Cuadernos de Educación y Desarrollo

Vol 2, Nº 13 (marzo 2010)

EDUCAÇÃO E LIBERTAÇÃO EM GUSDORF


 

César Augusto Soares da Costa (*)
csc193@hotmail.com

 

Toda busca pelo conhecimento é o educando que realiza. No entanto, ninguém realiza essa busca isolado. Por isso, o processo educativo é um processo intersubjetivo do qual exige um educador, cuja tarefa é ajudá-lo neste processo libertador. Tomado estas premissas iniciais, pensamos em trazer à lume algumas considerações sobre esta tarefa, a partir do referencial teórico Gusdorf, sobretudo, em sua obra clássica, Professores, para que?

Para Gusdorf, o papel do educador não se reduz a transmissão monológica do saber, muito menos a programas, métodos, técnicas, conteúdos selecionados para memorização, fatos, informações. O papel do educador consiste em libertar pelo diálogo, pela presença, pela relação pessoal, pelo testemunho. Segundo ele, o papel do Mestre é, interceder dando forma a valores, indo ao encontro com o melhor, desmascarando uma identidade que a si mesmo ignorava e permitindo que a personalidade passe o ato e a si mesma e se escolha.

No seu entender, o essencial fica escondido, subentendido nos conteúdos, nas palavras citadas. Pois aquilo que se fala é um pretexto. O método em si mesmo só oferece garantias ilusórias, pois os métodos mais arcaicos serão maravilha no caso do Mestre aceito e estimado pelos alunos. A pedagogia é, acima de tudo, um mistério. O papel do professor não deve ser reduzido a uma afirmação impessoal; é uma presença secreta. Não se encontra diante da turma, mas na, com e para a turma, justificando a sua existência como representante de valores humanos. Assim, sua palavra deve ser libertadora quando abre horizontes de possibilidades indefinidas, quando além do conteúdo ensinado e das questões abordadas, abre-se a questão de cada um consigo mesmo.

Logo, para além dos horários, dos programas, manuais, dos rituais, o que fica é a devagar e difícil tomada de consciência de uma personalidade. Basta recordarmos as contribuições educativas dos seus educadores! Para além dos conteúdos prontos, o que importa não são os automatismos, mas a libertação da inteligência, sensibilibidade, curiosidade, espírito crítico, busca da existência humana de que vale a pena estar vivo. Desse processo o educador tem que ser testemunha!

Assim, o intelectualismo dominante ansioso por quantidade de conteúdos, notas, classificações acaba produzindo mais alienação mental e que nada contribui para libertar. Ou seja, na visão de Gusdorf, para além da função epistêmica do ensino, há uma função espiritual, representando uma significação maior. Pois o espírito quer saber qual o sentido de sua existência; se a vida tem um significado e um valor. Dessa verdade é que o educador tem de dar seu testemunho, seu papel primordial!

Referências

GUSDORF, G. Professores, para que? Santos: Martins Fontes, 1970.

* Sociólogo, Educador e Pesquisador. Mestre em Ciências humanas/PUCRS. Professor-tutor no curso de Pós-Graduação em Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação da Universidade Federal do Rio Grande/FURG. Professor nos cursos de Pós-Graduação em Educação do Instituto Luterano de Educação na cidade de Pelotas/RS.


 

Nota Importante a Leer:

Los comentarios al artículo son responsabilidad exclusiva del remitente.

Si necesita algún tipo de información referente al artículo póngase en contacto con el email suministrado por el autor del artículo al principio del mismo.

Un comentario no es más que un simple medio para comunicar su opinión a futuros lectores.

El autor del artículo no está obligado a responder o leer comentarios referentes al artículo.

Al escribir un comentario, debe tener en cuenta que recibirá notificaciones cada vez que alguien escriba un nuevo comentario en este artículo.

Eumed.net se reserva el derecho de eliminar aquellos comentarios que tengan lenguaje inadecuado o agresivo.

Si usted considera que algún comentario de esta página es inadecuado o agresivo, por favor, pulse aquí.

Comentarios sobre este artículo:

No hay ningún comentario para este artículo.

Si lo desea, puede completar este formulario y dejarnos su opinion sobre el artículo. No olvide introducir un email valido para activar su comentario.
(*) Ingresar el texto mostrado en la imagen



(*) Datos obligatorios

 
Cuadernos de Educación y Desarrollo es una revista académica de formato electrónico y de aparición trimestral, editada y mantenida por el Grupo de Investigación eumednet de la Universidad de Málaga.

Los autores interesados deben enviar sus textos en formato DOC a: lisette@eumed.net junto a un resumen actualizado de su CV.

Director
Gerardo J. Gómez Velázquez (CV)

Editor Ejecutivo:
Juan Carlos M. Coll (CV)
ISSN: 1989-4155
EUMEDNET

Logo CED
CUADERNOS DE EDUCACIÓN Y DESARROLLO
revista académica semestral

Universidad de Málaga > Eumed.net