El cooperativismo una alternativa de desarrollo a la globalización neoliberal para América Latina

CARLOS GOMES

DECLÍNIO DO SISTEMA COMUNITÁRIO

O sistema comunitário criou e desenvolveu dentro de si as potencialidades e as premissas que conduziram à sua decadência. A produção intensiva de alimentos por iniciativa do homem acaba por conduzir à rotura da partilha comunal. Enquanto que no modo de produção recolector os povos dividiam equitativamente entre si os reduzidos víveres obtidos, a transição para a produção de alimentos começou a abalar esta interdependência e reciprocidade e a substitui-las pela posse individual da maior quantidade de recursos possível. Em regiões, onde o sistema comunitário ainda persistiu por vários milénios, este foi absorvido por populações já integradas noutros sistemas económicos ou dizimado violentamente, sendo raros os casos em que conseguiu subsistir até à actualidade.

O desenvolvimento constante das forças produtivas elevou-se a um nível que permitiu aos povos atingir uma produção superior à indispensável para satisfazer as suas necessidades directas. A conservação e acumulação de excedentes, resultantes da intensificação da produção agrícola e pecuária, não já partilhadas por toda a comunidade mas, pelo contrário, concentradas nas mãos dos chefes tribais, criou as premissas para a sua apropriação coerciva, a acumulação da riqueza e o aparecimento de desigualdades materiais.

A terra arável e os pastos, embora permanecendo como propriedade comunal, começaram a serem atribuídos entre as famílias inseridas na comunidade agrícola. Cada cultivador tende a explorar por sua própria conta os campos que lhes foram distribuídos e a apropriar-se dos instrumentos de trabalho e dos frutos recolhidos. Esta apropriação torna-se incompatível com a partilha igualitária entre todos os membros da comunidade dos bens produzidos. A acumulação da riqueza em gado fará nascer no seio da própria comuna um conflito de interesses que acelera a tendência para novas formas de propriedade. A terra arável começa a ser objecto de apropriação privada, embora as florestas, as pastagens e as terras baldias permaneçam propriedade comunal.

A expansão das sementeiras e da pastorícia, trabalho pesado e distante dos acampamentos, está relacionada com uma mudança potencial nas atribuições dos sexos, em consequência duma maior redução por parte da mulher nas tarefas relacionadas com a obtenção de alimentos e uma mais ampla participação na vida doméstica, consequente da formação da residência sedentária. Acentuou-se a divisão social de trabalho entre o homem e a mulher e, com ela, a passagem do direito materno para o direito paterno que abriu uma brecha na organização gentílica e que, mais tarde, se reflectiu na posse dos bens materiais e no aparecimento dos primeiros indícios de trabalho escravo. A família constituída nesta base adquiriu a característica duma unidade de produção, de acumulação de riqueza e de transmissão hereditária de bens.

Nos últimos estádios do regime comunitário iniciou-se a diferenciação das pessoas consoante a sua posição em relação à posse dos meios de produção. Estes acumularam-se na mão duma classe social em fase nascente, embora ainda não institucionalizada.
Na estrutura política o poder afasta-se cada vez mais da intervenção colectiva e directa da população. Ganha forma o culto do chefe e com ela a tendência para a sacralização do seu poder, com atribuição de direitos, deveres e funções que se vêm a reflectir na apropriação dos meios de produção e na distribuição igualitária dos bens produzidos. Trata-se duma modificação ideológica significativa que se reflectiu no evoluir para um novo sistema económico.
 

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet