Contribuciones a las Ciencias Sociales
Agosto 2009

 

CONSIDERAÇÕES SOBRE A ESPERANÇA NA FILOSOFIA DE GABRIEL MARCEL
 


César Augusto Costa
csc193@hotmail.com
 

 

O tema da esperança é constante na obra do filósofo francês Gabriel Marcel (1889-1973). De certa forma, podemos afirmar que a filosofia da existência em geral, e a de Marcel, procura relacionar pensamento e vida. Mas em linhas gerais, o que entendemos por esperança? De modo breve, podemos assinalar que para Gabriel Marcel é a luz que penetra nas trevas de nossa existência, preservando-nos do desespero, sem saber para onde nos conduz. Pois o filósofo não parte de uma definição ou de um princípio-esperança para decompô-lo passo a passo. Marcel parte da experiência concreta do “eu espero” constituindo um elemento estrutural do ser humano na história. Talvez por isso, a esperança seja um dos temas mais estudados, na filosofia e cultura contemporânea. Partindo destas considerações, nos questionamos: não seria irracional a confiança no futuro? Como esperar viver quando se está condenado à morte? Qual seriam os fundamentos da esperança?
 



Para citar este artículo puede utilizar el siguiente formato:
Costa, C.A.: Considerações sobre a esperança na filosofia de Gabriel Marcel, en Contribuciones a las Ciencias Sociales, agosto 2009, www.eumed.net/rev/cccss/05/cac.htm



Segundo Marcel, é impossível achegar-nos a esperança com as categorias do pensamento objetivo, empírico e problemático. Pois a esperança possuí raízes em alguma parte de nosso ser que ainda não foi tocado pela experiência. Tal experiência é impossível ser tocada, portanto, ela transcende por escapar de cálculos objetivos. Nesta perspectiva, o homem pode verificar, existencialmente, o inverificável, pois ela nos faz ver que as coisas carecem de solidez, se não referidas a uma ordem transcendente.

Para Marcel, a esperança funda-se no invisível. Passando de um “eu espero que” para um “eu espero” absoluto, ou “eu espero em”. No fundo de todo ato de esperar, há uma espécie de apelo, uma resposta do ser ao infinito.

Sob certo aspecto, esperar é um dar, onde a fé e esperança estão ligadas entre si. A fé num tu absoluto faz com que eu considere o desespero uma traição. Sendo que esperar é permanecer fiel, no meio das trevas, pois a esperança pressupõe dar um crédito à realidade, à sua força criadora. A plenitude da esperança somente acontece no intercâmbio espiritual, ou seja, na participação do amor. Esta participação supõe na ordem fraterna do nós, e não do eu isolado. Na visão de Marcel, um ser sem amor, não pode ter esperança.

Em resumo, amor e esperança fazem juntos o homem superar a tentação de isolamento salvando-o de um esvaziamento empírico. A metafísica consiste em exorcizar o desespero! Assim pode-se concluir com Marcel que as condições de possibilidade da esperança coincidem com as do desespero. A morte como trampolim de uma esperança absoluta. Num mundo sem morte, a esperança só existiria em estado embrionário.

Nota Importante a Leer:

Los comentarios al artículo son responsabilidad exclusiva del remitente.

Si necesita algún tipo de información referente al artículo póngase en contacto con el email suministrado por el autor del artículo al principio del mismo.

Un comentario no es más que un simple medio para comunicar su opinión a futuros lectores.

El autor del artículo no está obligado a responder o leer comentarios referentes al artículo.

Al escribir un comentario, debe tener en cuenta que recibirá notificaciones cada vez que alguien escriba un nuevo comentario en este artículo.

Eumed.net se reserva el derecho de eliminar aquellos comentarios que tengan lenguaje inadecuado o agresivo.

Si usted considera que algún comentario de esta página es inadecuado o agresivo, por favor, pulse aquí.

Comentarios sobre este artículo:

Página: [1]
Por: ieda Fecha: 21 del 05 de 2014 - 15:07
Sou estudante do último ano de filosofia, o meu TCC é sobre a liberdade como possibilidade de escolha nas escolas publicas, quero relacionar o existencialismo como via pedagógica. Ouvi falar sobre o filosofo Gabriel Marcel e quero conhecer o pensamento dele. Vocês podem me fornecer mais informações? ATT, Iêda Batista

Si lo desea, puede completar este formulario y dejarnos su opinion sobre el artículo. No olvide introducir un email valido para activar su comentario.
(*) Ingresar el texto mostrado en la imagen



(*) Datos obligatorios

 


Editor:
Juan Carlos M. Coll (CV)
ISSN: 1988-7833
EUMEDNET

Universidad de Málaga > Eumed.net > Revistas > CCCSS
Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático