AS RELAÇÕES ARGENTINO-BRASILEIRAS: IDENTIDADE COLETIVA E SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO MERCOSUL

AS RELAÇÕES ARGENTINO-BRASILEIRAS: IDENTIDADE COLETIVA E SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO MERCOSUL

Daniela Cristina Comin

Volver al índice

 

 

 

 

Resumo

Este trabalho analisa as relações argentino-brasileiras no período de 1985 a 1998. O principal objetivo é mostrar quais fatores possibilitaram que dois países historicamente rivais iniciassem um processo de cooperação que culminou em 1991 com a assinatura do Tratado de Assunção que previa a criação de um Mercado Comum. Além disso, analisa o processo de construção do Mercosul buscando as razões pela escolha de instituições intergovernamentais e também as conseqüências da restrita participação social no processo de integração regional. A Teoria Construtivista foi utilizada como eixo principal destas análises. Para tanto, trabalhou-se com análise bibliográfica e documentos oficiais do Mercosul.

Palavras-chave: Rivalidade. Cooperação. Teoria Construtivista. Mercosul. Intergovernamentalismo. Déficit democrático. Identidade coletiva.

Abstract

This paper analyzes the Brazilian-argentine relations from 1985 to 1998. It aims to show which factors allowed these historically rivalry countries to start a cooperating process that had its climatic moment in 1991, with the Treaty of Asunción that would start the Common Market creation. Besides that, it analyses Mercosul building process searching reasons for choosing intergovernamental institutions as well as the strict social participation in regional integrating process consequences. The Constructivism Theory was used as a leading mark in these analyses. For that, bibliographic analysis method and Mercosul official documents were used.

Keywords: Rivalry. Cooperation. Constructivism Theory. Mercosul. Intergovernmentalism. Democratic deficit. Collective identity.