Observatorio de la Economía Latinoamericana


Revista académica de economía
con el Número Internacional Normalizado de
Publicaciones Seriadas ISSN 1696-8352

ECONOMÍA DO BRASIL

MODELO ECONÔMÉTRICO DA QUANTIDADE DEMANDADA DE CAFÉ EM RELAÇÃO AOS PREÇOS DE OUTROS ALIMENTOS DA CESTA BÁSICA NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM-PA-BRASIL-AMAZÔNIA




Gabriela Septímio
Marco Antonio Pinheiro
Renata Barra
Heriberto Wagner Amanajás Pena (CV)
heripena@yahoo.com.br
UEPA



Resumo
O presente artigo trata-se de um estudo econômico, que, através de pesquisa quantitativa e análise de dados com testes econométricos(programa eveiws 3.0) avalia o comportamento do consumo de café em relação: aos preços de alguns dos alimentos complementares a ele dentro da cesta básica, ao número de pessoas por família e a renda da mesma.
Palavras-chave: café, demanda, eviews 3.0

Abstract
The following paper treats about an economic study, that, with an quantitative research  and economic data analysis(eviwes 3.0 software), evaluates the configuration of the coffe consuming associated with: the price of some its complementary elements inside the elementary food, the number of family members and their income.
Key-words: café, demand, eviews 3.0

Para ver el artículo completo en formato pdf pulse aquí


Para citar este artículo puede utilizar el siguiente formato:

Septímio, Pinheiro, Barra y Amanajás Pena: "Modelo econômétrico da quantidade demandada de café em relação aos preços de outros alimentos da cesta básica na região metropolitana de Belém-Pa-Brasil-Amazônia", en Observatorio de la Economía Latinoamericana, Número 169, 2012. Texto completo en http://www.eumed.net/cursecon/ecolat/br/


1.Introdução
O café é um dos produtos mais tradicionais da agricultura Brasileira estando presente na evolução histórica do país. O começo dessa cultura se deu no século XVIII passando por momentos de destaque, onde foi, por um tempo, o único financiador da economia do Brasil, porém, também passou por momentos de dificuldades, como a crise dos anos 30, onde o Brasil começou a sentir necessidade da industrialização.
O mercado de concorrência perfeita possui as seguintes características: Número alto de produtores e demandantes do produto, produtos homogêneos, não há barreiras à entrada no mercado, transparência do mercado e a não intervenção do Estado. Desta forma, sabe-se que a maioria dos produtos agrícolas do Brasil se enquadra nesse tipo de mercado.
Apesar das constantes mudanças, o café continua tendo grande participação na balança comercial do Brasil, sendo o primeiro produtor e segundo maior consumidor mundial. As seguintes regiões são fortes produtoras de café: Sul de Minas, Cerrado de Minas, Matas de Minas (O estado de Minas Gerais é responsável por 53% da produção Brasileira de café), Bahia, Paraná, Espírito Santo, Rondônia e o Nordeste de São Paulo. A renda dessa população depende de um resultado positivo do valor do café no mercado Internacional.
O objetivo deste estudo é quantificar a relação do café com os outros bens presentes na cesta básica brasileira, dentro do mercado da cidade de Belém do Pará, de forma a ser verificado economicamente as características do consumo deste produto em relação aos diversos fatores atuantes na função demanda do café.
2.Referencial Teórico
2.1.Modelo Teórico
O modelo teórico deste artigo se fundamenta na teoria da demanda, ao qual se refere às quantidades desejadas pelo mercado assim como a quantidade demandada que é a quantidade consumida efetivamente dos diferentes bens, com preços alternativos e ao longo de determinados períodos. A curva de demanda envolve a quantidade que os consumidores desejam comprar, à medida que muda o preço unitário da mercadoria.
De acordo com a demanda do mercado é possível que a variável oferta esteja em compasso com a quantidade demandada criando, assim, um equilíbrio de mercado.
Como já dizia Hazlitt (1946) “A demanda econômica efetiva requer, não apenas necessidades mas, também, o correspondente poder aquisitivo.” A demanda de toda mercadoria depende do seu preço, da renda do consumidor alvo, assim como do preço de mercadorias complementares. Por exemplo: no caso do café abordado neste artigo, se o preço do café subir, logo a demanda cairá. Se a renda demanda aumentará ou diminuirá, assim como as quais as mudanças são influenciadas pelas variáveis. 
Na economia, a relação entre a sensibilidade da demanda de determinado bem em relação à mudança na sua renda, é expressa pelo termo elasticidade-renda da demanda. Logo se defini elasticidade-renda: a mudança percentual na quantidade de determinado bem, dividida pela mudança percentual na renda.
Quando:
Isso significa que um bem normal ou superior para um indivíduo e inferior para outro indica preferências individuais ligadas à classe de renda ao qual pertence.
A ligação das variáveis aqui estudadas foram analisadas de acordo com a relação da “mudança na renda dos consumidores” e em relação à “mudança dos preços de outros bens”, e para haver esse entendimento mostraremos as suas subdivisões:
I-Mudança na renda dos consumidores:
1-Bens normais: segundo MANKIW (2001) “é um bem para o qual um aumento na renda é seguido por uma elevação na quantidade consumida”,ou seja, consumo em crescimento enquanto acompanha o crescimento da renda dos consumidores

2-Bens inferiores: MANKIW (2001) diz que um bem é inferior quando o consumidor compa-o em menor quantidade enquanto a renda cresce.tem sua curva da demanda  comportada  inversamente proporcional à renda dos compradores.

II- Mudança no preço de outros bens:
1-Bens Complementares: Estes têm suas demandas alteradas positivamente quando o preço de outro produto cai e a demanda também cresce.

2-Bens Substitutos: Observa-se uma alteração negativa na curva da demanda de um produto tendo em vista o aumento de demanda de outro advindo de uma baixa no preço deste.

2.2. Modelo Matemático
De acorodo com SANTANA(2005) “Mercado sempre foi compreendido como o lugar onde os bens (de consumo duráveis e não duráveis) e serviços são comprados, vendidos e trocados”
Na Aplicação da fase de coleta de pesquisa, foram aplicados 366 quiestionários abrangendo um total de amostra de 1598 pessoas, de diversos lugares, faixa etária, renda e costumes dentro da cidade.
Foram definidos através de  estudos anteriores e dados históricos que de acordo com a equação da demanda, a quantidade demandada de café estaria em função de uma série de variáveis, tais como: preço, despesa, renda( que como afirma MANKIW 2001, é o que faz o consumidor consumir menos ou mais) e população. Para uma hipótese inicial, analisou-se as variáveis em estudo e, então, julgou-se doze delas como influentes sobre a demanda de café.

A partir destes primeiros parâmetros, foram realizados testes econométricos que avaliaram o nível de relação entre as variáveis que culminou na equação da demanda do café no mercado interno da cidade de Belém do Pará.

Analisando novamente as variáveis iniciais que escolhemos temos que :           

1-As variáveis com os preços inversamente proporcionais são ditas Complementares.
2-A despesa é inversamente proporcional a quantidade demandada
3- a Quantidade de pessoas na família e a Renda familiar aumentam o consumo do produto estudado: Café.
Tais variáveis são complementares ao café, pois se seus preços subirem, o consumo de café cai. Não é o que acontece com a quantidade de pessoas que compõe a família e com a renda da mesma pois, quanto maiores forem tais variáveis, maior será a demanda pelo café, configurando o que chama-se, como visto, de bens normais.
2.3. Método Geométrico (Regressão Linear Múltipla)
A Regressão Linear Multipla (RLM), é um modelo que permite relacionar variáveis, ou seja, estimadores, para que sejam analisadas em relação a sua carga de efeitos umas com as outras. o modelo de regressão que relaciona a dependência causal entre
uma variável, X, e outra Y. SANTANA (2003)
De acordo com Santana (2005), o modelo geral de regressão linear múltipla pode ser escrito da seguinte forma:

Onde:
Y é a variável dependente;                           
X1,...,Xk são as variáveis independentes ou explicativas incluídas na regressão;
t é a t-ésima observação de cada variável dependente e independente;
e termo de erro aleatório e satisfaz as hipóteses clássicas do modelo de RLC;
b0 ,b1,...,bk são os coeficientes parciais ou parâmetros de regressão múltipla a serem
estimados, em que b0 é o intercepto e os demais b
i (i=1,2,...,k) são as inclinações.
Adaptando para nosso estudo,

Onde,
C: constante; intersepto.
R² e R² ajustado apresentarem resultados 18% e 16%, respectivamente, é algo perfeitamente aceitável devido o  estudo em questão, uma vez que ele não está sendo feito em séries temporais, por exemplo, o que exigiria valores próximos a 95%.
F probabilístico apresentar valor 0%, valor menor que 5%,  indica que a hipótese nula foi rejeitada, ou seja, o modelo de regressão linear é válido como modelo de estimativa.
Devido a tolerância de 5%, foram recusadas as variáveis Preços do café, bolacha, manteiga, margarina, pão e despesa familiar com alimentação.
Atesta-se quais variáveis estatisticamente estão associadas à demanda de café. A despesa que a família tem com a alimentação (o quanto ela está disposta a destinar de sua renda a isso) e algumas variáveis complementares. Achocolatado, açúcar e leite são comunmente consumidos juntamente ao café na região metropolitana de Belém, de forma que muitos consumidores só consomem o grão se acompanhado de um desses.

2.Estudo de Caso
Analisando o quadro de correlação, a variável com maior coeficiente é ACUCAR, 0.26. Essa foi a primeira variável escolhida para a regressão simples.
Equação resultante: QCAFE = 0.422779 + 0.467043 * ACUCAR
F-statisticc< 0,05
R²  0
A variável explica 6,8% das variações na quantidade consumida de café (QCAFE).
Feito o procedimento acima, adicionou-se as variáveis restantes todas de uma vez e gerou-se uma regressão múltipla.
Equação resultante: QCAFE = 0.2 + 0.33*ACUCAR – 0.57 * LEITE_LIQUIDO01 -0.1*LEITE_EM_PO01+0.14*ACHOCOLATADO+0.12*DESP
F-statistc < 0,05
R² 0
As variáveis agora explicam 16,6% do consumo de café (QCAFE), valor muitíssimo superior ao referente a somente uma variável independente.

A hipótese nula de normalidade dos resíduos foi rejeitada, uma vez que a variável Probability foi inferior a α (5%). Isso pode ser explicado, por exemplo, pela própria natureza do estudo, que não envolveu longos períodos de tempo ou uma área maior de abrangência, por exemplo. Mas será dado prosseguimento ao artigo utilizando os dados dessa forma.
Em seguida, o teste White Heteroskedasticity:
A homocedasticidade não foi garantida pois o teste F-STATISTIC  apresentou valor de 2,98%, que é inferior a α, ou seja, rejeição da hipótese nula. Isso significa que os dados regredidos não encontram-se mais homogeneamente e menos dispersos (concentrados) em torno da reta de regressão do modelo.
D(Durbin-Watson stat) possui valor próximo a 2, o que significa a não existência da autocorrelação entre os resíduos, ou seja, o valor de uma realização de uma variável aleatória não é capaz de influenciar seus vizinhos.
Conclusão
A modelagem dos perfis de consumo do produto café na cidade de Belém do Pará, permitiu indicar que o modelo foi apropriado para avaliar as questões do mercado consumidor, de outro modo os coeficientes técnicos se ajustaram aos princípios teóricos da teoria elementar da demanda proporcionando fomento para pesquisas em outras áreas de influência do café.
De acordo com os testes econométricos feitos no programa eviews 3.0, podemos destacar os produtos que influenciam e estruturam a equação da demanda do café e o comportamento da mesma.
É percebido, ao final dos testes, que as variáveis: Açúcar, Leite em pó, Leite Liquido, Achocolatado, e Despesas; influenciam diretamente no consumo do café.
REFERÊNCIAS
MANKIW, N. Gregory. Introdução à Economia: Princípios de Micro e Macro Economia. 2 ed. São Paulo: Campus, 2001.
SANTANA, Antonio Cordeiro de. Elementos de Economia, Agronegócio e Desenvolvimento Local. 1 ed. Belém: UFRA, 2005.
SANTANA, A. C. de. Métodos quantitativos em economia: elementos e aplicações. Belém: UFRA, 2003.
KRUGMAN, Paul R, and  Robin N Wells. Introdução à Economia: 1 . Elsevier: São Paulo, 2006


Nota Importante a Leer:

Los comentarios al artículo son responsabilidad exclusiva del remitente.

Si necesita algún tipo de información referente al artículo póngase en contacto con el email suministrado por el autor del artículo al principio del mismo.

Un comentario no es más que un simple medio para comunicar su opinión a futuros lectores.

El autor del artículo no está obligado a responder o leer comentarios referentes al artículo.

Al escribir un comentario, debe tener en cuenta que recibirá notificaciones cada vez que alguien escriba un nuevo comentario en este artículo.

Eumed.net se reserva el derecho de eliminar aquellos comentarios que tengan lenguaje inadecuado o agresivo.

Si usted considera que algún comentario de esta página es inadecuado o agresivo, por favor, pulse aquí.

Comentarios sobre este artículo:

No hay ningún comentario para este artículo.

Si lo desea, puede completar este formulario y dejarnos su opinion sobre el artículo. No olvide introducir un email valido para activar su comentario.
(*) Ingresar el texto mostrado en la imagen



(*) Datos obligatorios

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net > Observatorio de la Economía Latinoamericana

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet