El cooperativismo una alternativa de desarrollo a la globalización neoliberal para América Latina

CARLOS GOMES

MEIOS TÉCNICOS E ENERGÉTICOS

Há uma ligação entre os meios técnicos utilizados e as necessidades imediatas de sobrevivência, os materiais disponíveis no meio ambiente e o estímulo humano de aperfeiçoamento e redução do esforço desenvolvido.

A evolução da técnica manifesta-se com mais evidência na regularidade e na simetria das formas dos instrumentos. Há uma tendência para reduzir o tamanho dos instrumentos e os adaptar às actividades predominantes, como a caça ou a colheita de plantas.

Ao longo do tempo pode observar-se um refinamento das técnicas de manufactura. É notório o peso da tradição, mas o homem tem demonstrado uma grande capacidade de transmitir aos seus descendentes os conhecimentos tecnológicos adquiridos. A aptidão a viver em comum amplia a sua capacidade técnica.

Os processos técnicos utilizados, embora aplicados em épocas diferentes, não revelam diferenças sensíveis nas diversas regiões onde o ser humano se foi instalando, quer seja na África, na Europa, na Índia, na América do Norte ou do Sul.

REFORÇO DA ENERGIA MUSCULAR

A força muscular do homem foi a mais primitiva forma de utilização de energia. Utilizando a sua força, arremessou pedras, lanças e setas, carregou com animais, pedras e outros materiais. Com a ajuda dum tronco, colocado por baixo a servir de ponto de apoio, fez movimentar blocos de pedra. Utilizando peças de madeira, apoiados na água fez deslocar barcos. A sua energia cedo foi reforçada através de técnicas que correspondiam, sem o saber, à força da gravidade, ao princípio da alavanca e da concentração de energia.

Com o efeito da percussão, o homem consegue aumentar o peso útil e repartir melhor o esforço produzido. A percussão aparece assim como uma importante via de progresso humano, através da acção dum instrumento sobre uma peça fixa ou do lançamento sobre a matéria a atingir. São exemplos do primeiro caso, o uso do pau de rebuscar, o atirar de pedra contra pedra, o uso de instrumentos com o fim de fragmentar, quebrar ou esmagar, furar, cortar ou talhar os materiais disponíveis. A percussão lançada amplia o alcance do objecto a atingir. A invenção do propulsor e depois do arco e da flecha, do arpão e do anzol, foram importantes êxitos do homem primitivo. Surge assim uma “máquina” já composta por dois elementos. O propulsor era constituído por uma curta haste feita de armação de veado ou madeira flexível. É ainda utilizado nos nossos dias para o lançamento de azagaias. O arco é um engenho propulsor na sequência da força humana do braço, que prolonga a maior distância a energia muscular. Surgiram assim armas de arremesso para matar presas à distância.

Estas técnicas permitiram a expansão da caça e da pesca e contribuíram para facilitar e ampliar a produção de instrumentos de trabalho.

O DOMÍNIO DO FOGO

O fogo é um bem ou um mal da Natureza. Porém, não se encontra à disposição do homem como a água ou o solo. É preciso dominá-lo, conservá-lo, produzi-lo e utilizá-lo. Para isso é indispensável a utilização de técnicas muito específicas, que levaram muitos milénios a conquistar.

Os vestígios mais antigos do fogo, encontrados em África, datam de mais de um milhão de anos, mas não está provado que não seja ainda o efeito dum fogo ocasional que queimou algumas placas de argila. A primeira prova realmente convincente do domínio do fogo, até agora, data de há cerca de 460 mil anos, segundo os testemunhos encontrados numa gruta existente no Norte da China.

É possível que, numa primeira fase, o fogo não tivesse sido produzido mas apenas mantido e cuidadosamente guardado aceso, após um incêndio de arbustos ou árvores. O fogo só começou a ser produzido conscientemente pelo homem quando para o obter bate uma pedra sobre um bocado de pirite ou esfrega dois bocados de madeira seca. Só então foram criadas as condições para o usar e controlar. A técnica de domínio e emprego do fogo constituiu um dos maiores êxitos humanos e representou um salto gigantesco no desenvolvimento das forças produtivas. Traduziu-se numa primeira grande vitória do homem sobre os elementos da Natureza e um enorme passo em frente no aperfeiçoamento dos utensílios e instrumentos de trabalho e em toda a actividade produtiva.

Aproveitando a madeira como combustível, o homem consegue atear verdadeiras lareiras para o tornar disponível quando e onde pretende. Em muitas grutas, foram encontrados pelos arqueólogos depósitos de cinzas. Como fonte de calor, o domínio do fogo completou a vida nos abrigos durante os períodos frios. A sua utilidade, neste aspecto, depende do clima das regiões. As entradas das grutas e os acampamentos ao ar livre ficaram protegidos contra o meio ambiente e os predadores.

O fogo tornou-se vital como protecção contra a rigor dos invernos, sem o que não teria sido possível o avanço das populações originárias das faixas tropicais ou temperadas para as regiões mais frias. A sua deslocação não seria viável sem uma vital protecção contra o efeito da altitude ou dos rigores do Inverno. Só com o domínio do fogo foi possível o homem suportar as temperaturas das áreas próximas dos glaciares.

A utilização do fogo exerceu grande influência no modo de vida dos habitantes, na criação de novas necessidades. As populações aprenderam a cozer os seus alimentos, a aquecer os abrigos, a produzir recipientes pela moldagem da argila, a endurecer as pontas das seta, a proteger-se dos animais selvagens.

Como fonte de calor e de luz, o fogo pode ter constituído um centro de reunião ao possibilitar o convívio e o prolongamento dos trabalhos para lá do fim do dia. A atenção constante exigida pelo fogo e a influência atractiva podem ter contribuído para reforçar o sentido de comunidade dos grupos reunidos num abrigo.

Objecto de mistério, de temor e de veneração, o fogo foi também origem de mitos primitivos, de motivos religiosos, de prática de magia.

OUTROS MEIOS TÉCNICOS

No aperfeiçoamento da produção de pedras lascadas o homem utilizou técnicas que marcaram um grande avanço para a época. A operação de talhe permitia a remoção de um ou mais fragmentos de lascas de um pedaço de matéria-prima. O uso da fricção é um dos mais antigos meios utilizados no retoque dos primeiros instrumentos em pedra lascada.

Em algumas regiões, por exemplo na Índia e no Paquistão, encontraram-se autênticas “oficinas” de talhe junto das fontes de matéria-prima, onde por vezes se situavam os próprios acampamentos.

Nas suas migrações o homem aproveitou a força energética proveniente da água. Os rios foram transformados em caminhos que concorreram com os percursos térreos. Cavalgando troncos de árvore e depois escavando-os com o auxilio do fogo, o homem procurou vencer os lagos, as correntes fluviais ou marítimas.

A utilização de certas propriedades da água e da argila, matéria-prima largamente espalhada pelo mundo inteiro, ligada ao domínio do fogo, possibilitou a descoberta da técnica de moldagem. Esta técnica permitiu o desenvolvimento da olaria entre os povos espalhados pelos diversos continentes.

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet