FAMÍLIA NA PERSPECTIVA ESPÍRITA
BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales

 

DEBATE E DISCUSSÖES

Luiz Gonzaga de Sousa

 

 

Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (238 páginas, 718 kb) pulsando aquí

 

 

 

 

FAMÍLIA NA PERSPECTIVA ESPÍRITA

Há muitas aplicações do termo e do significado do que seja, em verdade, uma família. Normalmente, tem-se que uma família é um conglomerado de pessoas composto de um pai, uma mãe e os filhos. Pode-se também dizer que uma família pode ser composta de mais pessoas, isto é, além dos já citados, os tios, os avós, e toda uma parentela de graus diversos. A propósito, quais seriam as principais atribuições dessa família? será que a família daqui do planeta, constituída fisicamente, é a mesma do mundo espiritual, ou mundo invisível? Será que a família do mundo espiritual é a mesma do mundo material, concreto? A estas questões, é que se busca uma compreensão mais real mais compreensível às limitações daqueles que, em sua trajetória espiritual, não conseguem evoluir a contento.

A constituição de uma família inicia com o namoro de dois jovens que se atraem, normalmente, mesmo que em alguns casos, não tenha início com jovens que se conhecem, namoram, amam-se e chegam aos cartórios, e à igreja de qualquer espécie. O namoro começa com simpatias de sexualidade, com afinidade de conversações, e com apologias à boniteza, ou beleza física, tal como a silhueta feminina demonstra. Essas características indicam como as famílias do planeta terra são constituídas, algumas vezes não obedecem à programação, ou decisões do mundo espiritual, pois, como se sabe, existem alguns compromissos vibracionais antes da encarnação para com as ligações, que culminam com as uniões. Entretanto, essas uniões são atreladas á livre decisão de cada ser humano, que tem poder de escolher o que quiser e entender durante a sua vida, como ser cristão.

As características físicas de uma mulher, ou de um homem geralmente chamam a atenção daqueles que estão ao lado, e logo despertam os desejos que facilmente iludem com os aspectos físicos. As fantasias de jovens, muitas vezes, coincidem, com o modus vivendi do mundo espiritual. O casamento se afina, e o sucesso é real; mas, sendo sempre o respeito, o primeiro ponto entre marido e mulher. Quando o casamento é somente por atrações físicas, acabado o mel, a relação familiar também se extingue, indo cada um para seu lado, deixando no meio a ligação de filho, ou filhos, que vão sofrer as imprudências dos que tiveram desejos materiais, aparências, e sexo. Isto tem aumentado o problema de filhos sem pai, ou menores abandonados que vivem no meio da rua cheirando cola, e assaltando os transeuntes.

Um outro ponto importante que caracteriza a família de todos os tempos é a renúncia. O homem, o qual também opta para tentar viver em paz, não por amor de um pelo outro, mas para evitar o esfacelamento do lar, e evitar os problemas pelos quais passariam os filhos. Em verdade, não existe a cooperação, a renúncia dos dois em busca do amor, ou em busca de uma consolidação da união entre os dois; porém, uma renúncia unilateral para que o casamento sobreviva, e isto acontece na maioria, ou em quase todas as famílias do mundo de ontem e de hoje. Todavia, tem-se que, quando a mulher é ditadora, ou quem manda na casa, o homem tem que aceitar e calar-se, contudo, quando o caso é o contrário, o homem é quem domina e dita as suas regras, com todas as forças que possuem.

No mundo moderno, somente quem leva a pior são os homens, onde existem até movimentos contra a autoridade da classe masculina que quer fazer cumprir a sua superioridade física, e muitas vezes financeira. Com relação à ditadura das mulheres é sempre bem vinda, são as sofredoras, são as abnegadas senhoras que deram suas vidas pelo esposo, agora são chutadas e menosprezadas dentro de seu próprio lar. Entrementes, estes contrários têm explicação de forma coerente e lógica, dentro de uma realidade que muitos não querem reconhecer, que é a luta pela melhora espiritual, estabelecendo confrontos entre dois inimigos para se aturarem e procurarem educar os seus temperamentos vividos em vidas anteriores a esta que passa com objetivo de evolução, rumo à perfeição.

Assim, tem-se que levar em conta que a união de jovens num casamento não é nada de sublime, onde se amam eternamente, é apenas uma oportunidade de poderem se encontrar para se reconhecerem como gentes, seres humanos e inimigos, ou até mesmo, amigos que querem ajudar-se no progresso de sua vida eterna, que é a do espírito. Uma dos prodígios divinos está justamente em proporcionar este momento para um encontro que pode lhe servir ao progresso, tendo a oportunidade de pensar quanto a humildade, a renúncia, a paciência, a resignação diante daquele que muitas vezes lhes fez sofrer, ou quis lhe ajudar e não a recebeu a contento. Era a força do orgulho, atuando fortemente no coração, com muita familiaridade naquele que soube lhe dar guarida, e até agradeceu este estágio de ignorância e atraso.

Não há como se dizer que a família material, ou deste mundo é a mesma do mundo espiritual, tendo em vista que a família do mundo espiritual, existe por afinidade, por empatia, porque não dizer por sintonia de vibração entre os irmãos. A família espiritual está envolvida com o progresso do grupo e de todos os irmãos, mesmo aqueles que não se afinam com o grupo, pois, esta é a missão de todos os grupos, pessoas, ou espíritos e aqueles que são criaturas de Deus. Na família espiritual sublimada prevalece o amor, a solidariedade entre todos e, sobretudo, a busca incessante da igualdade real entre os componentes que têm o objetivo de uma caminhada sólida, onde somente a cooperação e a compreensão prevalecem nos corações daqueles que conhecem a vida concreta.

Na vida espiritual, acima deste mundo, existe o respeito e todos são tratados como verdadeiros irmãos, sem preconceito de cor, de beleza e de tratamento entre os participantes do lar que somente o cântico angelical e a poesia divina podem adentrar na mente de que só proporciona amor e felicidade. Não se pode comparar a família espiritual com a da vida espiritual, a não ser no caso de se ter como parâmetro de ideal, isto é, a vida material do ser humano caminhar com a perspectiva de conseguir um dia, mais cedo, ou mais tarde a vida espiritual, mesmo sabendo que no mundo dos espíritos existem famílias diferenciadas. Mesmo assim, as famílias espirituais estão sempre acima da família material que tem o objetivo de ajudar as deste planeta.

As diferenças quanto às famílias encarnadas, e famílias espirituais, é quanto à livre individualidade que todos têm em decidir os seus desejos, as suas satisfações e, desta maneira, a sua idiossincrasia comportamental, isto decorre da formação familiar que recebe aqui neste planeta. A formação secular das famílias do planeta terra, é que tem dificultado a evolução da humanidade, ao considerar que a igreja católica, e depois, a protestante têm se ligado a palavras estéreis, a rituais inconseqüentes que não orientam a formação do ser humano para a vida espiritual, sem perder o "modus vivendi" corriqueiro do dia a dia do cidadão. Contudo, não se deve pensar que tudo está perdido, ainda há tempo para evolução da humanidade, esquecendo o passado, e contribuindo melhor para o futuro.

Assim, mais de dois mil anos depois de CRISTO, ainda não se compreendeu o real sentido do casamento, que constitui a família, pois, ao começar com dois, objetiva-se ampliá-la, de acordo com as aptidões e condições dos cônjuges que concordaram em receber os irmãos que precisam reencarnar. Entretanto, tomam esse ato como uma festividade e uma oportunidade de se enveredar pelos caminhos das bebidas e das farras, cujos resultados são confusões, muitas vezes, culminando com desencarne. Isto sem contar, que pouco tempo depois, a separação será uma realidade intransponível, visto que não houve uma preparação espiritual do real sentido do casamento, conseqüentemente, da constituição da família, que faz parte do progresso individual e daquela coletividade.

Objetiva-se que o jovem seja orientado dentro dos princípios sinceros da realidade dos mundos, sem uma ligação direta com qualquer tipo de religião, quer seja católica, protestante, umbandista, budista, espiritista, ou qualquer uma outra que não explique a realidade da vida. A evolução dos mundos não diz respeito a qualquer facção religiosa, é um processo que participa das criações de Deus, com isto, não se está negando a participação do espiritismo em tudo isto, mas, quer-se libertar o ser humano de apologias a qualquer grupo que bloqueia a sua evolução. A realidade dos mundos foi comunicada pelos espíritos de luz, nem por isso eles trouxeram a este mundo a verdadeira realidade de tudo que existe.

Em resumo, quer-se dizer que o espiritismo é apenas um grupo com afinidade de pensamento, conjuntamente com pessoas que querem aprender alguma coisa sobre o mundo espiritual, ou real. Com isto, cada um começa conhecendo-se a si próprio e depois a sua circunvizinhança, para em seguida, o casamento (constituição da família) e evolução de tudo neste universo. O espiritismo não precisa de templo (igreja, sinagoga, terreiro, etc.), nem de agrupamento, é o dia a dia das pessoas, dos animais, das plantas, dos minerais, do ar, da massa (matéria) e de tudo que cerca o ser humano e não humano. Finalmente, a família espírita deveria ser a família planetária (terrena), pelos seus diferenciais que existem, são necessários dissabores, dores, sofrimentos para que o ajustamento seja inevitável um dia quer esteja longe ou perto de cada um.

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet