USO EFICIENTE DA ÁGUA: ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

USO EFICIENTE DA ÁGUA: ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

Organizador: José Dantas Neto

Volver al índice

 

 

5.2 UTILIZAÇÃO DE ÁGUA PLUVIAL EM CONDOMÍNIOS VERTICAIS – SÃO CARLOS/SP

Campos (2004) desenvolveu um estudo que, dentre outros objetivos, realizar a análise custo x benefícios da introdução de um sistema de aproveitamento de água pluvial em um edifício residencial multi-familiar da cidade de São Carlos.

Como resultados do estudo, o autor concluiu que: a) sob o ponto de vista da construtora são necessárias poucas mudanças no processo de projeto e execução das edificações, basicamente apenas foi necessário a inclusão da construção da cisterna; b) redução do consumo de apenas 7,3 m³/mês, o que representa um período de retorno de 10 anos e 6 meses, o qual foi considerado alto e não vantajoso do ponto de vista econômico.

Os resultados corroboram o que já foi discutido anteriormente, que a utilização de águas pluviais é mais eficiente em condomínios horizontais e residências unifamiliares, pois a área de captação do telhado é grande em relação ao número de habitantes, propiciando uma significativa economia de água. Contudo, a decisão da adoção desse tipo de ação em condomínios verticais não deve ser baseado exclusivamente em critérios econômicos, mas devem ser observado os critérios ambientais e o atendimento da legislação em vigor.

5.3 UTILIZAÇÃO DE ÁGUA PLUVIAL EM CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS

Para o caso dos condomínios horizontais, estudos realizados por Costa e Santos (2007), concluíram que com um correto dimensionamento do sistema, a captação da água pluvial pode atender às necessidades dos moradores do condomínio para finalidades não nobres. Foram considerados no estudo uma área de captação de 100 m², uma média de 5 pessoas por lote residencial e um consumo de 96 /hab/dia para fins não potáveis.

5.4 MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA EM EDIFÍCIOS – ESTADO DE PERNAMBUCO

Coelho (2001) mostrou os resultados da implantação da medição individualizada da água em edifícios do estado de Pernambuco. Foi realizada amostragem em 575 prédios, sendo que mais da metade destes correspondem a prédios com mais de 30 apartamentos, os quais foram caracterizados como apartamentos populares.

Dos resultados o autor conclui que a aprovação do sistema de medição individualizada foi satisfatório, pois 68,25% dos usuários classificaram essa medida como ótima e 31,75% classificaram como boa, não existindo, portanto, opiniões contrárias.