BIBLIOTECA VIRTUAL de Derecho, Economía y Ciencias Sociales

ESTUDO SOBRE DETERMINAÇÃO DE PONTOS OTIMOS PARA LOCALIZAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DE USINAS DE BIODIESEL NO ESTADO DO TOCANTINS

Karyn Siebert Pinedo



Esta página muestra parte del texto pero sin formato.

Puede bajarse el libro completo en PDF comprimido ZIP (150 páginas, 3.31 Mb) pulsando aquí

 

 

2.2. Caracterização geral: Biodiesel

Com a crise ambiental, aumento do consumo de derivados de petróleo e a diminuição das reservas de petróleo, tendo como conseqüência o aumento do preço do barril de petróleo no mercado internacional, os governos de diversos países se propuseram a investir em energia renovável. No Brasil, as fontes renováveis (produtos da cana-de-açúcar, hidroeletricidade, biomassa e outras) responderam por 47,3% do total de energia da matriz energética brasileira em 2009. Este o maior índice desde 1992, quando o uso da lenha e do carvão vegetal ainda era mais intenso no país (EPE, 2010).

Existem diversos tipos de fontes de energia renovável, como a solar, eólica, a biomassa e outras. Porém, o governo brasileiro, seguindo decisões históricas e de utilização dos potenciais e capacidades locais, decidiu incentivar, com mais intensidade, a biomassa como fonte de energia capaz de produzir etanol e biodiesel para substituir os derivados de petróleo.

Biomassa é toda a matéria orgânica de origem animal ou vegetal, que pode ser utilizada na produção de energia, esta é produzida por energia solar, transformada em energia química, através da fotossíntese (NEPAM, 1994). Para Leite (2006), há três opções para combustíveis líquidos derivados de biomassa:

• Etanol: pode ser obtido de qualquer tipo de biomassa que contenha açúcares, amido ou material com teor de celulose, das matérias primas que não contêm açúcares suficientes tem que convertê-los através da sacarificação, seguido de hidrolise (MACHADO, 2006). O etanol ou álcool etílico pode ser produzido a partir da fermentação da sacarose de determinadas leveduras. O predomina no mercado brasileira é o etanol produzido da cana-de-açúcar. Na figura 2.2 pode-se observar como funciona o processo de produção de etanol.

Na área de etanol, segundo a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAGRO, 2009), o tem-se a previsão para que em junho de 2010 a implantação de uma usina de cana de açúcar no município de Pedro Afonso (TO).

Obs.: Fluxograma dos processos de hidrólise ácida (A) e enzimática (B), modificadas pelo acréscimo de pectinases, adaptado de Venturini Filho & Mendes (2003) com a adição de pectinases.

• Metanol: Pode ser produzido a partir de madeiras secas. Esse processo é o mais antigo e o que menos agride o meio ambiente. Mas também pode ser obtido pela reação do gás de síntese (produzido a partir de origens fósseis, como gás natural).

• Biodiesel: o Biodiesel pode ser produzido a partir de qualquer óleo vegetal bruto, ou gordura animal, ou seja, sem grandes refinações. De uma maneira geral, faz-se a extração do óleo, seguida de procedimentos de separação por centrifugação e filtragem, resultando nos óleos vegetais brutos. Portanto, uma planta industrial de extração de óleo vegetal com os necessários controles de qualidade para purificação inicial do produto é suficiente para a produção do óleo (JORDÃO FILHO, 2004).

Existe ainda a opção por uma extração mista (mecânica/ solvente). A seleção do tipo de extração depende de dois fatores determinantes: a capacidade produtiva e o teor de óleo. A tabela 2.4 mostra os tipos de usina e as formas de matéria prima utilizada.

Independente da matéria-prima utilizada, os processos de obtenção do biodiesel são semelhantes, apenas variando as dosagens e os diagramas de massa. Ou seja, pelo fato dos ácidos componentes dos óleos vegetais se apresentarem em diferentes percentuais em cada um deles, as proporções de cada um e a necessidade de aditivos para remover os resíduos dependem de uma análise caso a caso para resultar em um produto final que atenda às especificações (JORDÃO FILHO, 2004). No diagrama da figura 2.4 mostram-se as etapas da produção do biodiesel partindo de diversas matérias primas.

De acordo com Parente (2003) além dos óleos e gorduras virgens, constituem também matéria prima para a produção de biodiesel, o óleo e gordura residual, resultantes de processamentos domésticos, comerciais e industriais. De acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), em 2008 as principais matérias-primas utilizadas para produção de biodiesel foram: soja (78,4%), sebo (16,4%), algodão (2,4%) e outros materiais graxos (2,6%).

Atualmente, o Tocantins conta com duas usinas de fabricação de biodiesel em funcionamento (Brasil Ecodiesel e Biotins Energia), utilizando matérias-primas como: pinhão manso, que tem previsão para 2011 de nove mil hectares prontos para a utilização e a mamona, que se mostrou em pesquisas propensa para ser cultivada no Estado (SEAGRO, 2010).

Com relação ao biodiesel, o Brasil tende a repetir a aplicação de incentivos à produção e ao mesmo tempo investir em pesquisa e desenvolvimento, estratégia utilizada para desenvolver o etanol a partir da cana-de-açúcar. O biodiesel ainda tem a vantagem de ser obtido a partir de uma multiplicidade de matérias-primas, tais como o dendê, a mamona, o algodão, a soja e o pinhão-manso entre outras oleaginosas. O Brasil pode se destacar no desenvolvimento do biodiesel, por ser um país tropical que apresenta um elevado potencial para a produção de energia por meio de biomassa (PESSOA, SOUZA e REBOUÇAS, 2007). Portanto para que esse crescimento seja efetivo é importante planejar a produção, distribuição e conseqüentemente a logística dos diversos produtos e derivados do biodiesel.

O estudo da determinação de localização ótima pode contribuir, para qualquer tipo de empreendimento, na melhoraria de sua estratégia competitiva no mercado. Para Chopra e Meindl (2003), as decisões sobre instalações de novos empreendimentos estão ligadas a transporte e a alocação de capacidades. Por tempos a economia clássica ignorou a importância da localização de instalações, sendo que a localização afeta diretamente o custo e a capacidade de cada empresa.

Para Schwartz (1999), existem vários fatores que afetam a localização, os quais são: transporte, proximidade dos clientes, baixo custo de mão-de-obra, taxas e impostos baixos entre outros. Ainda segundo o autor, apesar da importância da localização, 42,1% das empresas não avaliam as cadeias logísticas com regularidade. As avaliações logísticas precisam ser realizadas constantemente, segundo Razzolini (2006), porque a logística integra funções básicas da administração, planejamento e controle da produção e distribuição física com o ambiente externo, que precisa ser avaliado com regularidade.

A seguir pode-se observar no gráfico 2.11, um exemplo de custo de produção de uma usina de biodiesel.

No gráfico 2.12, pode-se observar que o custo do transporte é de aproximadamente 3% do custo total, porém o maior custo recai sobre a compra do óleo (72%), que, se somar com a do transporte do mesmo, totalizando 74% do valor do custo total do produto. Uma vez o óleo ou a matéria-prima in natura estando mais perto da usina consumidora, provavelmente estes custos poderiam diminuir.

A localização ideal é um ponto geográfico que favorece a empresa o máximo benefício, ou, para os rendimentos dados, que detém o menor custo. A teoria da localização envolve o estudo dos efeitos do espaço sobre a organização da atividade econômica (RAZZOLINI 2006).


Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
 
Todo en eumed.net:

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet