ENSAIO SOBRE REENCARNAÇÃO
BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales

 

DEBATE E DISCUSSÖES

Luiz Gonzaga de Sousa

 

 

Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (238 páginas, 718 kb) pulsando aquí

 

 

 

 

ENSAIO SOBRE REENCARNAÇÃO

Ao iniciar a discussão sobre reencarnação, é importante começar com uma definição sobre este termo, tendo em vista que ele tem tomado vários aspectos ao longo da história, dentro das quais o significado de ressurreição; pois, está provado por A mais B que são dois termos diferentes, e com significados distintos. Quanto à ressurreição, sabe-se que significa nascer de novo, e no mesmo corpo; entretanto, reencarnação quer dizer nascer de novo, mas, em corpos diferentes, ao considerar que o invólucro carnal que envolve o espírito não é o mesmo na segunda, terceira, ou n vezes encarnação. Todos os homens foram feitos simples, e sem conhecer nada da vida que teriam pela frente; porém, ao vivê-la começa a impregnar-se de maldade, de débitos, e mil dificuldades.

Aos poucos os seres viventes do planeta começam a adquirir conhecimentos do bem e do mal; a despeito disto, como vivem mais próximos da maldade, aumenta mais rapidamente a tendência às coisas ruins, contudo, o que prevalece é o instinto, suplantando a razão, e o poder de decisão. Quando o instinto prevalece, esse ser tem que voltar ao mundo para tentar se libertar das suas maldades, para conseguir implantar na sua mente, somente a bondade, o amor e o conhecimento das coisas de Deus, tal como foram criadas para todos os seres viventes. Cada vez que se veste um corpo de carne, diz-se que o ser etéreo se encarnou, voltou ao mundo físico, com algumas tarefas a desempenhar; como seja, livrar-se da ignorância do bem, para ensinar a muitos que não conhecem o amor de Deus, ao poder ter-Lo como exemplo.

O planeta terra foi formado simplesmente para dar guarida aos espíritos que não quiseram progredir, foram renitentes e continuam a sofrer na frieza de sua ignorância, mesmo sentindo claramente que a lei do progresso é uma verdade incontestável, cujos filhos de Deus relutam em não compreender a sua realidade. O homem ao descobrir as coisas que estão ao seu redor, descobriu também o progresso material que está no século XX, sem saber, que cada descoberta que o homem implementa, não está sozinho; mas, uma plêiade de companheiros ilustres está ao seu lado, para ajudá-lo a melhor compreender esta questão. O homem nasce, vive e morre (desencarna); porque não se vê naquele mesmo corpo, diz-se que morreu, acabou-se, não lhe restando mais nada, a não ser a saudade.

Todavia, observe que o comentário encerra uma verdade para muitos desconhecedores da magnitude de Deus, e uma mentira para todos que já tiveram condições de saber que a vida continua, com progresso, ou com renitência, cujo homem faz questão de procurar não entender a criação de uma Força Superior. É o processo de reencarnação que dá oportunidade aos irmãos terem condições de meditarem seu passado, e tentarem construir o seu futuro; pois, o hoje é o resultado do ontem, o amanhã será aquilo que se plantou nos dias de hoje, assim sucessivamente. E, se isso não acontecer, as dores aumentarão até que se sinta a vida. O costume experiencial com a vida material faz com que não se queira entender a realidade do cosmo que obedece a lei de sua construção sem lastimações, e desentendimentos em toda a sua trajetória.

O mundo inteiro tem assistido ao fato de que muitos homens têm nascido, estudado, intelectualizado; mas, a sua índole de ignorância do bem encenada na estupidez que demonstram, é uma prova de que esse espírito é renitente, é ainda muito pequeno quanto ao conhecer as coisas materiais e espirituais. Ao chegar neste mundo, o instinto fala mais alto do que a sapiência que o homem já armazenou nas vidas, e isto é uma justificativa da reencarnação e da pequenez do espírito encarnado, pois, com este exemplo, podem se listar outros na mesma lógica. O mesmo acontecendo com aqueles que demonstram a sapiência que trazem de uma outra vida, tal como: músico quando criança; matemático sem nunca ter ido a uma escola; escritor sem conhecer a escrita; e, muitos outros casos de genialidade em comprovação.

Os grandes massacres da história, ordenados por homens perversos e extremamente ruins, quando de sua morte, continuam a praticar atos como praticavam quando vivos: pois, ao encarnarem, trazem o mesmo instinto de perversidade e maldade. Ao reencarnarem recebem pelas afinidades energéticas, a oportunidade de se redimirem de suas faltas para trilharem pelo caminho do amor. Nem sempre este fato acontece em uma próxima encarnação; porém, o espírito passa diversas encarnações para compreender o porque de tudo isto que está acontecendo para com ele. O importante é que Deus não abandona suas criações. Todos são tratados igualmente, tendo as mesmas oportunidades, mais atenção dos irmãos de luz, devido ao seu estado de primitividade, mas, sempre respeitando a livre individualidade de cada um sem excessão.

Do mesmo modo que os grandes massacradores, ou os homens maus da história; os bons também vêm ao mundo para ajudar no processo de desenvolvimento do ser humano, aproveitando que ainda precisam eliminar algumas máculas que contraíram, e necessitam suprimir de seu perispírito. É fácil ver muitos irmãos bons que servem de exemplo para aqueles renitentes, que se locupletam no mal, que não fazem nenhum esforço com vistas ao seu progresso individual; todavia, os bons são irmãos que já têm amor em seu coração, para espargir para a humanidade. Esses irmãos devem ser tomados como exemplos para auxiliar aqueles que precisam de ajuda, nem que seja através de preces, de orações, de vibrações positivas em sua trajetória, porque muitas das vezes o irmão quer evoluir, mas, é tão pequeno que não tem forças para caminhar sozinho.

A oportunidade é dada; entretanto, sozinha é que a pessoa deve se esforçar para conseguir disposição para enxergar o caminho que deve seguir, porém, uma ajudazinha é sempre bem vinda para aquele que as suas condições não são boas para a sua própria caminhada. O importante é iniciar para poder receber as forças externas para a ajuda a essa trajetória, que, para os fracos, é muito pesada e difícil, ao considerar que só conseguiram nos primórdios da vida, facilidades e beneces do mundo material, esquecendo-se da auto conscientização que tem que viver plenamente. Já se tem comprovado de diversas formas que a reencarnação é uma realidade incontestável, pelas sabedorias maiores do mundo material, que sabe mais do que ninguém, que os conhecimentos não se têm de uma só vida.

Assim, veja que a vida, isto é, o tempo que se vive no planeta terra vem cada vez mais diminuindo intensivamente, devido aos despojos das coisas materiais; isto significa dizer, o aparecimento da sutileza do espírito, sendo mais e mais aprimorado, deixando de lado tudo aquilo que se adquiriu no mundo de provas e expiações. A compreensão do mundo eterno, liberta o ser humano do apego das coisas materiais; o sentido de posse não deverá mais existir, e tudo aquilo que desperta ignorância do bem, será substituído pela prática do amor, do real significado da felicidade que pouco se compreende. A reencarnação ensina a compreender tudo isto com muita facilidade, porque cada encarnação é um momento de se deparar com a verdade, que desconhece e não procura conhecê-la, a não ser quando a dor lhe bate à porta, com muita intransigência e força.

A reencarnação não é reconhecida somente pelos espíritas e almas dos tempos modernos. Muitas pessoas, por ignorância do bem, não conhecem o processo de voltar à vida, e quando alguns reconhecem, exageram quanto a esta volta, como é o caso dos faraós, e de muitos reis do passado. Pessoas comuns também a reconhecem, até guardam riquezas para quando voltar. A espiritualidade informa que não é assim, como acreditam esses irmãos, pois, a volta acontece; entretanto, o esquecimento do passado é o principal ponto, tendo em vista que a reencarnação é uma oportunidade de melhoramento e de compreensão da vida espiritual. É fundamental deixar claro que esquecer o passado, esquece-se; contudo, lentamente, dependendo das condições pessoais, as oportunidades de saber o passado vão surgindo.

Nas religiões onde a reencarnação não existe, ou não é aceita, significa dizer que depois da morte, tudo se acabaria, esperar-se-ia um juízo final; e este juízo, se tudo se acabou com o desencarne, como dizem alguns religiosos, que não conhecem a reencarnação que é uma realidade, como ficaria! Enquanto não se reconhecer a reencarnação como uma correção necessária, não se terá condições de entender a dinâmica da vida universal, tanto espiritual como física, tal como os homens vivem no seu dia a dia. Sem reencarnação não há como entender que se pode sentir a lei do amor, que se mostra na libertação das negatividades que foram adquiridas no transcorrer de algumas encarnações; pois, este processo dá prova da justiça divina, e da misericórdia de como se criaram a todos.

Finalmente, a reencarnação é uma realidade que ninguém pode e deve negar, porque, mais do que nunca, provas existem e são tantas, que não se pode refutar que a reencarnação não pode ser tomada apenas como um credo, mas, como uma verdade, que todos devem saber, que o ser inteligente não morre, apenas transfere-se de sintonia, se progrediu. O mais importante nisto tudo, não é que os seres humanos acreditem na reencarnação; porém, os desencarnados compreendam que a vida continua, mesmo depois da morte física, e muitos irmãos que desencarnaram não entendem seus sofrimentos e suas dores seqüenciais. Portanto, não importam as denominações que deram ao longo dos tempos à morte; o importante, é que, com a reencarnação, Deus emite a oportunidade a todos que precisam eliminar suas máculas, e partir para a perfeição, que é objetivo de todos que encarnam e reencarnam.

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet