DE VOLTA À IGNORÂNCIA
BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales

 

DEBATE E DISCUSSÖES

Luiz Gonzaga de Sousa

 

 

Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (238 páginas, 718 kb) pulsando aquí

 

 

 

 

DE VOLTA À IGNORÂNCIA

Nos tempos modernos existe uma corrida bastante grande aos Centros Espíritas. Quase ninguém procura um Centro para compreender o mundo real (espiritual), mas, com objetivo de sanar suas dores, seus sofrimentos, ou perturbações que se apresentam no dia a dia. São pessoas que já foram aos médicos, aos psicólogos, bateram radiografias de toda parte do corpo e de diversas maneiras; entretanto, as suas dores, sofrimentos, e enfermidades continuam sem cessar. O que fazer, nesta hora? Como tratar esse problema? Uns médiuns desinformados dizem que ele tem que desenvolver suas faculdades mediúnicas. Uns outros falam que foi colocado um encosto ao lado do irmão, e é preciso um trabalho para retira-lo. E, assim continua ad infinitum a peregrinação desse amigo que chega a um Centro Espírita, tímido, com medo, e assustado.

Deste mesmo modo, o Centro Espírita, também delineia as suas regras, e impõe algumas condições psicológicas que o irmão sai muitas das vezes mais apavorado; e ainda, sem a mínima condição de retornar. Os problemas continuam, e a ignorância do bem perdura a circular no mundo inteiro, dificultando ainda mais o trabalho do mundo espiritual que está de prontidão para atender a todos, não simplesmente doenças físicas, e acabou-se, mas, principalmente, enfermidades do espírito. Inegavelmente, as formações religiosas das pessoas, as informações deturpadas acerca do mundo dos espíritos fazem com que o conceito de espiritismo tome direção que não seja a verdadeira, trazendo como resultado de tudo isto, pavor, incompreensão, e preconceitos sobre as realidades que todos vivem neste mundo.

Os espíritos que ubicam ainda neste mundo vibracional são irmãos atrasados, que ainda perduram no desconhecimento da felicidade, ao buscarem nos bens materiais as respostas para as suas inquietações, pondo em prática as volições de ter o bom e o melhor que o ambiente lhe oferece. Os espíritos contatam as almas do mesmo modo que elas conversam, brincam, abraçam as pessoas que estão ao lado; entretanto, eles não são vistos por quem não possui a faculdade de vidência, ou de audiência, entretanto, sentem o remorso e o desprezo daqueles que lhes foram caros. Por este prisma, as suas deficiências são transmitidas ao irmão que tem sensibilidade, com transmissão de dores, de sentimento de tristeza, ou de qualquer um outro tipo de enfermidade física e, daí, aparece a acorrida aos Centros Espíritas.

A questão da mediunidade não é coisa de outro mundo, é uma faculdade que as almas e os espíritos trazem consigo para transmitirem mensagens de um para o outro, em qualquer situação no mundo. Os problemas acontecidos no dia a dia das pessoas são provocados pelo mundo espiritual; todavia, não se deve culpar a espiritualidade pelas fraquezas humanas, como acontece com a prostituição, com os meninos de rua, com os homossexuais, com os loucos, com os desajustados, e com muitos outros problemas. Todas essas patologias sociais podem ser provocadas pelo mundo espiritual do baixo astral, porém, o ser humano agiu de sua livre e espontânea vontade neste processo. A intuição acontece, não obstante, a decisão está em cada ser humano que tem a todo instante, a oportunidade de decidir o que é bom e o que é ruim para a pessoa, pois, a decisão, é o homem que comanda.

Todos os seres humanos trazem várias vivências pelo planeta terra, ou qualquer um outro, onde ele possa estar atuando, isto é, onde possa vestir um corpo de carne, ou algo semelhante, onde possa viver com tal vestimenta, dependendo de sua evolução espiritual. Nas diversas vivências, as almas trazem as marcas do seu progresso não adquirido, e as dificuldades de provas que têm que demonstrar, cujo objetivo é sentir que já ultrapassaram a incidência de sua ignorância, e persistência. As máculas contraídas que mais pesam são aquelas que o ser humano infringiu contra o seu irmão, isto significa dizer, qualquer ato que fez com que atrasasse a evolução daquele que tinha um progresso em andamento e foi tragado pela falta de conhecimentos daquele que não imantava uma vida de bondade, e de amor.

A formação da maldade pessoal parte simplesmente da liberdade que todos devem seguir em sua vida, no entanto, estas dificuldades que se apresentam no progresso do ser humano, fomentam a todos o encurtamento da vida terrena, e o aparecimento de doenças de todas as espécies. Assim, é fácil constatar quanto os hospitais estão superlotados, cujo quantum de leitos cresce de maneira incontrolável, tendo em vista, as enfermidades serem muitas e provocadas pelo mundo espiritual dentro de sua ignorância que afeta o corpo físico de cada ser humano. Ao ir a um manicômio, presencia-se quantos irmãos foram tomados pela obsessão, ao levar em conta que, não compreendendo as energias que os cercam, são arrebatados de supetão e acorrentados em sua falta de conhecimento do próprio mundo onde vive cotidianamente.

O ser humano nasceu para ser feliz, entretanto, essa felicidade é conturbada com as vicissitudes da vida, os prazeres do mundo material, a insegurança como ser humano, a busca de querer soerguer-se, tudo isto forma uma estrutura em seu ego, ou em sua auto-suficiência, culminando com a ganância, o orgulho, a inveja, e muitas outras coisas mais. Com todas essas inferioridades que foram criadas dentro de si, e ligadas àqueles que estão nesta mesma linha de vibração, é que o homem, ao se deparar com uma decisão que tenha que tomar, apresenta-se a voz do apoio, e, ao mesmo tempo, a voz da discordância, cuja decisão fica difícil de ação. É aí onde entra o conhecer-se a si próprio, e o estudo da realidade onde vive, tanto da forma material, como espiritual para que possa ter consistência em sua decisão no caminho do bem.

Essa decisão passa também pelo processo religioso, ou de grupos religiosos, isto é, a pessoa ser “carismática" (católica), "Deus é Amor" (protestante), "umbandista", "quibandista", "magia negra", "espírita", ou qualquer uma outra forma de invocação, ou de convivência com o mundo extra-corpóreo, com objetivo de ajuda ao ser humano, muitas vezes, esquecendo o mundo etéreo. A convivência que se deve ter com o mundo espiritual deve ser sempre pacífica com objetivo de ajudar ao ser encarnado/desencarnado, não pelo egoísmo, ou foro íntimo, mas, sendo bom amigo e procurando levar a todos a consciência evangélica para evolução individual. Diz-se individual, melhor seria comunitária, porque em um espírito muitos outros precisam de sua evolução, pois, com um ser, está uma cadeia de máculas contraídas.

Neste contexto, discute-se o método tratado pelos “carismáticos”, e uma faixa de protestantes que trabalha com o mediunísmo, e porque não dizer alguns espíritas que também tratam irmãos espíritos com uma estupidez, e arrogância incompatíveis com um modo de pensar consciente. O poder de libertar os espíritos ignorantes do bem, que chegam até às trevas, não deve ser o método da força, das prisões seculares, ou de palavrões que lhe causam revolta e desespero; mas, a metodologia da simplicidade, da doação de amor ser o principal remédio para viver em paz e promover a luz a quem necessita. Todos os filhos de Deus, um dia chegarão à casa paterna; nem que seja dentro de um processo muito demorado, tal como acontece com muitos que precisam de conscientização, e recebem fel.

Quem presencia os trabalhos da "carismática" verifica o desconhecimento sobre o mundo espiritual, acerca do que está acontecendo, cujos irmãos que não sabem a vivência nos mundos dos espíritos, começam a dizer que estão recebendo o Espírito Santo, como que Esse Ser Superior pudesse estar em qualquer esquina à espera de quem O aceitasse. O Espírito Santo seria um Espírito de Luz que só ilumina aquele que O deseja, e está em condições para tal, pelo fato do coração (mente) já ter se libertado de um mundo de provas e expiações. O ser que quer e deseja viver, deve caminhar, dentro do princípio de ajuda mútua, de colaboração, de doação de amor e, sobretudo, de está em contato com todos, sem ódio, sem rancor, sem orgulho, sem inveja, sem perseguição e sem egoísmo, tal como ensinaram os grandes mestres.

O mesmo acontece com algumas igrejas que não se sabe bem se são protestantes, ou se usam o nome de protestantismo, como é o caso das seitas, "Deus é Amor", "Universal do Reino de Deus", "Pentecostal", "Brasil para CRISTO" e muitas outras que tratam desse tipo de mediunismo. Dizem também receber o Espírito Santo para expulsar o demônio, ou o diabo, do irmão que se encontra com enfermidade de qualquer tipo, ou até mesmo, incorporado por um espírito que necessita de luz. Esses amigos são tratados como irmãos trevosos, malignos e irrecuperáveis; portanto, sendo condenados ao fundo dos infernos, ou aos ambientes mais degradantes, insuportáveis pelos seres humanos, e pelos espíritos de qualquer vibração, pois, isto é um erro que não deve acontecer.

Finalmente, devem se tirar algumas conclusões fundamentais ao entendimento do espiritismo, como também de problemas mediúnicos, desde a atuação realmente espírita, com conhecimento da doutrina e os ensinamentos do mundo espiritual, até aos movimentos mediúnicos que usam o mundo verdadeiro dentro da ignorância da realidade dos espíritos. Incrivelmente, no mundo de hoje, a busca de contato com o mundo espiritual é muito grande, todavia, com preocupações fúteis, ou sem sentido, contra a pretensão maior do progresso de todos, que precisam conhecer a vida verdadeira. Os espíritos devem ser tratados com amor, carinho e compreensão, nunca da maneira como os são pelos irmãos que não conhecem o mundo espiritual, tipo seitas protestantes, ou católicas.

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet