O FUNDO CONSTITUCIONAL DO NORTE-FNO NO ESTADO DO ACRE: RECURSOS DO POVO, POLÍTICA DE ESTADO, BENEFÍCIOS DA ELITE

O FUNDO CONSTITUCIONAL DO NORTE-FNO NO ESTADO DO ACRE: RECURSOS DO POVO, POLÍTICA DE ESTADO, BENEFÍCIOS DA ELITE

Régis Alfeu Paiva

Volver al índice

 

 

4.3.5 SETOR DE SERVIÇOS

Neste grupo, são considerados os setores E, H, I, J, K, M, N, O82. A análise estatística (Anexo nº 01, Quadro nº 24) revela, primeiramente, que os volumes investidos pelo FNO no Estado (totais e no setor agrário) foram positivamente significativos (todos os testes) com todos os componentes deste grupo.

Os Desmates tiveram correlação positiva com as linhas H, I, K, M, N, O no teste de Pearson e para as linhas N e O no de Kendall. Neste caso, o dado é inconclusivo, pois estes setores não têm correlação direta conhecida com a evolução dos desmates. Pode ser correlação espúria, mas pode ter sido o resultado do aumento da demanda e isso ter gerado pressão negativa sobre a hiléia. Da mesma forma, um outro ponto é a possibilidade de que recursos destinados para os setores terem sido desviados para aplicação na área rural e isso, por sua vez, tenha pressionado os desmates.

As linhas Proderur e PRONAF =A‘ foram altamente significativas para com a evolução da demanda dos serviços elencados, confirmando o raciocínio de que os recursos investidos no setor rural trazem ganhos rápidos sobre o meio urbano. É possível também que as pressões positivas tenham ocorrido por conta do aumento do dinheiro circulante, principalmente entre as classes mais abastadas, elevando a demanda por serviços.

A linha Prodesin teve correlação positiva apenas nos testes não-paramétricos, com destaque para =M‘ em ambos (I, J, N e O somente pelo teste de Spearman). Os dados reforçam o raciocínio da importância dos investimentos rurais, em que pese os valores mais significativos no comércio (Comserv) serem posteriores ao período amostrado pelo IBGE.

A linha Promicro revela novamente forte correlação negativa com quase todos os setores e em todos os testes (exceção para =N‘ e =O‘ no teste de Pearson), merecendo estudos posteriores e mais acurados (como a partir dos contratos)

E) Produção e distribuição de eletricidade, gás e água; H) Alojamento e alimentação; I) Transporte, armazenagem e comunicações; J) Intermediação financeira, seguros, previdência complementar e serviços relacionados; K) Atividades imobiliárias, aluguéis e serviços prestados às empresas; M) Educação; N) Saúde e serviços sociais; O) Outros serviços coletivos, sociais e pessoais.

A análise dos resultados destes setores reforçam a evidência do Acre ser um Estado sem economia própria, dependente sobretudo dos recursos públicos em todas as três esferas. Por outro lado, a evolução do setor de serviços revela a aplicação local de uma tendência mundial.

As correlações estatísticas mostram que, neste caso, o FNO foi importante para o crescimento do volume de empresas no Estado. A isso se some o fato de ainda não estarem contidos os dados da principal linha comercial – Comserv.

Da mesma forma, os recursos investidos no setor agrário mostram a força deste, principalmente ao se verificar forte correlação com os investimentos em linhas como o PRONAF =A‘, seja no setor de Serviços ou no =produtivo‘.