rural
Por: Miguel Ángel Sámano Rentería y Ramón Rivera Espinosa. (Coordinadores)

Este libro es producto del trabajo desarrollado por un grupo interdisciplinario de investigadores integrantes del Instituto de Investigaciones Socioambientales, Educativas y Humanísticas para el Medio Rural (IISEHMER).
Libro gratis
Congresos

17 al 31 de enero
I Congreso Virtual Internacional sobre

Economía Social y Desarrollo Local Sostenible

15 al 28 de febrero
III Congreso Virtual Internacional sobre

Desafíos de las empresas del siglo XXI

15 al 29 de marzo
III Congreso Virtual Internacional sobre

La Educación en el siglo XXI

Fundación Inca Garcilaso
Enciclopedia y Biblioteca virtual sobre economía
Universidad de Málaga