Cuadernos de Educación y Desarrollo

Vol 2, Nº 14 (abril 2010)

A AVALIAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA: DIAGNÓSTICO E MEDIAÇÃO


 

César Augusto Soares da Costa (*)
csc193@hotmail.com

 

Em relação às discussões presentes no meio educacional sempre está presente o discutido e tratado o tema da avaliação. Temática à qual me sinto muito provocado e me sugere intuições interessantes a respeito da mesma sob enfoque da Ensino a Distância. Pois abordar a questão da avaliação na EAD implica envolver com antigos e recorrentes problemas educativos, condicionados muitas vezes, a aspectos institucionais, sociais e afetivos.

Na Pedagogia tradicional, dá-se ênfase ao conhecimento com valor em si mesmo, estruturado de forma linear e transmitido pelo professor ao aluno. Assim, a avaliação (prova) é uma sentença, um juízo conclusivo, realizado ao final, quando não há mais possibilidades a serem tomadas para reverter esse quadro (nota baixa, reprovação). No enfoque construtivista, o processo pedagógico abre tendências para o que chamamos de um processo educativo estabelecido a partir da relação entre professor, aluno e conhecimento. Para este viés, o professor assume uma interação onde os saberes são construídos, priorizando projeções futuras e ações orientadas visando o diálogo. Pensando assim, afirmo que de acordo a minha concepção de educação (embora não seja o mais perfeito e também não tenho essa pretensão) percebo que o nosso processo avaliativo de duas formas: como diagnóstico e como mediação.

Como diagnóstico, creio permitir uma relação mais estreita do processo pedagógico por objetiva apontar para patamares em que se encontra a aprendizagem do aluno, com vistas à uma tomada de decisões necessárias (na esfera da EAD é um imperativo visto nas tarefas propostas). A questão que fica é que nem sempre esse diagnóstico acontece!

Enquanto mediação, vem a ser uma etapa da construção do conhecimento do aluno e outra etapa possível de produção por ele mesmo de um saber mais fecundo e mais complexo. Ou seja, a avaliação nesta perspectiva além de diagnosticar o ensino e a aprendizagem, busca ampliar a autonomia, da crítica, e da responsabilidade do aluno, o que é também o maior objetivo do processo pedagógico e que necessita estar presente em todos os momentos da dinâmica ensino-aprendizagem e avaliação e na modalidade de EAD nem pode ser contrário.

Logo, os critérios avaliativos de linguagem, autonomia, criticidade, participação, síntese e outros, servem sempre de base para avaliarmos os alunos para que possamos almejar um processo cognitivo e pedagógico mais coerente. Mas insisto, que tais critérios devem servir de parâmetro quando partirmos da premissa de perceber no processo pedagógico a avaliação como diagnóstico e mediação, condições a meu ver, fundamentais para o EAD!

Insistimos que a permanência nos critérios por mim apontados (e claros em nossa atuação) devem ter também uma relação com dois outros eixos correspondentes para que possamos obter coerência avaliativa: cooperação e responsabilidade de todos os envolvidos. Assim, o aluno deve também perceber que ele também exerce um papel importante, pois a avaliação não servirá como um mero produto, mas um processo porque envolve todos.

Para finalizar minha contribuição, reafirmo que o processo pedagógico no EAD no que tange a avaliação deve ter clareza de seu papel, o que implica reconhecer que a avaliação deverá se pautar por estes dois princípios: transparência e justiça!

Referências

GRILLO, Marlene. Porque falar ainda em Avaliação. Porto Alegre: 2005. (mimeo).

______. Práticas docentes e referenciais norteadores. Porto Alegre: 2005. (mimeo).

* Sociólogo, Professor e Educador. Doutorando em Educação Ambiental/FURG. Mestre em Ciências Humanas/PUCRS. Tutor no curso e Pós-Graduação em Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação/FURG. Professor nos cursos de Pós-Graduação em Educação do Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina na cidade de Pelotas/RS.


 

Nota Importante a Leer:

Los comentarios al artículo son responsabilidad exclusiva del remitente.

Si necesita algún tipo de información referente al artículo póngase en contacto con el email suministrado por el autor del artículo al principio del mismo.

Un comentario no es más que un simple medio para comunicar su opinión a futuros lectores.

El autor del artículo no está obligado a responder o leer comentarios referentes al artículo.

Al escribir un comentario, debe tener en cuenta que recibirá notificaciones cada vez que alguien escriba un nuevo comentario en este artículo.

Eumed.net se reserva el derecho de eliminar aquellos comentarios que tengan lenguaje inadecuado o agresivo.

Si usted considera que algún comentario de esta página es inadecuado o agresivo, por favor, pulse aquí.

Comentarios sobre este artículo:

No hay ningún comentario para este artículo.

Si lo desea, puede completar este formulario y dejarnos su opinion sobre el artículo. No olvide introducir un email valido para activar su comentario.
(*) Ingresar el texto mostrado en la imagen



(*) Datos obligatorios

 
Cuadernos de Educación y Desarrollo es una revista académica de formato electrónico y de aparición trimestral, editada y mantenida por el Grupo de Investigación eumednet de la Universidad de Málaga.

Los autores interesados deben enviar sus textos en formato DOC a: lisette@eumed.net junto a un resumen actualizado de su CV.

Director
Gerardo J. Gómez Velázquez (CV)

Editor Ejecutivo:
Juan Carlos M. Coll (CV)
ISSN: 1989-4155
EUMEDNET

Logo CED
CUADERNOS DE EDUCACIÓN Y DESARROLLO
revista académica semestral

Universidad de Málaga > Eumed.net