Cuadernos de Educación y Desarrollo

Vol 1, Nº 3 (mayo 2009)

 

RESENHA OBRA: BIANCHETTI, LUCÍDIO; JANTSH, ARI. (ORGS). INTERDISCIPLINARIDADE: PARA ALÉM DA FILOSOFIA DO SUJEITO. PETRÓPOLIS: VOZES
 

César Augusto Soares da Costa (CV)
csc193@hotmail.com

 

A recente história da interdisciplinaridade no Brasil, apesar das freqüentes ilusões da moda, tem testemunhado o sentido de seriedade que tem animado o trabalho teórico e as inúmeras atividades práticas nos últimos cinco anos, dos quais produziram centenas de seminários, trabalhos, teses, dissertações, livros e artigos, na esperança de provar na prática o bem de suas intuições. Mas permanece sempre uma questão: a interdisciplinaridade não carece de uma base antropológica nas suas fundamentações? Tal questionamento já é fato constante no debate pedagógico contemporâneo quando nos referimos ao tema. Para alguns, toda esta reflexão é fruto de imediatismos do momento, para outros, trata-se de uma nova atitude pedagógica frente às questões atuais. Novamente surge a pergunta: quem está com a razão? É possível ter razão no somatório de individualidades? Aqui começa a polêmica!

Assim, a obra Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito dos professores Lucídio Bianchetti e Ari Jantsh procuram nos seus horizontes, discutirem as bases filosóficas, antropológicas e sociais do objeto em questão. Sobre diferentes pontos de vista teóricos, os autores procuram cada qual a seu modo debater o conceito de interdisciplinaridade, pondo em questão suas diferentes análises e as propostas de ação interdisciplinar tanto na área científica quanto na prática pedagógica. Seus organizadores fazem com a precisão necessária que não retira do leitor o interesse pela abordagem integral das provocantes análises e contundentes críticas ao tratamento teórico-prático de quem sido o tema da interdisciplinaridade.

A obra não nega as grandes contribuições da filosofia do sujeito na produção historicamente acumulada do conhecimento. Sendo assim, os autores chamam atenção para o fato de que a construção histórica de um objeto implica a constituição do objeto e a compreensão do mesmo aceitando, como isso, a tensão entre o sujeito pensante e as condições objetivas (materialidade) para o pensamento. Para Jantsh e Bianchetti, não será um “projeto em parceria” que superará a redução subjetivista da filosofia do sujeito. Logo, podemos afirmar que a “interdisciplinaridade dos projetos em parceria” dos que se orientam pela filosofia do sujeito, não abarca, ordena e totaliza a realidade do mundo científico. Pois a simples fórmula, do somatório de individualidades ou “sujeitos” pensantes nunca será salvífica! Também os autores, não pretendem polarizar entre o que se pode denominar de concepção dialética (com ênfase no papel do sujeito histórico-crítico) e a concepção a-histórica. (vista sem definição crítica da realidade).

Logo, cabe ressaltar para o leitor a relevância que a obra adquire com a reunião de autores de diversas áreas e posições para o debate sério em torno do problema. Embora não pertençam a campos científicos opostos, suas abordagens, a partir do solo sociológico ou filosófico, constituem por si um exemplo da riqueza, de interesse atual e das possibilidades do tratamento interdisciplinar da realidade. Este livro fruto de muitas intuições constitui uma tentativa de contribuir para a discussão e superação ainda hegemônica concepção a-histórica do objeto filosófico-científico denominado interdisciplinaridade. Dentro da análise do livro, a filosofia do sujeito continua ao nosso ver, a base e a maior expressão da concepção a-histórica da interdisciplinaridade.

Em suma, Bianchetti e Jantsh reiteram a esperança de que a obra cumpra os objetivos pelas quais foi pensada, além de cumprir num passo à frente no debate interno à concepção histórica da interdisciplinaridade, oriente o necessário confronto com posições a-históricas da interdisciplinaridade pelos autores denominada como filosofia do sujeito. Certamente, as reflexões contidas no livro prestarão uma singular contribuição e esclarecimento em torno das polêmicas do objeto em questão em nossos meios acadêmicos.


 

Nota Importante a Leer:

Los comentarios al artículo son responsabilidad exclusiva del remitente.

Si necesita algún tipo de información referente al artículo póngase en contacto con el email suministrado por el autor del artículo al principio del mismo.

Un comentario no es más que un simple medio para comunicar su opinión a futuros lectores.

El autor del artículo no está obligado a responder o leer comentarios referentes al artículo.

Al escribir un comentario, debe tener en cuenta que recibirá notificaciones cada vez que alguien escriba un nuevo comentario en este artículo.

Eumed.net se reserva el derecho de eliminar aquellos comentarios que tengan lenguaje inadecuado o agresivo.

Si usted considera que algún comentario de esta página es inadecuado o agresivo, por favor, pulse aquí.

Comentarios sobre este artículo:

No hay ningún comentario para este artículo.

Si lo desea, puede completar este formulario y dejarnos su opinion sobre el artículo. No olvide introducir un email valido para activar su comentario.
(*) Ingresar el texto mostrado en la imagen



(*) Datos obligatorios

 
Cuadernos de Educación y Desarrollo es una revista académica de formato electrónico y de aparición trimestral, editada y mantenida por el Grupo de Investigación eumednet de la Universidad de Málaga.

Los autores interesados deben enviar sus textos en formato DOC a: lisette@eumed.net junto a un resumen actualizado de su CV.

Director
Gerardo J. Gómez Velázquez (CV)

Editor Ejecutivo:
Juan Carlos M. Coll (CV)
ISSN: 1989-4155
EUMEDNET

Logo CED
CUADERNOS DE EDUCACIÓN Y DESARROLLO
revista académica semestral

Inicio |  
Objetivos |  
Consejo Editorial |  
Cómo publicar |  
Criterios de calidad |  
Números Anteriores |  
Anuncios |  
Otras Revistas de EUMEDNET
Universidad de Málaga > Eumed.net