O FUNDO CONSTITUCIONAL DO NORTE-FNO NO ESTADO DO ACRE: RECURSOS DO POVO, POLÍTICA DE ESTADO, BENEFÍCIOS DA ELITE

O FUNDO CONSTITUCIONAL DO NORTE-FNO NO ESTADO DO ACRE: RECURSOS DO POVO, POLÍTICA DE ESTADO, BENEFÍCIOS DA ELITE

Régis Alfeu Paiva

Volver al índice

 

 

4.1.2 SETOR EXTRATIVO MINERAL

Em uma série de oito anos (Vide Anexo nº 02, Tabela 13), três destoam (1999, 2000 e 2002), sendo que os outros mantêm uma certa similaridade, havendo ainda anos marcados por demissões (2001, 2004 e 2005). Há uma certa regularidade no tocante às oscilações mensais (pouca variação).

No geral, há um saldo de 16 contratações ao longo dos anos amostrados. Pelos resultados totais registrados, constata-se não ter o setor uma presença maior na economia do estado ou, ainda, uma tendência de crescimento, mas apenas de adequação (crescimento vegetativo), conforme se verifica no Gráfico nº 23. Outro ponto a ser levado em conta é uma possível informalidade dentro da sazonalidade.

A análise estatística (Anexo nº 01, Quadro nº 12) se mostrou correlata positivamente na linha Proagrin, num indicativo de que os recursos possam ter sido utilizados, em parte, na construção civil. Houve ainda uma correlação para com o PRONAF =D‘, indicando a possibilidade de aumento das obras na área rural ou ainda por este exercer uma pressão positiva no comércio local.

Em termos de correlação negativa, está o Promipec e o PRONAF =B‘, mas este tem recursos liberados apenas nos anos de 2004 e 2005, muito pouco para uma afirmação mais categórica de correlação. O problema parece ser o mesmo em relação ao Promipec (três anos: 2003-2005).