El cooperativismo una alternativa de desarrollo a la globalización neoliberal para América Latina

CARLOS GOMES

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO

A actividade produtiva é caracterizada por uma diminuição da simples recolha de alimentos e da caça à medida que se amplia o cultivo de cereais, se desenvolve a horticultura e a criação de animais. A produção agrícola implica um trabalho a prazo, sem efeitos imediatos, bem diferente da simples recolha de plantas.

Antes, o mesmo indivíduo ou a comunidade em si produzia os seus próprios instrumentos de trabalho, caçava, recolhia alimentos, etc. Estas tarefas foram-se separando a pouco e pouco o que ocasionou uma tendência para uma grande expansão do artesanato. Entre os agricultores, os pastores e os artesãos intensificou-se a permuta de instrumentos de trabalho ou utensílios por géneros alimentícios com as consequentes implicações na troca directa que deixa de ser acidental e passa a adquirir um carácter de frequência regular.

Estas alterações na actividade acarretaram profundas modificações no modo de vida e nas relações entre os homens. A remodelação da organização da produção provocou alterações radicais necessárias à consolidação da nova sociedade agrícola. As unidades económicas passam assentar nas famílias que, por sua vez, se integram num espaço económico mais amplo e coeso.

A especialização na agricultura, pastorícia e artesanato ampliou a divisão do trabalho e implicou uma coordenação das actividades laborais no sentido de as tornar mais eficazes. A caça de animais de grande porte exige uma acção conjunta e coordenada bastante complexa. O modo de produção alimentar pressupõe um funcionamento mais centralizado e uma direcção baseada numa hierarquia aceite pela comunidade. Aproveitando os conhecimentos acumulados ao longo de milénios, o homem revelou, pela primeira vez, a sua capacidade e possibilidade de programar e controlar a produção dos seus meios de subsistência.

A acção do homem sobre a natureza assume um carácter premeditado e orientado para objectivos determinados e previamente conhecidos, o que implica uma gestão consciente. A produção de artefactos atinge um nível em que o seu fabrico se divide em várias etapas que podem ser executadas por diversos membros da comunidade. As tarefas de cada indivíduo tornam-se cada vez mais específicas e orientam-se segundo o sexo, a idade e as aptidões para uma outra ocupação. A divisão do trabalho é a mais importante premissa da formação da actividade consciente.

A actividade económica começa a exigir uma instituição reguladora. O trabalho é organizado pelos membros mais velhos e mais experientes da comunidade, guardiões da informação acumulada, designadamente, os anciãos e os chefes do clã ou da tribo. As relações entre os agricultores e os primeiros trabalhadores especializados e a necessidade de proceder a certos trabalhos de maior porte em comum, requeriam o estabelecimento de costumes, aceites por todos, para a harmonia das relações entre os habitantes. As tradições e os costumes constituíram as primeiras formas de governo consciente que, posteriormente, se transformaram em leis não escritas.

Surgem indícios dum severo sistema de ensino e educação da juventude, nomeadamente na preparação de caçadores ou na aprendizagem da técnica de fabrico de instrumentos, transmitida de geração para geração.
 

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet