El cooperativismo una alternativa de desarrollo a la globalización neoliberal para América Latina

CARLOS GOMES

TROCA DIRECTA

Com o aparecimento do modo de produção baseado no cultivo de plantas e criação de animais, os utensílios e os instrumentos de trabalho começaram a ser produzidos por indivíduos mais dedicados a essa actividade. Estas modificações tornaram inevitável uma progressiva penetração dum sistema de troca directa no seio da própria comunidade. Numa primeira fase essa permuta assumia naturalmente um carácter rudimentar e ocasional. A progressiva diferenciação da produção, o aparecimento de novas técnicas e a divisão de trabalho que se foi implantando entre os habitantes, incrementaram a regularidade do regime destas trocas entre agricultores, pastores e artesãos. Certas matérias-primas já só podiam ser obtidas por troca, por vezes, no decurso de deslocações a longas distâncias.

O aparecimento duma produção remanescente originou uma disponibilidade de bens susceptíveis de serem objecto de permuta, incluindo produtos alimentares, especialmente animais, peles, objectos de artesanato, como cerâmica ou tecidos, objectos decorativos ou de prestígio. A técnica de polimento e o tratamento mais aperfeiçoado da pedra deram lugar a um acréscimo e extensão da procura dos materiais adequados para o fabrico de instrumentos de trabalho. A utilização do sal no cozimento dos alimentos pode ter influenciado a frequência de permutas a longas distâncias. Estes factores, e eventualmente outros, como o contacto com populações piscatórias, exerceram uma forte influência no regime de troca directa entre as diferentes comunidades. Mesmo os grupos humanos, que mantiveram o seu tradicional estilo de vida, permutavam regularmente os seus produtos com as comunidades agrícolas.

Por sua vez, estas relações entre as comunidades, originadas pela progressiva expansão das trocas directas, tiveram presumivelmente grande importância na difusão do cultivo das plantas e na domesticação e criação de animais.

A troca recíproca, colectiva e individual, a troca cerimonial de ornamentos ou de produtos alimentares persiste ainda nos nossos dias. É uma característica dos povos que, unidos entre si por laços de parentesco, mantêm um tipo de relações regidas pelo princípio da reciprocidade.

É essencial ficar bem claro que, neste modo de produção, os materiais, utensílios e objectos que os habitantes ou as comunidades trocam entre si não são produzidos com esse fim, pelo que não podem ser classificados como mercadorias.
 

Grupo EUMEDNET de la Universidad de Málaga Mensajes cristianos

Venta, Reparación y Liberación de Teléfonos Móviles
Enciclopedia Virtual
Economistas Diccionarios Presentaciones multimedia y vídeos Manual Economía
Biblioteca Virtual
Libros Gratis Tesis Doctorales Textos de autores clásicos y grandes economistas
Revistas
Contribuciones a la Economía, Revista Académica Virtual
Contribuciones a las Ciencias Sociales
Observatorio de la Economía Latinoamericana
Revista Caribeña de las Ciencias Sociales
Revista Atlante. Cuadernos de Educación
Otras revistas

Servicios
Publicar sus textos Tienda virtual del grupo Eumednet Congresos Académicos - Inscripción - Solicitar Actas - Organizar un Simposio Crear una revista Novedades - Suscribirse al Boletín de Novedades
 
Todo en eumed.net:
Eumed.net

Congresos Internacionales


¿Qué son?
 ¿Cómo funcionan?

 

15 al 29 de
julio
X Congreso EUMEDNET sobre
Turismo y Desarrollo




Aún está a tiempo de inscribirse en el congreso como participante-espectador.


Próximos congresos

 

06 al 20 de
octubre
I Congreso EUMEDNET sobre
Políticas públicas ante la crisis de las commodities

10 al 25 de
noviembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Migración y Desarrollo

12 al 30 de
diciembre
I Congreso EUMEDNET sobre
Economía y Cambio Climático

 

 

 

 

Encuentros de economia internacionales a traves de internet


Este sitio web está mantenido por el grupo de investigación eumednet con el apoyo de Servicios Académicos Internacionales S.C.

Volver a la página principal de eumednet